20 abril 2017

Frank Killer: Atributos III


Atributos III


Creio que você pode atingir um nível satisfatório em análises de pessoas através de seus atributos, não especificamente e não somente de concursantes de RSs, como também em sua vida de relacionamentos na vida normal com pessoas que não estão em julgamento, aplicando uma metodologia de análise.

É claro que as pessoas não precisam saber que você as está julgando com o emprego de métodos e alguns cuidados devem ser tomados para que isso não redunde em colecionar inimigos. Não se trata de falsidade, mas ninguém gosta de ser julgado, ainda mais com métodos sistemáticos e por alguém que faça isso em caráter permanente e obsessivo. Como falei, julgar pessoas é o que fazemos cotidianamente com todo mundo e, nessa circunstância, todos seríamos falsos.


A sabedoria indica que aquele que julga, com as mesmas medidas será julgado e você gostaria de ser bem avaliado em julgamentos com medidas justas. Portanto use medidas justas em seus julgamentos para esperar ser julgado posteriormente com justiça.

Os grupos positivos e negativos de atributo pessoais aglutinam subgrupos que podemos chamar de "Classes de Quesitos" como, por exemplo, do caráter, da personalidade, do temperamento e, da conduta. As classe citadas acima são as mais usuais na análise de concursantes.

Tais classes de atributos não se esgotam nisso e podem ser ampliadas ou diminuídas conforme as necessidades e considerar outras classes que sejam necessárias. Por exemplo, em RH podemos considerar uma classe que se refira à produtividade e ao trabalho eficiente, com quesitos de atributos que atendam essas necessidades nas diversas atividades e tipos de produção ou de atuação, como atenção, destreza, concentração, etc.

Tudo são atributos pessoais como quesitos de alguma classe específica. Você pode estabelecer quantas classes quiser ou que sejam necessárias e esta flexibilidade é primordial ao estabelecer seus critérios de avaliação.

Você pode, inclusive, avaliar um quesito separadamente de sua classe específica, se isso for importante para avaliar pessoas individualmente num grupo de pessoas aspirantes ao mesmo fim. Por exemplo, a ganância faz ou pode fazer parte da classe do caráter, mas quando todos os elementos do grupo são gananciosos podemos avaliar ganância e caráter separadamente e avaliar ambos sem problemas, classe e quesito da classe.

Nenhum (quesito ou classe de) atributo é zero ou 100 em valor e depende da gravidade e da constância e quantidade em que é observado. Cada ato ou atitude enquadrável nisso deve receber uma certa quantidade de pontos, variável de acordo com esses parâmetros quantitativos e qualitativos, mas sempre o mesmo número de pontos para cada quesito ou classe para cada ato ou atitude denunciadores.

Em outras palavras, honestidade não vale 100 no máximo quando o máximo para lealdade vale 300, ou vice-versa ou enquanto fidelidade vale 5 no máximo. Por exemplo, dar a bênção do Anjo para alguém não é enquadrável no quesito "Honestidade" e se fosse teria que ser quantificado e qualificado de maneira justa em relação aos outros quesitos.

Um crime tem atenuantes e agravantes, classificações de dolo ou não, oportunidade, fator desencadeante, etc. O mesmo acontece com classes de atributos e seus quesitos. Idade é um fator atenuante ou agravante dependendo do caso. Um menor de idade é inimputável, por exemplo, e a linha divisória para atributos não é uma linha definida por lei, diferentemente dos crimes envolvendo jovens.

Para crimes e delinquentes a Lei estabelece um limite de imputabilidade, mas a mesma não existe para julgamento de atributos pessoais. Você é quem deve estabelecer tais limites e em minha opinião esses limites estão mais acima em idades.

Existem pessoas com mentalidades pobres aos 70 e imaturos com 40 anos de idade. A única característica que depende diretamente da idade é talvez a experiência, mas esta experiência não é igual para duas pessoas da mesma idade e, a mesma coisa acontece com sabedoria, cultura, educação, etc, onde algumas não dependem diretamente de idade.

