10 abril 2015

O que faltou dizer de Cézar



"À Cezar o que é de Cezar"

O enigmático Cezar Lima inaugurou uma nova modalidade de jogo. BBB profissional.

Acho que ninguém duvida de que tudo nele foi ensaiado exaustivamente para reunir em uma única pessoa todos os clichês que consagraram campeões em edições anteriores, acompanha comigo:

O articulado - mesmo pesando totalmente a mão nos seus colóquios 'estrogonoficamente' puros e verdadeiros para a audiência, agradou;
O astuto - que lê o jogo muito bem, e Cezar foi um grande observador;
O azarado - quer maneira melhor de despertar a compaixão do público? Algumas desistências ou mau jogadas de Cezar em provas me despertaram suspeitas...
O boy magia - repararam como ele ficava sem camisa quase todo o tempo, naquele frio congelante de estúdio?
O carismático - em BBB isso significa ser Cowboy, o chapéu marca registrada não pode faltar;
O confiante- a fé remove montanhas e revelar sua fé conquista a audiência;
O gentil - todos reconheciam sua boa educação;
O humilde- o que tem a história mais triste, o que adora exercer o coitadismo;
O perseguido - pela casa, cinco paredões consecutivos. Participou de pelo menos dois duelos de titãs, ao ir ao paredão contra Mariza e Adrilles, o que o fez se sentir tão fortalecido que começou a desejar enfrentar os adversários que restaram para testar sua força, o que é muito arriscado, mas também é corajoso e geralmente surte o efeito desejado na resposta do público;
O político - eternamente em campanha, discursos ensaiados de efeito e diplomacia total ao não tomar partido nenhum;
O sensível - chorou várias vezes para a câmera e discursou emocionado que seu coração era puro e verdadeiro tantas vezes que a gente até acreditou;
O rejeitado - pela mulher que escolheu, Tamires. Tentou engatar um romance com ela no início, mas recuou no dia que ela alardeou em uma festa que queria beijá-lo. Porque, né, será que o roteiro do rejeitado dá mais ibope do que o do casal casual?
O religioso - ser temente a Deus e creditar à Ele os desdobamentos do jogo também conquista a audiência;

Mas para mim, mesmo com todo ensaio, alguma coisa em Cezar parecia não fazer sentido, a dualidade tão marcante me deixou dúvidas sobre quem ele seria de fato. Cezar se mantinha um enigma.Total.

Ingênuo? Ou muito esperto? Fake, montado em personagem? Ou realmente assim? Muito pobre? Ou com condições até para fabricar aqueles músculos em academia e whey protein, o que não é nada baratinho? Aqui abro um parêntese, isso não faz a menor diferença no meu critério de avaliação, ok? Se a pessoa se sujeitou a dar a cara à tapa em Rede Nacional, deve estar precisando muito, seja lá do que for, portanto, não importa a condição financeira, é merecedor. Fecha parêntese. O que não pode é fingir ser tão pobrinho que mal tem pra comer, para despertar a complacência do povo. Não estou afirmando que ele fingiu, apenas exemplificando que coitadismo e vitimização é um jogo medíocre demais... Tá, ele até teve alguns motivos, não ganhou nenhuma prova até a final (estranho) e amargou semanas eternas de Tá com Nada, mas isso a gente credita na conta da falta de sorte, não precisa apelar com história triste, né? E o tal segredo? O que foi aquilo, sério? Jogada de mestre pra chegar na final, pois só então seu grande segredo seria revelado? Falando nisso, alguém já descobriu o tal segredo? Que não seja ser filho do Espírito Santo, por favor.

Tentou descaradamente plagiar Kleber Bam Bam e Maria Eugênia - que por sua vez estava plagiando Tom Hanks e Mr. Wilson em O Náufrago, não tenho dúvidas, rsrs - ou ele nem sabia porque deixou bem claro várias vezes que só passou a acompanhar o programa a partir da segunda edição? Coincidência? Ou conveniência?

