18 junho 2019

Power Couple Brasil | Prova dos Casais - Comente



Deixe seu comentário sobre a Prova dos Casais enquanto aguardamos o comentário de Sergio Silva.

17 junho 2019

MasterChef | Repescagem, por Lédson Guimarães



Texto recebido em 17/06/2019

Demorou, mas chegou o dia da repescagem! Nem todos gostam, a galera do mezanino (vide Ecatharine e Rodrigo) que o diga, já nós do sofá gostamos mesmo. A demora tinha lá suas vantagens, como abranger a oportunidade a um maior número de eliminados com alto potencial para vencer a disputa, afinal, muitos cozinheiros realmente bons deixam o avental por deslizes do momento de pressão ao passo que adversários “feijão com arroz” adiam o retorno à própria cozinha por lampejos de Eureka

A produção cozinhou o momento em banho-maria pensado numa dinâmica diferente da usual. Com nove repescados, a prova que garantia uma única vaga para a última chance no MasterChef Brasil seria dividida em duas etapas e exigia a formação de três trios de eliminados. Na primeira etapa o cardápio era churrasco e a comanda pedia a cada trio o preparo de três proteínas com os respectivos acompanhamentos servidos para sete pessoas – os três chefs-jurados, três churrasqueiros profissionais e, claro, ela merece comer também, Ana Paula Padrão.

Amadores a exemplo de Marcus, Renan e André já estavam confiantes por entenderem de churrasco. Espertos, como o prodígio Helton, estavam cientes disso e planejaram colar com os bons. Deu ruim! Ana Paula apitou a formação dos trios - e escolhas dos capitães e das carnes - e André-Marcus-Carlos (equipe azul) nem deram brecha para as opções. Renan fechou com a ótima Juliana F. e com Rosana (equipe amarela) e, não teve jeito, Helton e Natália (equipe vermelha) fizeram aliança com o maior alívio cômico, ela que nem chorou cortando cebolas, a única, o mito, Imaculada. Se a situação parecia desfavorável..., calma que o caldo nem esquentou. 

Nunca é enfadonho lembrar que na cozinha do MasterChef o tempo é inimigo da perfeição. Ele é o tempero do desespero que nos dá o gosto de assistir ao programa. Tempo este sempre suficientemente curto e na medida o bastante para desarmonizar grupos e torrar calmas e miolos (não de todos os indivíduos, alguns são evoluídos ao patamar sempre zen do Paulo da última temporada, não importa a tempestade). Pra quê mais de 45 minutos para acender uma brasa pela primeira vez na vida e temperar e cozinhar especiarias nobres com o “auxílio” de utensílios também nunca dantes manuseados? Tá, menos mal que eram 45min. para cada prato. Mas a confusão é certa! 

E começou. A equipe vermelha foi primeira a pôr a mão na brasa. Lorena já havia nos refrescado de que Helton é atrapalhado em grupo, churrasco não é a praia de Natália e Imaculada não chegou a trabalhar em equipe. Essa execução foi mais divertida que produtiva. Imaculada foi responsável por acender a brasa devido à sua vasta experiência de duas vezes na vida. A avarenta quantidade de carvão posta por ela em cada churrasqueira caberia nas mãos. Falando em mãos, a senhorinha pegou nas carnes cruas repleta do grafite. A serenidade em pedir ajuda zilhões de vezes até ser ouvida é invejável! Melhor parte foi ver os galetos pendurados no alto, quase voando, esperando serem atingidos pelo calor distante da pouca brasa.

As outras duplas tiveram suas trapalhadas de nervosismo também. Os churrasqueiros garantidos também pisaram na bola. André foi visto abanando o fogo com uma espátula, deixou a pele do salmão grudar na forma (quando deveria ter usado a grelha), Juliana esqueceu de cobrir as pontas dos espetos com alumínio... Queimaram. Renan, sempre brincalhão, arranjou tempo para recitar versos sertanejos e tomar um gole. Quem usou da observação dos erros alheios e da estratégia foi Marcus, do último trio a iniciar a prova, bastava pegar da brasa já acesa na churrasqueira principal como ele fez e as outras equipes economizariam minutos preciosos.