Sua análise é quem define essa linha ou tais linhas e essa definição define você como analista. Tenha isso em mente. Na mesma ordem de ideias, você define dolo, oportunidade, desencadeante, etc, em sua análise de atributos. Por isso, é mais difícil julgar atributos do que crimes, e os juízes geralmente falham nisso, isto é, no que não está regulamentado e, é a razão pela qual precisam ter reputação ilibada.

Entrarei com maior profundidade nos quesitos das classes de atributos nos próximos posts desta série e você verá que nem sempre se pode julgar uma pessoa por um ou dois atributos apenas enquanto julga outras por todos os atributos pensáveis.

A razão para isso é que você não é o único julgador e que milhões de outras pessoas também julgam, com critérios diferentes dos seus. Se você pretende fazer um julgamento que seja tanto quanto possível universal e preciso aos olhos dos demais, precisa atentar para esse detalhe, pois em caso contrário estará sempre entre perdedores e com visões exóticas.

Dessa maneira você evita avaliar e opinar com empatias e inclinações falhas. No próximo post falarei um pouco sobre a equidade entre os quesitos a serem avaliados. É muito importante não superdimensionar um deles ou sub dimensionar.




"Ricardo Ferreira Paizan 18 de abril de 2017 15:34, 18:47
Texto profundo! Precisa de tempo para ir "digerindo"! De qualquer forma, parabéns!

OBSEVAÇÃO: Fiz esta postagem para apagar o anterior porque estava em local errado.

Frank Killer, parece-me que você realmente é o melhor analista da "alma humana"... Fiquei pensando...: É possível "estudar" para ser campeão do Big Brother Brasil (da mesma forma que alguém estuda para fazer o vestibular)? Ou a vitória está intrínseco a personalidade da pessoa (portanto somente alguns privilegiados poderão ganhar Realities)?
-
A título de exemplo: se, eventualmente, você fosse a este programa, então, venceria?
-
OBSERVAÇÃO: Presume-se que o "processo seletivo" é idôneo (não exista fraudes)."


Vamos de trás pra frente. Em primeiro lugar o processo não é seletivo e nem idôneo. Alguns concursantes são convidados a participar e, não selecionados entre os inscritos. Existem fraudes e QI ("Quem Indica", tráfico de influências - TI) envolvidos.

Não existem fórmulas para vencer um RS. Existem estratégias que poderão ou não dar certo em vista de casualidades. Certas estratégias visam não ser eliminado nas primeiras semanas. Outras em conseguir ir até o meio da temporada e outras para chegar à Final. Vencer nesses casos em uma Final, só é possível com um "empurrãozinho" dos realizadores ou da Direção.

Não sou analista da "alma humana". Sou no máximo analista de atos e atitudes de uma maneira mais ou menos metódica. É possível estudar para fazer uma boa análise, mas não é possível estudar para ser um campeão, pelo menos é o que penso.

A vitória depende não só das personalidades dos candidatos, mas também leva em conta caráter, temperamento, conduta, convivência e vários outros atributos e quesitos dentro das classes citadas. As pessoas que estão bem situadas dentro desses quesitos estão com chances de vitória, mas precisam também ter sorte ou caírem nas boas graças dos realizadores.

Eu jamais sairia vencedor nesse programa, isto é, vencer em uma Final. Considero-me racional demais e pouco materialista para competir por dinheiro. Meus princípios não têm preço, ou melhor, não há dinheiro suficiente no mundo e ninguém tem caixa para pagar. Eu renunciaria em meu primeiro Paredão em favor de meu competidor, mesmo que não gostasse dele ou não visse méritos nele para ganhar o concurso.

Por tudo isso, a chance de participar de um BBB é zero. Não ando atrás de notoriedade, visibilidade, fama, dinheiro ou fãs. Sou antissocial nesse aspecto e prezo minha privacidade e intimidade familiar e, não há dinheiro que pague isso. Não sou feito para os holofotes e "hot-spots". Minha luminária é o sol e minha liberdade é fundamental para os meus pensamentos.

Não trabalho por dinheiro e nunca fiz depender minha capacidade, talentos e meus trabalhos e missões dos meus salários.