Também me causou desconforto que ele não tenha dividido suas emoções.
Ele não se revelou e nem se interessou em conhecer bem os brothers confinados no mesmo ambiente que ele 24h por dia, por semanas, por meses!
Não se envolveu, não se doou, todo intercâmbio com o outro foi superficial. Viveu à parte em auto isolamento, muitas vezes dando a impressão de ser apenas um robô programado para falar sem controle uma língua que lembra a portuguesa, mas é muito mais complicada, cada vez que a câmera, ou Bial, era o interlocutor.
A desculpa de não fazer alianças não é suficiente para não interagir. Muito pelo contrário, quem não faz alianças pretende transitar bem em todos os grupos. Cezar na verdade não transitou em nenhum.

Acredito que nem seja preciso me estender no teor dos intermináveis e ininteligíveis discursos "paraamassabrasileiraquenosacompanha", em uma 'inoxidável' e inédita campanha declarada de marketing pessoal  que deve ter deixado os marketeiros dos políticos brasileiros boquiabertos com tamanha competência, LOL.

Por não ter amigos, situação que ele se auto infligiu, falou sozinho o tempo todo. Falar sozinho em RS é o primeiro passo da cartilha para agradar o público, pois descaradamente dá recadinho para a audiência e não tem a imprevisível réplica do outro para administrar. A pessoa diz o que quer sem ninguém interromper ou distorcer, olha que prático?

Falar no confessionário com o olhar abaixado, sem mostrar os olhos, também me incomodou. Os olhos são importantíssimos no ato de falar, só não digo fundamentais porque fundamental é a boca, claro, rs. Mas os olhos são a janela da alma, não dizem por aí? Por muitas vezes entendemos muito melhor um olhar do que uma palavra, e muitas vezes a boca não diz nada mas os olhos dizem tudo. Então, quando não vejo os olhos fico pensando porque, né, a pessoa os está escondendo...

Mas... por outro lado, será que isso pode ser traduzido em timidez? Ou humildade, sei lá?

Nas semanas finais do jogo, quando começou -finalmente!- a interagir, principalmente com Mariza, comecei a vê-lo com olhos mais complacentes e baixei um pouco a guarda, procurando ver a pessoa atrás do personagem.

E consegui enxergar um matuto esforçado, ambicioso, esperto, inteligente, determinado - tem que ter muita determinação pra ouvir dez nãos e continuar tentando, já que ele só conseguiu entrar no programa na décima primeira tentativa - gentil, meio azarado, bronco mas sensível, tímido, desajeitado, muito doido com essa "verborragia câmeral em politiquês do século passado", entendeu? Nem eu, LOL.
Tosco, estranho, tudo bem, mas de certa forma adorável, não?

Cezar é um enigma tão complexo que até por fatores inerentes à sua vontade, como sorte ou azar, foi dúbio. Foi azarado o suficiente para não ter ganho nenhuma liderança ou anjo e nem mesmo provas de comida, ocupando vaga quase cativa no grupo da fome, o que desperta a compaixão do público e que no final das contas caracteriza sorte e não azar, né? E também teve sorte suficiente para vencer uma única prova, só que a mais importante de todo o jogo, a vaga na final. E a Sorte das Sortes, participou de uma edição com o jogador mais atrapalhado de todos os tempos, Fernando, aquele que poderia ter sido mas não foi e que eliminou do jogo dois fortíssimos candidatos ao prêmio por mérito, e preferidos da maioria do público, o adorável casal #Madrilles. Cezar cresceu e apareceu como antagonista do protagonismo forçado de Fernando, conquistando milhares de fãs alucinados que poderiam nem ter reparado nele direito caso Fernando fosse um jogador correto.
E por causa das péssimas jogadas de Fernando, foi para a final com a vilã da edição. Tem maior sorte que essa? Fala sério!

Seu grande mérito foi apenas estar no lugar certo na hora certa. Olha que louco, as dez tentativas frustradas de entrar foram fundamentais para que ele um dia fosse consagrado campeão deste jogo ao invés de voltar pra casa como mais um cowboy condenado ao ostracismo e  esquecimento. Se ele tivesse conseguido entrar em outra edição com outro elenco não teria chegado onde chegou, simplesmente porque nunca uma edição teve tantas jogadas inesperadas que mudaram totalmente o curso do jogo. Nunca antes tantos favoritos - apenas dois,  os poucos que se conseguiu nesta edição, mais um fator de sorte - foram eliminados a poucas semanas da final por causa de jogadas inacreditáveis, inéditas, e burras!

