26 março 2013

OPINIÃO: Shadow
A Trajetória de Fernanda, Andressa e Nasser no BBB13


As opiniões emitidas nesta coluna são de responsabilidade exclusiva
do autor das mesmas e não expressam necessariamente as do Votalhada.

Texto recebido de Shadow
26/03/2013

A TRAJETÓRIA DE FERNANDA, ANDRESSA E NASSER NO BBB13

Entre quedas e tropeços, subidas e descidas, momentos bons e ruins, preferências e rejeições, fãs clubes e torcidas contra, Fernanda Andressa e Nasser chegaram à grande final.

Foram merecedores de chegar até aí? As opiniões se dividem.

Quem acompanhou a trajetória dos três, viveu histórias que não nos pertencem mais.

Se sua sobrevivência se deu por conta de um personagem montado, de um romance fake, da briga insana entre torcidas, do gato ou rabo do gato, isso é algo que nenhuma enquete poderá revelar.

O fato é que contrariando a lógica e as apostas do início do programa, eles chegaram juntos à final. Como explicar sua sobrevivência? 

Os três podem ser detestados por muitos, mas não se pode deixar de admirar e reconhecer a proeza de terem dado uma guinada na situação adversa, que previa sua rejeição e eliminação nas primeiras semanas.

Jogaram, não jogaram, se jogaram? 

Sim, os três jogaram e se jogaram, num jogo de esconde-esconde morno, cauteloso e dissimulado, é certo, mas inteligente e eficaz. O movimento deles no tabuleiro foi muito semelhante, o que talvez justifique terem sobrevivido aos outros.

Entraram com objetivos previamente traçados, que executaram com precisão cirúrgica. 

O primeiro: buscar proteção. Não foi por outra razão que Fernanda e Andressa ao entrarem na casa, logo na primeira semana, escolheram dois participantes para serem seus parceiros (antes que outras o fizessem), o que de cara facilitou o jogo do Nasser e complicou o André, que não tinha jogo.

Superada esta etapa, o segundo objetivo se impôs: eliminar os veteranos. Não só os três, como os demais novatos, passaram a votar em bloco, tendo como alvo certeiro os repetentes que já haviam passado por lá, tinham fã clube e torcida aqui fora e representavam uma ameaça real àqueles que não passavam de ilustres anônimos. Disso, foram se formando alianças, algo fundamental num jogo de convivência e sobrevivência.

Os primeiros paredões foram montados com sutileza por Nasser, Ivan e Andressa. Em conversas informais com os outros participantes miravam sem dó nem piedade em seus alvos, fazendo questão de dizer ao público (para não serem mal vistos) que aquilo não era combinação de votos, mas uma mera troca de idéias e impressões.

A estratégia de enganar deliberadamente o público votante não foi percebida, porque as redes sociais pareciam surtadas: na fase maníaca os favoritos eram uns, na fase seguinte os mesmos eram rejeitados... e nessa oscilação de humor, para surpresa geral, bons jogadores foram caindo diante de participantes medíocres e até inexpressivos, como Ivan e Marien.

Enquanto a limpeza na casa começava, era preciso não descuidar do terceiro objetivo: consolidar e fortalecer as alianças, o que levou à construção de dois reinos, um do século XV, com princesa, um belo príncipe, coroa, manto, muita ilusão e fantasia; e, outro do século XXI, com uma plebéia, sem trono, sem pudor, sem perdão, com um grilo para beijar. Estes reinos foram edificados com tamanha precisão e habilidade que quando o público se deu conta, eles já tinham paredes, torres, lanças, soldados, súditos, grilhões, armadilhas e calabouços para seus adversários.

Numa manobra genial, e percebendo a vitimização, isolamento e coitadismo da dupla da casa de vidro, Kamilla e Marcello, Fernanda aproximou-se de Kamilla para tornar-se amiga de infância da moçoila, neutralizando por tabela Marcello, que dessa forma permaneceu deslocado até sua eliminação. A sempre atenta Andressa percebeu a manobra, recuou na hora certa e tratou de fortalecer seu reino, uma vez que podia contar com a sagacidade de seu sempre fiel escudeiro e parceiro, Nasser.

No mais, ficaram na encolha com o rabinho de fora. Amiga pra cá amiga pra lá, meu princeso de um lado meu grilo do outro... enquanto os demais baixavam a guarda e eram eliminados, sem direito a liminar ou recurso.

Há que se reconhecer que a parceria pode ter sido fake, mas foi feita com as pessoas certas. Para o jogo de Fernanda, um arremedo de Maria (BBB11), Ana Carolina (BBB9), Alemão (BBB7) e Bambam (BBB1) o prinsapo André dúbio, inseguro e esquivo foi fundamental. Para Andressa, um rascunho de moça pura e inocente do interior, o tatuado Nasser, cabelo desalinhado e olhar pra lá de esquisito, mas, centrado e com forte poder de observação, foi vital.