Detalhe: também não aceitaria dirigir e nem participar de programas na TV realizadora ou em qualquer outro canal comentando RS e seus concursantes. Os comentaristas que aceitam isso estão em minha opinião atrás de visibilidade e vendendo suas opiniões. O máximo que aceitaria é dirigir um RS, mas com absoluta carta branca, que ninguém daria.

Tudo na TV é faz de conta com cenários bonitos, coloridos e vistosos pela frente e feiuras por trás ou nos bastidores. Tudo gravita em função de patrocínios e competição por audiência, que ao final redundam em mais patrocínios.

Finalmente, se ser decente, honesto, leal, nobre, humanista, humilde, sensível, bondoso, etc, constituem privilégios de poucos, então pouco estariam aptos a vencer um RS, mas um RS é fundamentalmente comparação entre um punhado pequeno de pessoas que, eventualmente ou quase sempre não são modelos de virtudes. Então as chances de alguém sair vencedor se elevam a potências inimagináveis.

"Maria oliveira pontes 18 de abril de 2017 16:59
Frank esse bbb foi pior que em um tribunal,porque no tribuna o Juiz ouve se o réu,as testemunhas,ai julga condena a base de provas,nesse bbb a pessoa foi condenada a morte na cadeira elétrica,por achismo,eu não gosto dela,eu vejo que ela é assim assado,ela é mimada,e tem muita alta estima isso é errado,ela é chata,seduz os homens,por todos esses crimes ela foi condenada a cadeira elétrica,sem provas,sem testemunhas só teve juízes...Quanto a ela perder o prêmio acho difícil porque:os fãs dá Vivian se preocuparam em aumentar a porcentagem dela nas pesquisas achando que se a globo visse as pesquisas iria dá o prêmio pra Vivian pelas pesquisas, e esqueceram de votar no site oficial, nós voltamos direto dia e noite no site oficial e várias amigas fizeram a mesma coisa,tenho uma amiga no Sul que tem muitos netos pós todos pra votar direto,ela mora numa cidade ao lado dá Emily,a Vivian conseguiu quase no final os fãs que teve e os ex participantes que saíram não tinha tantos torcidas assim pois quase todos saíram com rejeição,se tinha tantas torcidas assim como saíram rejeitados, então os votos dá Vivian foi o que ela conseguiu já no final,e os 1% dos que saíram,só o Ilmar que não são com rejeição,que por sinal fez aquele escândalo todo com o filhinho e deu uma entrevista que ainda não encontrou o filho que saudade desse filho."


Né?

"sara 19 de abril de 2017 14:40
Oi Frank, gostei e gosto dos seus textos, leio quando posso, e gosto de comentar quando acho que devo.Porque sei que você respeita a minha visão.
Os outros textos de outras pessoas do blog eu leio sim, mas não dou minha opinião, porque cada um pensa de uma maneira e eu não gosto de divergências. Que venha mas textos. Paz e Luz! bjuss"


Paz e Luz, Sara. Beijos.

"Maria oliveira pontes 19 de abril de 2017 14:41
Nossa Frank falou e escreveu bonito parabéns,já te disse uma vez que não comentaria muito nos seus post porque você usava palavras difíceis e eu teria que recorrer ao dicionário,mais aí você me mostra que também escreve com palavras mais populares,aí passei a te entender melhor,e você nos seus comentários sempre escrevia e pensava o mesmo que eu,só que não sei escrever bonito e correto como você, e não saberia botar no papel como fez tão bem e bonito de se lê,esse post de hoje você mais uma vez arrasou falou e escreveu bonito parabéns parabéns fique tranquilo eu nunca te dei os parabéns querendo aparecer, você arrasou nesse bbb o do ano passado eu não lembro muito porque tenho esse defeito seis meses depois esqueço do bbb esses ano ainda estou porque participo dos grupos dá Emily por isso ainda comento mais pretendo sair e continuar com a minha vida, parabéns mais uma vez é de coração parabéns e abs."


Sei que você está sendo sincera e sem segundas intenções, Maria. Por isso é que quase sempre venho destacando seus comentários. Abraços.