Sendo assim, dá até pra se conformar com a sua vitória. Porque, vamos ser justos, ele não prejudicou nem tripudiou ninguém, mesmo com todo bullying que sofreu. Fez o jogo dele, totalmente declarado com a tal "verborragia câmeral" e com a subida no muro, ou, para quem preferir, a não formação de alianças. Apesar de que vamos combinar que não se envolver nem se comprometer é uma forma muito fácil de se proteger, pois evita confrontos que costumam ser julgados com rigor. Mas mesmo não sendo corajoso como deveria ser um campeão, foi um jogo limpo, olha que lindo! Palmas pra ele.

E para quem desejou como ele entrar no BBB, para quem se preparou como ele estudando a fundo as edições anteriores e o comportamento dos campeões até encontrar a fórmula que o levaria ao sucesso, para quem sonhou e perseguiu o sonho obstinadamente sem desistir, o Universo conspira a favor, e neste caso entregou à Cezar o que era de Cezar.

Mas o enigma chamado Cezar ainda não foi decifrado por mim. E acredito que por muitos também não.

Curiosamente, no primeiro dia, meu marido, que não acompanha o programa, deu uma paradinha em frente à TV e profetizou, "esse cara aí que vai ganhar o jogo". Perguntei de onde vinha tanta certeza e ele disse, "parece humilde e entrou usando um chapéu de cowboy".

Então tá, estava tão na cara que até quem não vê o jogo, sabia. Porque né?!?





Como um bom concurseiro, Cézar se preparou muito para o certame que enfrentou nesse início de 2015, não só para conseguir entrar, mas para passar no estágio probatório a que foi submetido durante esses 3 meses.

Em sua vantagem tinha sua própria história de vida, passado difícil e vida agrária, que já facilitaram sua aprovação por “cota” nesse BBB, que sempre tem suas cotas a cumprir, por mais que se proponha a fazer algo de diferente sempre acaba aprovando os mesmos perfis, o que de certa forma facilita aos examinadores na hora de avaliar o desempenho dos candidatos, já que o padrão é o mesmo todos os anos.

Durante 11 anos Cézar estudou os métodos de outros que também haviam passado no mesmo concurso, afinal para o sucesso de um concurseiro metodologia é tudo, ele tem que saber exatamente o que a banca examinadora espera dele e focar seus estudos nisso para se fortalecer, portanto não adiantava pegar o método descompromissado de outros participantes do concurso que nem haviam obtido êxito, não, ele focou nos vencedores.

Observou que esse certame buscava uma “volta as origens” em referência ao primeiro concurso, o BBB 1, e então viu que precisava emular o seu vencedor, se portando como uma criança que esqueceu que havia crescido, conversando com seu amigo inanimado. Havia inerente a si outras características de vencedores, por ser “cowboy”, porém as enalteceu ainda mais na hora de se expor aos examinadores, já que ao conversar com os demais candidatos se portava de maneira mais contida.

O maior trunfo de Cézar foi perceber que o segredo em um concurso é garantir seu próprio sucesso e não se preocupar com o nível dos demais candidatos, entendeu que por mais vagas que existam, o concurseiro só precisa de uma, que é a dele. Portanto, se os demais candidatos quiserem burlar as regras do certame, ou se queimarem entre si, então que o façam, desde que não retirem a sua concentração e a sua retidão durante a realização da prova. E era esse o seu segredo, e foi isso que os demais candidatos não perceberam e por isso foram reprovados.

Cézar, acostumado com provas em que um erro anula um acerto, aproveitou para deixar várias questões em branco para evitar perder sua vantagem, quando parte dos candidatos apostava em uma e a outra parte apostava em outra, na dúvida, ele deixou em branco, ou as vezes até escolhia aquela em que ninguém apostava, conseguindo interpretar o concurso melhor do que qualquer dos outros. Sendo assim, até a última prova do líder não ganhou nenhum prêmio, deixando de “marcar algumas” apenas para que elas não diminuíssem a sua nota no final.

