03 agosto 2012

IMPRESSÕES: Jogadores e Justiceiros


Em Realities existem vários tipos de aficionados. Variam desde aqueles que assistem a todo tipo de programa na TV até àqueles que assistem exclusivamente Realities de um determinado tipo ou formato. Em formatos como os do BBB e d´A Fazenda são três os tipos principais: o jogador, o diretor e o justiceiro. Os três tipos têm os seus preferidos e vão até às últimas consequências defendendo seus pontos de vista e as razões que os levam a apoiar tal ou qual participante ou a repudiar outro.
No Brasil predomina o primeiro tipo porque o brasileiro tem que ser original em relação ao resto do mundo. Aqui tudo é jogo e sempre foi desde os tempos áureos do "jogo do bicho". Tal tipo de bolsa de apostas remonta ao fim do Império e início do período republicano. http://pt.wikipedia.org/wiki/Jogo_do_bicho#Hist.C3.B3ria

Atualmente as diversas modalidades de jogos lotéricos, apostas em diversas modalidades esportivas e os jogos clandestinos dominam o cotidiano nacional e isso se reflete no gosto do contingente dos aficionados em RS. No entanto a proposta dos formatos não é esta, isto é, de jogos ou disputas esportivas. Prova disso é que os candidatos não são selecionados no casting com vistas a essas habilidades e quando o são a emissora não pode confessá-lo sob pena de infringir cláusulas dos contrato de concessão ou venda dos formatos. A proposta ao público não é a estação quem faz, mas sim o formato contratado, a menos que a autoria do formato seja da própria estação. Nesse caso ela faz a proposta que quiser, desde que não plagie outras propostas e formatos respectivos.

Penso que os aficionados sérios deveriam conhecer em que se baseiam os formatos que utilizam o confinamento de grupos de pessoas sob a vigilância ostensiva de câmeras e microfones. Os realizadores dos RS´s são considerados Orwellianos quando ultrapassam o alcance pretendido pelos formatos ou quando se julgam o "olho que tudo vê". Na realidade esse olho é o da audiência, que é convocada a julgar os participantes. O Grande Irmão nesse caso é o povo, que, em tese, é quem decide quem deve sair do concurso ou não. Sobre isso, consultem http://pt.wikipedia.org/wiki/Nineteen_Eighty-Four#Hist.C3.B3ria

Os aficionados diretores são os que conhecem essa história e seus antecedentes e pressupostos. Caracterizam-se pela compaixão aos concursantes e à crítica e vigilância dos atos dos realizadores e diretores, bem como dos participantes de dentro e de fora do ambiente de confinamento. Assim, participantes não são somente os concursantes. mas também todos os que gravitam em torno desse tipo de entretenimento, incluindo comentaristas da estação e afins. Participantes também são os convidados, artistas e qualquer outra pessoa que entre em contato com os confinados enquanto concursantes ainda. No caso d´A Fazenda o próprio Brito é um participante. Esse tipo de aficionado pretende entender de TV e Realities simultaneamente e em muitos casos entende mesmo, às vezes até mais do que os próprios imiscuídos nesse negócio.

O justiceiro é o telespectador menos compromissado com a sorte dos concursantes. Assiste quando pode os programas regulares ao vivo ou com os melhores momentos do dia e forma a sua opinião baseado apenas no que lhe é mostrado, condensado em meia hora, dentre os acontecimentos de 24 horas diárias. Eventualmente baseia-se no que vê e lê nos sites dos realizadores ou nos demais programas da grade de programação da emissora. Baseia-se também nos comentários de outros comunicadores nas diversas mídias, incluindo a internet. Ele ama seu preferido e odeia os demais quase sempre.

Esse justiceiro geralmente não tem opinião própria e adota a que lhe parece mais consentânea com a sua empatia ou com o que lhe foi mostrado pela estação ou induzido por ela ou outras fontes de influência. Muitas vezes a atitude fanática não se baseia em argumentos sólidos ou, o seu aparente desinteresse delata a pouca ou insuficiente informação para julgar com isenção. Também pode ser um espertalhão em busca de proeminência ou protagonismo, manipulando consciências ou liderando movimentos ilegítimos. Muitos falam em  torcidas profissionais e contratação de votantes, mas não creio nisso. De qualquer modo constituiriam estes últimos, outro tipo de "aficionado", que estariam melhor acondicionados em uma cadeia, não exatamente de TV.

