08 setembro 2015

Scream: Por que a série teve o assassino perfeito? [Com SPOILER]

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em setembro de 2015

A primeira temporada de "Scream", da MTV, terminou em 1º de setembro de 2015 revelando o grande assassino serial que estava por trás da máscara de fantasma que levou personagens que muitos gostavam -e/ou até amavam de todo coração- como Nina (Bella Thorne), Riley (Brianne Tju), Xerife Clark (Jason Wiles), Will (Connor Weil) entre outros. No entanto, a revelação do "dono da máscara da matança" não foi surpreendente e muitos já -inclusive eu- palpitavam que Pipper (Amelia Rose Blaire) era uma das assassinas.

Já na primeira aparição da jovem, ao chegar no borborinho de alunos "investigando" a morte de "Nina bovina", o olhar lançado para Noah e Audrey (Bex Taylor-Klaus) já trouxe o estranhamento para o seriado. O curioso é que justamente a interessada em desvendar o assassino serial era a própria que questionava a todos. Quando ela surgiu? A personagem foi apresentada quando o total de mortes já chegava a três: Nina, Tyler e Rachel.

Contudo, a trama ofereceu pistas confusas e, assim, ela foi se camuflando, embora permanecesse na mira de grande parte dos fãs de "Scream". Para muitos -inclusive para mim-, Kieran (Amadeus Serafini) era nitidamente um dos suspeitos. Não só por seguir a lógica do filme original e primogênito "Scream/Pânico", em que o namorado faz e acontece com a mocinha Sidney (Naomi Campbell). Bullying com o namorado de filme/série de terror? Não! Kieran também despertava inúmeras dúvidas quanto a confiabilidade. Para alívio de grande parte da galera, as atitudes de Kieran só foram mal interpretadas. Pelo menos nesta primeira temporada, sim!

Em contrapartida, o desfecho da trama deixou muitas pulgas atrás das orelhas do público. Embora as revelações tenham acontecido, nem tudo ficou tão claro. Será que Audrey foi realmente a ajudante de Pipper? As imagens mostraram o que levou muitos a crerem que sim. No entanto, sempre pode haver alguma explicação plausível para tirá-la de tal crucificação.

Logo, é preciso pensar além. Por que iriam revelar justamente o segundo assassino no finalzinho do último episódio, deixando a continuidade comprometida? Jogada? Provavelmente! Assim, ao se despedir, mais uma vez, "Scream" brinca de enganar para espichar o seriado que não tem muitas chances de entrar para a história das séries revelações no gênero. O mérito da produção é o de dominar a arte de prender -ou agarrar firme?- espectadores em uma trama simples -e até bem conhecida. Em tempo, a equipe de edição manda bem nos cortes e contribuem para deixar qualquer um boquiaberto.

De fato, considerando toda a produção, Pipper é a assassina perfeita da primeira temporada de "Scream"! A boa atuação de Amelia Rose Blaire foi coerente, provando não ser uma escolha aleatória de diretores e produtores. As caras, as bocas e os olhares criminosos nas cenas em que "surgiu" foram convincentes. Acredito que se ela não tivesse qualquer culpa no cartório e permanecesse na história, críticas negativas ao seriado teriam chovido aos montes.

Que 2016 venha logo com a segunda temporada de "Scream". Até lá!

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter: @maryellenfsm


0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html