Na prova oral era que Cézar Lima se sobressaia, e para isso fez uma colcha de retalhos da mais diversificada, utilizando desde termos de programas de rádio do interior, como o “estrogonoficamente sensível”, “inoxidável” e “cabriocárica” que podem ser vistos no vídeo Rei do Elogio, sucesso no Youtube, até utilização de expressões de um poeta britânico, William Ernest Henley, como “senhor do meu destino” e “capitão da minha alma”. O melhor é que conseguiu até convencer os examinadores de que todo esse vocabulário era inventado por ele, mesmo que nunca tenha alegado sua autoria.

Cézar Lima pode até não ter gabaritado a prova, já que muitos examinadores perceberam que seus conhecimentos eram a base do “decoreba” e não de real comprometimento com as regras de convivência do certame, porém dentre os demais finalistas foi o que mais acertou.

Pena que nem todos os examinadores consigam perceber que preencher os quesitos de forma correta nem sempre significa possuir verdadeiramente as qualidades exigidas pelo cargo, mas no final das contas Cézar conseguiu sua estabilidade no rol de vencedores do BBB e receberá seu salário de 1,5 milhão no final do mês.





Cézar de Perdedor á Ganhador!

Cézar Lima teve uma trajetória tranquila, calma, Zzzzzzz, divertida e independente no BBB15.

No começo do jogo pouco se notava Cézar com tantos participantes diferentes. Ele era comum ao primeiro olhar e tinha cara de quem seria logo eliminado. Seu estilo caipira e simples o tornava uma figurinha repetida no BBB. Ele foi uma mistura de alguns ganhadores, como quando ele apelava para o público e pedia por diversas vezes para continuar por que necessitava do prêmio pois era de origem pobre, sofredor e citava algum ou alguns membros da família ao qual comovessem o público, ai ajoelhava agradecendo, isso tudo igual Bambam (BBB1), Cowboy (BBB2), Dhomini (BBB3), Cida (BBB4), Mara (BBB6) e Fael (BBB12) fizeram.

Em alguns momentos ele se mantinha isolado e pensativo igual Dourado(BBB10) e em outros queria socializar, criar ligações afetivas, fazia palhaçadas e fingia conversar e entender um objeto no qual fingia acreditar ter vida igual Bambam e Fernanda fizeram. Ele soube misturar tudo isso em um novo participante que não deixava de ter seus gostos, preferências, seus defeitos e suas qualidades.

Cézar se definia como "dono de seu destino, capitão de sua alma" se mantendo invisível na casa ele conseguiu escapar dos primeiros paredões, até mesmo os participantes não perceberam muito ele ali até a 3° semana quando começaram a questioná-lo sobre seus votos que sempre eram imprevisíveis, ninguém fazia noção de em quem Cézar votaria o que era visto como um voto coringa podendo ou não intervir em um paredão. Mas Cézar fez esse jogo e isso ajudou ele a não virar alvo de votos, já que haviam nitidamente dois grupos na casa, ele se manteve fora dessa guerra de alianças e se deu bem até a 4° semana ali os participantes começaram a desconfiar e duvidar dele por causa de sua estratégia considerada demagógica e introspectiva, raramente desabafava com os outros brothers mas fazia longos discursos ao vivo.

O jeito de falar de Cézar foi uma de suas marcas e fez com que ele se destaca-se no programa. Ele usava muitas palavras difíceis, algumas delas até mesmo inventadas por ele, sempre ultrapassava o limite de seu tempo de falar ao vivo o que obrigava Bial a interromper seus longos e cansativos discursos. Além disso era algo que o beneficiava pois demonstrava que tinha vontade de ganhar e queria falar mais com o "povo brasileiro".

Foi crescendo e se tornando um dos favoritos. Também foi ajudado pelo erro dos outros participantes. Luan ao se exaltar contra Amanda e Adrilles perdeu torcida, Rafael ao não se mostrar totalmente verdadeiro tendo momentos de explosão e calmaria, Fernando que estava bem no jogo começou a mostrar um lado de mal caratismo enorme, Tamires ao ter desistido, Amanda que se entregando para Fernando perdeu muita torcida e ganhou rejeição, tudo isso contribui para que Cézar ficasse cada vez mais forte.

Apenas Adrilles e Mariza não haviam cometidos erros graves e eles dois eram os únicos que estavam no caminho de Cézar até chegarmos ao paredão Cézar x Mariza que definiria o vencedor do BBB15. Ambos eram os grandes favoritos ao prêmio e eram totalmente diferentes um do outro tendo poucas coisas em comum como a bondade, a humildade e o respeito.