Tudo lavava a crer na derrota direta da equipe vermelha. Porém o sabor é quem dita futuros na competição. O voto dos churrasqueiros profissionais garantiram a primeira vaga da segunda etapa para Helton e cia., trio que optou pelo churrasco mais simples e o fez bem. A decisão da equipe merecedora da última vaga por requisitos individuais recaía sobre os jurados. A equipe do capitão André se garantiu pelo trabalho mais harmonioso. Um passo mais próximo para os sonhos do brasiliense de levar o sabor do Brasil às cozinhas do mundo.

A segunda etapa da repescagem aconteceu na cozinha do MasterChef, desta vez, cada um por si. A prova resgatou o desafio culinário que definiu os semifinalistas da segunda temporada, o bife Wellington, a única receita de todas as edições que o “de menor” (Helton) deixou de estudar por preguiça e crença de que não “cairia na prova”. Respectivos mau e azar de todo aluno. Os chefs mostraram que nem só de bife é feito um Wellington. A carne pode ser substituída por beterraba, couve-flor, lagosta, pato ou conforme uma releitura adequada do cozinheiro. Além da massa recheada os chefs queriam um molho. Tudo em 1h15min.

André, Natália e Carrrlôôs arriscaram seguindo os exemplos. André apostou em seu retorno com o molho que o eliminou: a hollandaise - e desta vez utilizou a grelha quando deveria usar uma forma. Marcus tentou inovar recheando o Wellington com queijo e presunto. Helton estava inseguro com a receita e distribuiu pedidos de socorro, o mezanino também não se conteve em ajudar os colegas; Paola soltou a bronca e ouviu um coral de “Sim, Ana!”. André repetiu o equívoco e estourou a tampa da panela de pressão que estava Carosella. Aliás, ela não tenta esconder quando está irritada.

Os resultados das receitas foram geralmente mistos. O Wellington aberto de beterraba de Natália foi uma boa releitura, porém não bom o suficiente; o de Marcus teve bastante queijo, ao ponto de ficar enjoativo; o mito Imaculada deixou o molho muito grosso e a carne passou do ponto; o de Carlos também não alcançou o cozimento ideal... Game over, man! It was the the last opportunity

Os grandes destaques ficaram nas mãos de André e Helton. O retorno do funcionário público poderia levá-lo longe na disputa ou mesmo até a final. O mesmo para o menino-prodígio, com o acréscimo de uma guerra interrompida com Juliana Nicoli. Quem fez o anúncio foi Paola, outra vez estampando na expressão corporal toda uma insatisfação. André fez um Wellington muito bonito, mas faltou cozimento no caule da couve-flor. Helton seguiu o que a memória lhe permitia recordar do tradicional e clássico e fez o prato com mais técnica, melhor sabor, melhor montado e mais completo. Se a chef argentina desaguou com a eliminação do estudante, foi com ar de indiferença que anunciou sua vitória.

Helton fez jus a uma prova envolvendo o fogo. O garoto ressurgiu das cinzas e reacendeu a brasa de sua competição particular contra Juliana. Alguns poucos amigos o receberam calorosamente enquanto boa parte do mezanino estava queimando de raiva. O mineirinho chegou chegando inclusive entre os tweets exibidos no programa, com a icônica frase de reaparição da personagem Clara na novela “O outro lado do paraíso”: “Vocês não sabem o prazer que é estar de volta”. 




15 junho 2019

REPESCAGEM NO PCB: TRAÍRAS E TUBARÕES, (A volta dos que não foram), por Rogério Luís Trevisan


Texto recebido em 15/06/2019

Levando ao pé da letra, quem é que quer repescar um peixe que vc já pescou e por algum motivo o descartou nas águas?
Nunca fui a favor dessas repescagens em realities e no PC não seria diferente,... como se explica a volta de alguém que outrora já havia sido rejeitado pelo público?... tudo bem que entre todos os casais rejeitados de qualquer forma, um voltaria mesmo,... Nicobra e Bambi, que venceram uma prova ridiculamente forjada e sem a mínima capacidade do público em poder fiscalizar! pois ficam as seguintes dúvidas, jamais respondidas pelos responsáveis, irresponsáveis!

