01 novembro 2012

IMPRESSÕES de Frank Killer



A fábula da cigarra e das formigas



O Reality da Fazenda de Verão já começou demonstrando pouca criatividade. Porém isso não é importante sob o ponto de vista de um Reality Show. Será eventualmente ruim, é claro, para a audiência casual. Como apreciador do gênero, acho isso ótimo. Como já disse antes, quanto mais criam bossas para aumentar a audiência, mais injustiças cometem. Desse modo, assiste-se um show de realidade e não um show artístico ou uma novela de ficção. A audiência casual ou o telespectador despreocupado pode e deve procurar um show de entretenimento que atenda às suas expectativas, caso não esteja disposto a julgar o caráter ou a personalidade de pessoas comuns.

Espero que os recursos visuais e, a criatividade e a capacidade técnica dos realizadores supram as necessidades de produzirem um reality Show atraente sem o recurso da penalização dos concursantes com invencionices e interferências exóticas e injusta, ou a adoção de medidas sem isenção, sem imparcialidade e sem equidade.

Alguns sinais indicam que o público votará em positivo, isto é, votará em quem acha que deve permanecer no Reality. Só espero que as opções sejam sempre mais de dois participantes, caso contrário haverá um pesado jogo de torcidas, prejudicando os reais merecedores de ganhar o milhão.

A idéia de criar dois grupos com atribuições diferentes ou em situações opostas não é nova em RS, e aliás é muito corriqueira. Nesse particular, a originalidade vai a zero. A minha idéia de um RS permanente, casa um pouco com um grupo gozando a vida despreocupadamente e um outro grupo realizando todas as tarefas e deveres dentro do ambiente de confinamento, exatamente como acontecerá agora nessa Fazenda de Verão. Além disso, eu previa um terceiro grupo que funcionaria como supridor de concursantes, à medida que fossem saindo os concursantes do grupo principal. Nesse caso, o celeiro da Fazenda de Verão deveria ter um outro grupo, talvez menor, que seria por onde entrariam no RS os novos concursantes.

Na minha concepção os integrantes do celeiro não deveriam correr o risco de serem eliminados e só o correriam quando se efetivassem num dos grupos da sede. Se fosse um RS permanente, seria exatamente assim que um RS tipo A Fazenda deveria funcionar. De qualquer modo serve como experiência para verificar se um RS permanente funciona. Se eu fosse o diretor do programa, preencheria as vagas que fossem se produzindo nas equipes com esses novos concursantes entrados pelo celeiro.

Curiosamente, talvez por causa da ênfase do apresentador ao assinalar que isso seria muito importante, a formação dos grupos seguiu um critério de distribuição por Estados da Federação, ficando os paulistas e cariocas em um grupo (formigas, nessa primeira semana) e os concursantes do sul se juntando com os baianos e a mineira Flávia, constituindo o grupo cigarras. A goiana Nuelle vive em São Paulo e seu sotaque é mais paulista do que o dos próprios paulistas.

O Carioca Dan vive em São Paulo e é o único que destoa nessa lógica de formação de grupos, porque ele é o que mais deveria estar no grupo Rio-SP (ou formigas) e está no grupo sulista (cigarras). O perigo que se defronta é o jogo das torcidas descambar para uma disputa bairrista, prejudicando enormemente o grupo sulista e beneficiando seu único integrante não-sulista. Se isso acontecer terá sido uma falha da produção em deixar que os grupos se formassem assim ou, inadvertidamente terem induzido-os a isso. Um modo de consertar isso seria um preenchimento dirigido nos "buracos" das equipes.

Agora, mais do que nunca, deveremos julgar pelas qualidades, já que parece que teremos que escolher quem merece permanecer na casa (Fazenda) e não quem deve sair. Pode-se achar que é a mesma coisa, mas não é, principalmente se forem sempre mais de duas as opções para votação.

A equipe cigarras (ou azul) ficou constituída pelos concursantes Claudia (RS), Dan (RJ), Flavia (MG), Gabriela (BA), Isis (RS), Rodrigo Carril (RS), Sacramento (BA) e Victor (SC).


É interessante observar que, a exemplo do BBB11, existem dois Rodrigos. Seria coincidência? A existência (ou a criação) de dois grupos não é.

A equipe formigas (ou vermelha) ficou constituída pelos concursantes Bianca (SP), Halan (SP), Haysan (SP), Karine (RJ), Natalia (RJ), Nuelle (GO), Rodrigo Simões (SP) e Thyago (RJ).



Nota: A concursante Natalia foi informada pelo site oficial como sendo curitibana criada nos Estados Unidos, mas ao que tudo indica ela é carioca. Em notícia mais recente disseram que ela nasceu no Rio de Janeiro e me pareceu ouvir a própria Natalia dizer que é carioca, no programa de ontem. Honestidade é a coisa mais lógica a ser utilizada e não é preciso repetir uma notícia para corrigir disfarçadamente uma outra informação anterior errônea, porque a desinformação permanece.


Para contato sobre meus comentários e temas afins, escreva para:
 frankkiller@votalhada.com.br
Opcionalmente poderão também contactar-nos através do twitter: 
(@frankkiller04 - @votalhada)




   

0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html