Cézar poderia ter perdido ali e ter encerrado sua trajetória sem muito destaque, sonhos e todo aquele estudo sobre BBB seria em vão mas ele venceu Mariza e ficou com 49.78% eliminando a querida Mariza com apenas 50.22%. Claro que naquele momento ele havia vencido o BBB, depois só faltou eliminar o Adrilles que saiu com 65% mesma porcentagem que Cézar Venceu.

As últimas palavras que tenho a dizer sobre o Cézar é que eu antes jamais imaginei que ele venceria, mas aprendi a torcer para ele nesta reta final pois ele era o menos pior e se demonstrava uma pessoa do bem, mesmo sendo antissocial soube se aproximar e gostar das pessoas certas (Adrilles e Mariza), soube jogar e ele vencer foi até que válido nessas circunstâncias. Mereceu por que não precisou pisar, usar ou manipular outro brother, foi justo em alguns momentos e soube enxergar o jogo, soube se esquivar dos paredões e em quanto o Fernando achava que estava com o prêmio na mão e dominava a situação Cézar estava ali para atrapalhar o Vilão.

Enfim, Cézar Lima soube nos divertir nas festas com suas dancinhas estranhas, cantorias um tanto engraçadas e caretas, rsrsrsss. Ele pode não ter sido o mais merecedor de BBB mas também não foi injusta sua vitória.

Avante Cézar, missão cumprida. Deram o que realmente pertencia a Cézar.




Eu sempre fui Fanática, pelo Big Brother Brasil. É um tipo de Vício: Admito. Jamais poderia ficar sem assistir a Dinâmica do "Jogo", acompanhava todas as Provas de Resistência e Festas até o Fim. E adorava analisar o Perfil de cada Participante. Mesmo na Época em que eu não tinha o PPV. Mas mesmo assim, em quase todas Edições,  consegui acertar  "Quem seria o Vencedor ". Todos que acertei, eram os meus Favoritos. Comecei a ter PPV no BBB 7, o BBB do Alemão .

Eu sempre entendi que a Proposta do Programa, era um "Jogo" mas, de Convivência. Inclusive o Bial fazia questão de falar sobre isso, várias vezes durante 14 Edições. E sempre lembrava aos Participantes, que mais valia neste "Jogo", usar o Coração em vez da Razão.

Por isto tudo, sempre acreditei que a Vencedora merecidamente, seria a Mariza. Isto tudo, é para dizer que o Objetivo do BBB 15, foi exatamente o Contrário. Pelo menos para o meu entender.

O Cézar, Vencedor desta Edição, fez tudo ao contrário da Proposta do BBB. Como se mostrar Verdadeiramente, sem a Convivência com os outros Participantes? Sem Conversar muito, sem Discutir? (Conseguiu uma Briga com a Angélica durante uma Prova) Se Isolou Voluntariamente, para se fazer de Vítima. Plagiou, na cara dura, a História do Bambam, com o fato de criar uma Boneca para ser sua Companheira. O Cézar, fez de sua "Companheira", uma Estátua do Jardim. E " Conversava"  muito com "Ela" e com as Câmeras também.

O fato de não querer combinar votos, é um Direito Inegável que ele tinha. Mas preferir ficar sozinho praticamente todos os dias? Quantas vezes a gente via, o Cézar ir  para a Academia, de preferência quando não tinha ninguém e para a Sauna, sempre  falando alto e sozinho, só para o Brasil escutar. Ir também para piscina, de preferência quando não tinha ninguém.

Nas Festas, era raro dançar com alguma Participante. Preferia Dançar e "Cantar" ( Ai meus ouvidos !!! kkkkk ) sempre isoladamente. E sempre era o 1º a sair delas para dormir. E quando estava Ao Vivo, com o Bial, ou no Confessionário se portava de maneira totalmente Antinatural. Fazia Discursos Intermináveis, para a "Massa Brasileira" com Palavreado Prolixo, e com certeza essa "Massa" não entendia nada.