Qtos corações de 50 pontos haviam na cabine de Bimbi?
Será que a quantidade de corações em suas pontuações eram as mesmas em todas as cabines?
Pq foi permitido que Bimbi, abocanhasse os corações e viesse com as mãos mais cheias deles do que dentro da sacola enquanto o Leo, marido da Debby, foi obrigado pelo Gugu, a descartar apenas um coraçãozinho mixuruca que estava na mão dele?
Pq Nicobra e Bambi, eram os únicos que já estavam trocados, inclusive o Bambi já estava de bermuda antes mesmo de realizarem a prova, como se já soubessem que voltariam pra mansão?...Pois tinham acabado de serem eliminados, e qdo saíram estavam no maior "chiquê". Bambi inclusive estava com um cachecol em seu pescoço!... enquanto os demais casais realizaram a prova, do jeito que chegaram ao programa!
Enrico e sua esposa, podem ser dois embustes, mas em suas reivindicações estavam com a razão, pois deveria ter sido feito um sorteio para as participações dos casais, seria mais justo e gostei muito da atitude deles falarem na cara do Gugu e dessa produção leviana e patife!

Agora por outro lado, foi dado ao público, o direito de repescar mais um casal e novamente seria inevitável que algum casal entre os já rejeitados voltaria e estava na lógica que seriam os piolhos de cobra, Kamilla e Eliéser, um casal de loucos retardados que estavam com sangue nos olhos para voltarem não pelo prêmio, mas sim para gastarem a língua fazendo fofocas de tudo que viram aqui fora, destilando veneno de dor de cotovelo e vingança contra a Mariana e Daniel, e enchendo ainda mais a cabeça vazia da Nicole de minhocas, contando tudo,... mas se a regra é clara, a produção só não explicou que as punições seriam pra casa toda, se Kamilla soltou a língua de tudo sobre o que rolou aqui fora, ela que pagasse a punição com o marido dela, né mesmo? E isso, pq antes de serem repescados, prometeram entrar mais ponderados, focados e que pediriam desculpas por tudo, aos concorrentes pelos atritos e desavenças antes de chegarem a loucura da agressão como fez o sr Eliéser, com o Folhas e nenhuma atitude da produção foi tomada!
SQN,.. pois bastou o primeiro dia de volta a mansão, para que o casal de retardados começassem a surtar e não cumprir NADA do que haviam prometido!
Por isso, sempre fui contra a essas repescagens que são uma tremenda falta de respeito ao público que perdeu preciosos minutos de suas vidas votando pra eliminar os embustes e depois serem obrigados a verem de volta aqueles que jamais deveriam ter entrado, ...nem da primeira vez,...ainda mais da forma como foi feita no PCB, sem credibilidade na lisura das regras da prova.

Mesmo sem essa credibilidade, e percebendo que a produção faz de um tudo pra manter os polêmicos e treteiros no programa em prol de audiência, espero de coração que o público se empenhe novamente, para eliminar esses traíras e tubarões que voltaram na repescagem dessa maré baixa de encalhados na praia, assim que tiverem a primeira oportunidade qdo forem pra DR.
E aconselho aos produtores da rede Record, fazerem sua seleta de concursantes a realities, num hospício ou sanatório, já que gostam e protegem tanto os retardados, desequilibrados, comedores de cocô, dependentes de gardenal 500, e que jogam pedra em avião pra verem se abate!

Foi e está sendo insuportável acompanhar a volta dos que nem saíram dos estúdios e bastidores Record,... foi a repescagem mais ridícula e desrespeitosa que já vi entre todas já realizadas em realities!... LAMENTÁVEL!
Já nem acompanho mais o Play Plus, tudo tem limites, e essa repescagem podre, ultrapassou o meu!... pois não achei meu cérebro e minha paciência no lixão!

Desculpem o meu desabafo, e um tanto já atrasado, mas não conseguiria deixar de relatar minha opinião sobre o fato!

Obrigado! e gde abraço a todos!