Com respeito ao que é imposto pelas regras aos concursantes com propósitos psicológicos ou estressantes, o justiceiro não separa as reações, as atitudes e o desempenho, das reações puramente inerentes às personalidades de cada um. Também não distingue entre diferentes personalidades e demais características individuais, achando que deveriam ser iguais ou similares em qualquer situação. Na verdade ele não julga nem os concursantes e nem os participantes da estação com isenção e justiça. Para ele a estação tem sempre razão e se considera o senhor da verdade no caso dos concursantes e, muitas vezes, comete injustiças justamente por isso. As estações de TV vendem o programa como um jogo e eles "compram direitinho", da mesma forma que alguns compram os produtos dos patrocinadores. Esses "alguns" representam milhões (de reais), para gáudio geral. Às vezes os mesmos defeitos que deplora nos demais concorrentes ele perdoa no seu preferido e as mesmas virtudes que exalta nele diz que é fita ou fingimento dos demais.

O nome disso é parcialidade, que é derivada de um julgamento precipitado ou superficial ou é conscientemente tendenciosa ou, ainda, resultante de um posicionamento equivocado sobre o que seja um Reality Show. 


Frank Killer - @frankkiller04
frankkiller@votalhada.com.br



   

4 comentários:

  1. Frank, obrigada por mais um texto de bom nível! Infelizmente, o que mais temos por aí são comentários inconsistentes. Torcem por pessoas que se auto intitulam Verdadeiras. Aí está a questão, quem o é não precisa falar. Simplesmente é. Por isso gosto de Vivi, ela é como é. Não faz média com ninguém . Podem chama- la de rabugenta, sem graça, ou qualquer coisa. Se existe alguém alí que não precisa provar nada pra ninguém é ela. Vimos ontem Penélope saindo, porque batia no peito e dizia o tempo todo que era verdadeira, e detalhe, não era jogadora. A quem querem enganar? Gostava de Joana o ano passado. Pelo mesmo motivo, não fazia média. Qdo discutia com alguém tinha fundamentos e sempre estava certa. Declarava- se jogadora e nunca se intitulou Verdadeira. Pelo contrário defendia a sua verdade, que poderia não ser a dos outros. Respeitava os bichos, mas não ficava babando ovo, nem fazendo ceninha pra edição. Qdo se irritava fazia cara feia e também bufava. Estava alí sem mascaras e natural. Abraço Sandra

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde!
    Tudo bem explicadinho, nos seus mínimos detalhes.
    Quanto a mim, em RS, de imediato não torço pra ninguém. Aguardo até que possa analisar o comportamento de cada um e, nem sempre encontro alguém merecedor de minha torcida.
    Haja visto, que só acompanhei o BBB por 2 vezes, e A Fazenda, agora pela 3a. vez. Só voto quando julgo necessário; fanatismo, não. Tenho obtido sucesso nas minhas escolhas e creio que, mais uma vez, assim será.
    Minha 1a. opção: Viviane; 2a. opção: Felipe; 3a. opção: Simone - mesmo ciente que tenha poucas chances de chegar à final.

    Olivia RC

    ResponderExcluir
  3. Os posts do Frank Killer simplesmente elevam o nível de textos sobre realities a uma altura indescritível.
    Sensacional, no mínimo. Parabéns eternos ao Votalhada pela "aquisição".

    ResponderExcluir
  4. Sobre parcialidade eu vejo assim:
    no começo a edição colocou a nicole como a vilã e a vivi como a mocinha.
    depois q a gretchen começou a colocar as garras pra fora, a gretchen e aliados(vivi e shayene), viraram as vilãs
    com a saída da gretchen a edição voltou a colocar a nicole como vilã, mas agora a principal era a penélope
    com a saída da penélope eu espero q a edição seja mais imparcial. queime um tanto o outro
    e se for para queimar alguém queime quem ñ se compromete

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html