"pedrosa. 19 de abril de 2017 15:37
Frank, gosto muito dos seus comentários, mas eu posso estar enganada. O Marcos não disse que sairia do jogo para a Emilly ganhar, ele disse que sairia da última prova, se ficassem os dois e aí ela seria a lider e finalista. Teria mais um paredão, provavelmente entre Marcos e uma das outras duas e com certeza (agora é a minha opinião) ele ficaria. A final seria entre Emilly lider, Marcos e talvez Viviam (ou Ieda). O que eu acho é que a globo quria ter certeza que viviam ficaria na final então arrumou um motivo para sacar o Marcos, garantindo assim o 2º lugar da viviam. Penso até, que haveria uma dr para que eles escolhecem quem iria ao último paredão. A Emilly iria querer a Viviam e o Marcos a Ieda. Eu preferiaiviam, mas a globo não quis. Adoro seus comentários e me identifico muito com suas idéias. Parabéns."


Marcos falou inúmeras vezes que achava que a Emilly merecia ganhar o RS, mais do que ele. Só passou a achar diferente após presumivelmente ver que tinha chances de ganhar. Foi o mesmo caso do Mamão que, este sim, nunca achou que a Emilly merecia mais do que ele.
Ele queria enfrentar a Ieda, porque achava que ele ou Emilly teriam mais chances contra ela num Paredão, o que é verdade. Minhas desconfianças aumentavam à medida que o via impassível assistindo os demais atacando-a sem que ele movesse uma palha para defendê-la. Seus "conselhos" para ela também pareciam tentativas de queimar o filme dela de uma maneira que parecia honesta e "inocente".

Emilly passou a perceber que ele estaria mentindo quando o mesmo passou a defender uma Final com ele, Emilly e Vivian e que a decisão teria que ser do público, não dele. Anteriormente ele sempre dava a entender que daria a vitória para a Emilly. Em meu entender "dar a vitória" seria renunciar para ela ganhar. Isso é lógica e os realizadores possivelmente viram nisso uma tentativa de ridicularizar o RS e procuraram se garantir contra isso. Também é uma lógica.
Se ele estava mentindo desde o princípio foi o que ficou mais ou menos evidente e que tudo não passaria de uma estratégia para enganar trouxas, entre os quais incluía a própria Emilly, que esteve sempre com um pé atrás sobre o que ele falava para ela. Por sinal, a briga final entre o casal teve esse fato como estopim. Dei o benefício da dúvida a ele até que suas palavras pudessem ser comprovadas com atos e atitudes concretos.

Nessa briga final ele tentou fazer parecer que ela era interesseira e que o romance entre os dois tinha isso como finalidade. Ele sempre soube que ela queria ganhar e não seria justo assacar isso contra ela. Se não era o caso, não parecia ou passou a não parecer. Obrigado.



Vamos filosofar um pouco! Estamos falando de RSs? Sim, claro. Mas o que é RS, senão a Realidade como a conhecemos. Há quem diga que toda realidade é "Maya", ilusão. Num plano altíssimo não estaríamos todos sendo concursantes em um RS?

Quem nos garante que não estamos sendo analisados por seres muito superiores e mais avançados do que nós, reles mortais? Quem nos garante que não estão aplicando sistemas de avaliação metódicos e muito eficientes?

Quem nos garante que não estão utilizando apreensão telepática para auscultarem nossas intenções e atitudes? Sim, a comunicabilidade (para fugir de "comunicação") telepática é uma possibilidade no futuro, talvez distante para nós, mas já alcançada por tais hipotéticos seres.

Se você acredita em Deus, sabe que Deus tem poder para fazer isso, mas não quero falar de Deus, a não ser como parâmetro. Seria o caso de dizer que somos concursantes para Ele. Mas Deus estaria fora disso e presumivelmente tem preocupações ou missões mais nobres numa escala ininteligível para nosso pobre intelecto.

O Universo e Deus são eternos e infinitos em tempo e magnitude, talvez as únicas coisas existentes eternas e infinitas. Existem o espaço e o tempo absolutos e coexistem com Deus. No Universo infinito há espaços e setores onde infinidades de Big Bangs ocorreram e ocorrem e não é um fenômeno ocorrido apenas em nosso setor do Universo infinito.