14 junho 2019

Power Couple Brasil | Prova das Mulheres, por Sergio Silva


Texto recebido em 15/06/2019

Na prova das mulheres, as esposas pilotavam em um veículo elétrico e duelaram em um circuito que exigia agilidade e pontaria. Os homens estavam suspensos em uma plataforma e precisavam ajudar suas companheiras a identificarem os alvos certos. Se elas não fossem rápidas e boas de mira, os maridos acabaram em um tanque cheio de lama.

Elas tinham que fazer o circuito em um duelo com o veículo elétrico, quem cruzava em primeiro, tinha o direito de começar a estação com a vantagem de dois tiros.

A esposa que perdia o duelo, o marido caia na plataforma no tanque de lama.

A esposa que venceu os dois duelos no grupo, cumpria a prova.

No primeiro grupo estavam Drika Marinho, Camila Colombo e Clara Maia:
Camila 4x1 Drika
Clara 5x0 Drika
Clara 3x1 Camila 
André Marinho caiu duas vezes na lama e Lucas Salles uma vez. Clara venceu os dois duelos e cumpriu o desafio.

Depois vinha o segundo grupo composto por Kamilla Salgado, Mariana Felício e Paula Pequeno. Ficou assim:
Mariana 3x1 Kamilla
Kamilla 3x0 Paula
Mariana 3x2 Paula 
Com isso Folhas caiu duas vezes na lama e o Eliéser uma vez, Mariana venceu os dois duelos e cumpriu o desafio.

E o último grupo composta por Juliana Valcezia, Nicole Bahls e Taty Zatto. Ficou assim:
Taty 3x0 Nicole
Juliana 3x2 Nicole
Juliana 3x0 Tatu
Com isso o Bimbi caiu no tanque de lama duas vezes e o Braga foi uma vez. Juliana venceu os dois duelos e cumpriu o desafio.

Com isso o casal Juliana/Ricardo assumiu a liderança do ciclo semanal com 74.000 e tiveram que escolher Paula/Folhas para não participarem na prova dos casais.

Juliana/Ricardo lideram o ciclo, mas matematicamente ainda não garantiram a suíte power, porque na prova dos casais o vencedor ganha mais 20.000.
Juliana/Ricardo (74.000), Drika/André (64.000), Mariana/Daniel (62.000) e Nicole/Bimbi (60.000).
Qualquer um deles ganhar a prova dos casais podem ser casal power da semana.

Já os casais Kamilla/Eliéser (23.000) e Taty/Braga (zero) vão ter que precisar vencer a prova dos casais para não irem para a DR.

Vamos aguardar a prova dos casais que promete com certeza.



Power Couple Brasil | Prova dos Homens, por Sergio Silva


Na prova dos homens, os maridos tinham que preparar um jantar romântico as esposas.

Para cumprir a prova, as esposas precisaram induzir os maridos para realizarem os desejos delas como fazer um elogio, discordar ou fazer uma declaração de amor. Tudo isso sem perceber que isso faça parte da disputa.

Os maridos tinham que fazer a entrada, pizza, sobremesa e vinho e falar seis palavras de indução que tinha que cantar, assoviar, declarar o amor (eu te amo), saudade, elogio e beijo.

Tinham que acertar pelo menos cinco palavras das seis de indução para cumprirem a prova. Foram sete maridos que cumpriram, sendo quatro acertaram tudo e três acertaram cinco e os outros dois maridos não conseguiram cumprir a prova.

Cumpriram a prova: Alexandre Folhas, André Marinho, André Coelho, Daniel Saullo, Lucas Salles, Marcelo Bimbi e Ricardo Manga.

Não cumpriram a prova: Eliéser Ambrósio e Marcelo Braga.

Destaque para Paula/Folhas que estão liderando o ciclo com 78.000, seguido de Juliana/Ricardo (71.000) e Nicole/Bimbi (70.000), na lanterna estão Taty/Braga (1.000).

Aposta mas alta foi da Taty que apostou 39.000 no Braga, mas não conseguiram e já estão em situação bem complicada com apenas 1.000.

Kamilla/Eliéser que voltaram da repescagem estão em penúltimo (23.000).