O Confessionário, pra ele, era o Palanque Eleitoral, já que quer ser Deputado na sua cidade do Paraná. Ele comia quase sempre sentado, num balcão da Cozinha, e na Panela de preferência. Evitava sentar-se à mesa e comer com os outros e no prato. Será que era um "Teatrinho" para se fazer de "Caipira Pobre Coitadinho"?

Quando ele conversava com alguém da Casa, agia naturalmente, e até o sotaque ficava menos Carregado. Dava para entender tudo que dizia. E nesta hora, era calmo e tranquilo e sem muitos trejeitos e seu Raciocínio era bem claro. Dava pra ver que era Inteligente. Aparentemente, é um Cara do Bem, Educado, não insultou ninguém. Pelo menos na cara. Mariza que sempre foi Altruísta, e Solidária com ele, não viu nem ouviu. Mas um dia na Sauna, aproveitando que estava só, xingou a Mariza de "Véia Chata" várias vezes.

Este BBB 15, não me convenceu: Será que o Cézar  é realmente tudo que ele disse ser ? Porque temos que nos basear sobre o que falou de si mesmo. Não deu para analisar a Personalidade dele dentro do BBB. O Cézar não se envolveu em nada.

Será que seu Objetivo mesmo, era apenas, que as pessoas, principalmente do seu Estado, lhe conhecem melhor e com a "Fama" de Ex BBB, conseguir um lugar na Política? Porque foi isso que disse o Tempo inteiro. E falava também, que se ganhasse o Prêmio, seria para ajudar a Família, comprar uma Casa para os Pais, pagar todo o necessário para completar a Aposentadoria da Mãe.

Sinceramente, eu desejo de coração que o Cézar faça um Bom Proveito do seu dinheiro, com inteligência e Bom Senso, para ter um bom retorno. Isto só vamos saber daqui a algum Tempo.

Como o Caso da Mara (BBB 6), que muita gente achou que ela ganhou porque era "Pobrinha" (Inclusive eu), mas me surpreendeu muito positivamente o depois do Prêmio do BBB. Ela só fez coisas boas para facilitar o tratamento da Filha, foi fazer Faculdade e soube triplicar o Dinheiro. E nunca quis saber de empregada. Faz tudo sozinha.

É o que espero do Cézar Campeão do BBB 15.




Inteligente, sagaz, muito esperto.

Soube como ninguém usar tudo que viu, estudou e aprendeu sobre os 14 BBB anteriores.

Percebeu nesse tempo de observação que o público se compadece e abraça aquele candidato humilde, pobrezinho, e ainda mais quando começa a ser perseguido pelos demais jogadores.

Isso é tão lógico em todas as edições, que eu me admiro que se repita sempre e sempre. Para mim é burrice de quem vai para um jogo sem ter nem noção do que é tão evidente.

O jeito de falar, frases feitas de impacto, o choro, a reza, tudo isso irritava seus oponentes a tal ponto que tornou-se o alvo da casa em paredões e em bulling.

Aqui fora, o que o salvou e acabou revertendo em votos foi esse bulling que sofreu  juntamente com a Mariza. Protagonizava momentos hilários, e com isso chegou a final e levou o prêmio de 1 milhão e meio.

Soube se manter alheio aos conchavos, aos grupinhos daqui e dali e a cada volta de paredão, voltava com mais força, mais confiança e com mais aceitação de fora.

Ele sabia que estava fazendo o jogo certo e não arredou pé.

Jogou do primeiro ao último dia. Fez um jogo limpo, sem ferir ninguém, sem  humilhar e sem passar por cima.

Tornou-se um expert em BBB e conseguiu até enganar a produção ao selecioná-lo.

Errado para alguns?

Não acho. É sim um jogo, ele tinha uma estratégia e soube usa-la magnificamente bem.

Merecido. Parabéns!



3 comentários:

  1. Nao contrariando as regras para os comentários serei sucinta: Nao gostei!

    ResponderExcluir
  2. Ótimos textos. Discordo de pequenas coisas, mas no geral todos colocaram grande parte do que penso sobre o Cezar. Ele realmente foi uma incógnita no jogo. Que faça bom proveito do prêmio.
    Parabéns aos blogueiros do Votalhada. Escrevem muito bem.
    Abração a todos e até o próximo BBB.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Rose. Foi um prazer debater com você. Forte abraço e até ano que vem!

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html