O espaço-tempo do Big Bang é um fenômeno dentro dos conceitos limitados do homem, mas não anula o espaço e o tempo infinitos e eternos absolutos. Dentro dessas infinitudes e eternidade o atual Big Bang ocorreu há apenas milionésimos de segundos na escala de tempo e da duração desde o "Fiat Lux" de Deus, o que realmente criou tudo o que há no Universo infinito, mas o espaço e o tempo absolutos eram pré existentes, e Deus.

Esse tempo e espaço são desconhecidos por nossas mentes, mas não significa que são inexistentes. O espaço-tempo de alguns dos físicos e cosmólogos são apenas quimeras de mentes estreitas céticas e incapazes oriundas de horizontes de eventos e singularidades limitados. A única singularidade real é Deus, que é a única causa eficiente e incausada.

Não vale a pena esticar esse tema, que vai longe, mas é apenas suficiente o que foi dito, para aquilatarmos que podemos ser concursantes de um RS extraordinário em que podemos ter nossos pensamentos avaliados por seres distantes em algum recanto do Universo infinito, que se divertiriam e nos usariam como entretenimento, votando entre eles e nos eliminando em "Paredões" ou nos conduzindo a uma Final em que apenas um sairia vencedor.

Se você quer chegar à Final desse RS ou vencê-lo, fique esperto e faça por onde!


2 comentários:

  1. Texto profundo! Necessita-se ir voltando e relendo para ir "digerindo"! De qualquer forma, parabéns!
    -
    Agora percebi que foi aberto espaço para o debate, necessita-se de texto para dimensionar os "efeitos colaterais" de participantes do BBB.
    -
    Ao clicar em "Meu passado me condena 5 ex-BBBs que se arrependeram do reality" (acesse: http://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2017/01/18/meu-passado-me-condena-5-ex-bbbs-que-se-arrependeram-do-reality.htm?foto=1 ), o caso mais grave é de Elenita Gonçalves Rodrigues (na época, professora) e como consta no BOL:
    -
    Perdi credibilidade e dinheiro - Na décima temporada, uma participante destoava da maioria dos perfis já apresentados: Elenita Rodrigues, doutora em linguística e professora universitária. Ela caiu no esquecimento e falou: "Perdi credibilidade no círculo acadêmico e fui vetada em quase todas as bancas de que participava e que constituíam duas, três vezes o valor do salário que ganho agora".
    -
    Com o máximo respeito, por que esta professora "perdeu a credibilidade" depois que participou do BBB10? Será que me falta "malícia" para entender o porquê disso?
    -

    ResponderExcluir
  2. Frank,
    Há algumas temporadas de RS tento, com intensidade (leitura e releitura) acompanhar seus textos e entender seus critérios de avaliação e seu raciocínio. Hoje, declaro-me incapaz de conseguir meu intento. Quando percebo alguma objetividade narrativa, empolgo-me: "Achei o caminho." Mas, em seguida, você discorre sobre discordâncias ou concordâncias com suas ideias. Digo que, sequer, consigo concordar ou discordar. Seus textos fogem à estruturação semântica que me seja familiar. Assim me parece. Não pretendo criticar negativamente. O fato de ser leitora assídua de diversos pensadores, críticos e filósofos não me qualifica como boa leitora. Posso ler mal... Só, que penso compreender o suficiente para concluir favorável, desfavorável ou reflexivamente sobre cada texto lido. O mesmo não ocorre com seus textos. De costume, eles me levam ao vazio literário. Imputo-me a responsabilidade desse vácuo. Com certeza, não sei ler seus textos tão elogiados e exaltados por leitores, talvez, tão assíduos quanto eu. Minhas expectativas frustram-se. Em nada altera a minha ou a sua vida. Só registro o fato para que eu não vivencie essa experiência sem compartilhá-la com você, autor de minha frustração. Desculpo-me (se for este o verbo correto) para que não me veja agressora. Mas, na verdade, apenas lamento.
    Gostaria que não publicasse este e-mail, já que nos dá esta opção. E, sobretudo porque minha ideia não é aparecer.
    Obrigada por me ler.
    Juçara

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html