Agora é esperar a prova das mulheres para ver como vai ficar os saldos dessa semana.



13 junho 2019

Top Chef Brasil | Antonio Mendes e Thiago Cerqueira eliminados do reality


No programa desta quarta-feira a noite dois dos chefs foram eliminados da competição: Antônio Mendes e Thiago Cerqueira.

Seguem para a semi-final Dadis Vilas Boas, Gabriel Vidolin, Giovanna Perrone e Sheilla Furman.


12 junho 2019

Power Couple Brasil | Repescagem


Ao saírem da mansão do programa, Nicole e Bimbi foram direto para a prova de repescagem.

O desafio, que contou com os cinco casais eliminados até aquele momento, consistia em ficar sobre um praticável redondo e inclinado, que ficava dando giros.

Enquanto isso, o casal deveria pegar corações de diversas cores - cada um representava determinada quantia de pontos.

Nicole e Bimbi acumularam a maior pontuação e garantiram seu retorno à casa. Foi aí que Faby Monarca e Enrico Mansur protestaram, alegando que a situação tinha sido injusta. "Não concordei com esse critério. Acho que tinha que ter tido um sorteio", criticou Enrico, sendo apoiado pela esposa.

Em outra ação relâmpago, foi lançado no site do reality uma enquete, para que o público escolhesse um outro casal para retornar. Ganharam Kamilla e Eliéser, com 38,94%.

Kamilla e Eliéser e Nicole e Bimbi também ganharam outra vantagem: a quantidade que estava na conta do casal, até o dia da eliminação, foi mantida.

Power Couple Brasil | Marcelo Bimbi e Nicole Bahls eliminados com 48,10% dos votos


Nicole Bahls e Marcelo Bimbi são os eliminados do #PowerCoupleBrasil. Eles disputaram a preferência do público com Drika e André Marinho e receberam apenas 48,10% dos votos.


Fonte: R7 



11 junho 2019

Power Couple Brasil | Prova dos Casais, por Sergio Silva


Texto recebido em 11/06/2019

Na prova dos casais precisavam ter concentração e memória sob pressão. As duplas assistiram a uma encenação e em seguida foram lançados nas alturas por um estilingue gigante. Ao retornarem ao solo em queda livre precisaram de foco para responder as questões sobre o que viram na cena.

Foram três cenas com sete perguntas e tinham que responder sim ou não e acumulasse o maior número de pontos.

Houve reclamações de enjoo como a Juliana Valcezia,Clara Maia e Mariana Felício.

E também medo de altura como Marcelo Bimbi e Drika Marinho, mas todos conseguiram cumprir a prova.

Mariana/Daniel e Paula/Folhas ficaram empatados em primeiro com 20 pontos, no critério de desempate, Mariana/Daniel venceram a prova dos casais por causa que tiveram o melhor saldo acumulado (487.000), enquanto Paula/Folhas (413.000).

Mariana/Daniel ficaram livres da DR e vão ter o acesso a árvore do poder que sempre tem surpresa.

Juliana/Ricardo e Drika/André ficaram empatados nas duas últimas colocações com 17 pontos e foi definido o desempate no saldo acumulado geral. Juliana/Ricardo (524.000) Drika/André (295.000) e no desempate ficou Drika/André terminam em último e estão novamente na DR.

Em virtude da vitória de Mariana/Daniel que estavam com zero, Nicole/Bimbi que terminaram o saldo em antepenúltimo (10.000) estão na DR juntamente com Camila/Lucas (2.000).

A 6ª DR formada: Camila/Lucas x Drika/André x Nicole/Bimbi. Quem será que vai escapar da eliminação? Seja pelos casais ou pelo público.

Quem serão os dois casais que vão voltar a disputa no Power Couple 4? Vamos aguardar o resultado dessa repescagem.




09 junho 2019

MasterChef | André eliminado, por Lédson Guimarães



Texto recebido em 10/06/2019

Eu arrisco dizer esse foi o melhor episódio da temporada do MasterChef Brasil até o momento. Foram muitas emoções e muitos preparos de qualidade. Até que enfim! Entretanto, nosso eliminado da vez já foi logo lembrando, no depoimento, que ele chegou com tudo no programa, vencendo muitas provas, e que agora estava em declínio total.

A primeira prova passou tão rápido quanto um delicioso pudim de leite é devorado após um almoço de domingo em família. A Caixa Misteriosa voltou e trouxe frutos do mar brasileiros em meio a um amontoado de ingredientes regionais litorâneos, como caju, limão, pupunha.

Quantidade generosa de opções de empratamento sempre trazem exageros por parte dos cozinheiros, que sempre se esquecem do valoroso conselho “menos é mais”. Foi o que fez André, literalmente utilizou todos os frutos do mar em sua receita. A falta de organização lhe rendeu um caldo de sururu com muita areia, mandioca mal cortada, fritura macia e por cima do caldo. Não prestou e a vaga do brasiliense estava garantida na Prova de Eliminação. E Haila, claro, também conquistou uma vaguinha recheada de esporros por deixar as emoções e saudades de Helton literalmente destemperarem seu ceviche. Pegou logo a chef Paola na veia boa e distribuindo a acidez de um mau humor a torto e a direito.

Mas foi impagável ver Lorena dando um “corte rápido Tramontina” na argentina. Ora, se o prato é de Lorena o ingrediente tem o direito de estar “regionalizado” ao gosto da cozinheira; não é tapioca, é beiju, pronto e acabou! Oxe!

E a moça fez bonito outra vez e ficou entre os destaques positivos da prova ao lado de Fernando e de Rodrigo – que fez o melhor prato trabalhando com cerca de 90% de insumos os quais só conhecia de vista. É como ele gosta de cozinhar em casa.

A Prova de Eliminação veio para judiar. Inspirada no romantismo do chef Jacquin, e convenientemente adiada para o fim de semana de véspera do Dia dos Namorados, ela exigiu todo o esforço dos cozinheiros nos múltiplos preparos de um jantar para dois à moda francesa. Era para complicar mesmo a vida dos amadores, não deveriam servir uma releitura, porém, uma réplica do cardápio reproduzido e finalizado pelo francês.

Há muito tempo o MasterChef já não me causava tamanha agonia como um mero telespectador que se coloca no lugar dos cozinheiros. A aflição por ver o incessante passo a passo do gigantesco menu da aula de Jacquin me teletransportou para a cozinha do programa e deu vontade de desamarrar o avental, virar as costas e dizer “Para mim, chega! Desisto!”

A angústia era visível em cada rosto e gesto nervoso. O mezanino nunca soou tanto como o Paraíso na Terra. Era de se presumir que um apocalipse gastronômico  realmente épico seria testemunhado por nós e provado pelos jurados. 

Ao menos tiveram o bom senso de disponibilizar duas horas para a realização do banquete. Isso somente para quem foi mediano na Prova Individual, porque para os donos dos três piores pratos Rodrigo aplicou (com muita alegria) uma punição de tempo. André teve cinco minutos a menos para cozinhar, Eduardo Richard teve -10 e Haila -15.

O impensável aconteceu e os chefs foram surpreendidos por uma boa remessa de pratos elogiáveis. Haila ficou entre os melhores pratos do dia e também provou do repentino bom humor de Paola Carosella, que felicitou a receita da goiana.

Os piores pratos foram de Eduardo Richard (que está numa maré ruim porém cumpriu todos os requisitos e subiu para o mezanino), Janaína e André. Esses dois últimos erraram a mão em quase todos os pontos da receita. André se atrapalhou bastante na cozinha, teve dificuldades com o caramelo necessário para o topo do bolo, deixou de entregar um importante molho hollandaise, fez uma apresentação feia, frutas amargas e errou o ponto do salmão, o bastante para ser o pior prato de ir e deixar a competição.

Contra toda a recente fase ruim no programa, André pode orgulhar-se por sua participação acima da média e por ser muito querido por seus colegas, pelos chefs e pelo público.

Para melhorar a experiência de assistir a um episódio memorável tivemos a prévia do próximo, o qual, tardia e finalmente, trará de volta os eliminados para a tão querida repescagem.