Até que num confronto direto entre os reinos, era preciso ter frieza para executar o objetivo final: separar o casal do reino vizinho para poder reinar soberano. Fernanda e Andressa articularam muito bem isso. Aquela, a primeira a tentar, não conseguiu porque o paredão foi triplo. Na vez da Andressa, deu sorte, foi duplo, e o prinsapo saiu. Havia feito tudo o que era possível para chegar à final. 

O lance derradeiro agora estava nas mãos do público. Por que Fernanda, e não Andressa ou Nasser?

Porque a retórica de Fernanda foi mais convincente e suas contradições e idiossincrasias foram menos exploradas nas edições. Andressa no papel de mocinha ingênua não convenceu, ainda mais quando chamada de “Santinha do Pau Oco” de chamego com Nasser, tratado ao vivo pelo Bial, como sapo grilo.... mas, por outro lado, a quem poderia convencer Fernanda, graduada em Direito, a caminho de seus trinta anos, crendo ser uma princesa com coroa de papel alumínio posta na cabeça, agarrada a uma bola de meia numa vassoura pra chamar de princeso?!? Piegas e apelativo, não? Mas editado como uma bela e romântica história de amor, com direito a trilha sonora e tudo.

Na troca constante de posições das peças no tabuleiro, o público a final escolheu o faz-de-conta inventado por Fernanda e muito bem editado pelo Bonifácio.

A moral da história é que o BBB mudou, está cada vez mais distante de pessoas reais, dispostas a partilhar de forma autêntica e verossímil o que pensam e o que são com o público, por mais que eles se esforcem em dizer para as câmeras que são verdadeiros e eles mesmos. Tudo é muito estudado antes de entrar na casa, não são apenas participantes são PHDs em BBB; lá dentro os passos são meticulosamente calculados pra não se queimar e evitar uma alta rejeição do público. Hoje, eles montam o personagem como querem e as redes sociais desconstroem como lhe convém. O jogo está mais voltado pra dentro da casa, e com isso perde o espetáculo; aquele que mexia com as nossas emoções e vísceras para o bem ou para o mal e nos mantinha cativos até o último minuto.

Poderia ter sido diferente? Poderia. Mas não foi.
Shadow
@Shadowtweetando


Escreve bem e deseja participar desta coluna OPINIÃO? 
http://votalhada.blogspot.com.br/2012/08/opiniao-colaboracao.html


7 comentários:

  1. Excelente texto!!!
    Gostaria de acrescentar que há uma enorme ambiguidade em relação à Maria e Fernanda. Maria tinha também seu castelo (casa de sapê), mas parecia (disse parecia) mais autêntica, ou melhor, mais real: bonita, dengosa, sem pudor, sem fantasia, era mais parecida à mulher brasileira que é independente, trabalha, se cuida, mas ainda tem um pouco de Amélia (em correr atrás de seu homem...).
    Fernanda parece mais "bipolar" (não no sentido da doença), mas que possui dois polos que parecem não combinar: é advogada, simplesmente é advogada e neste papel ela se dá bem, pois no que foge ao discurso "data vênia" ela comete vários assassinatos ao português (não falo do alcoólico), mas de outros. Quando veste a toga parece forte e inteligente, mas quando se despe dela, se percebe logo o jogo que uma menina mimada e bonita faz aos pais quando precisa de algo. Se “vitimiza” através do dengo, da fantasia, da “fragilidade” de menina dos olhos do papai. Mas seu castelo de Barbie não existe somente no BBB, ela leva isso em sua vida. Seu último aniversário foi com motivos de Barbie. Somente seu BMW não é rosa, pois o resto é todo de conto de fadas.
    Maria queria um homem pra chamar de seu, Fernanda quer um Ken e que ele se pareça o mais possível ao seu pai: bonito, rico e que lhe trate com todos os mimos que seu pai lhe trata.
    Fernanda ainda não se deu conta que existe nos contos de fada Cinderela, Branca de Neve, Rapunzel, etc., mas existe somente um príncipe encantado. E esse príncipe encantado tem mais ego que todas as princesas juntas!!
    Não me convence o conto de fadas!! Convence-me muito mais a Fiona (bonita de dia e feia à noite) e o Shrek (um ogro de bom coração).

    ResponderExcluir
  2. Que leitura perfeita, parabéns!!!!!!!! essa também foi a análise que fiz. Percebi tudo desde o início, tentei até cancelar o PPV e não consegui. A postura da Fani contribuiu muito para toda essa marmelada era tudo que a Globo queria... Só que o tiro saiu pela culatra. Para quem tem PPV a conclusão é esta a que voce brilhantemente expôs, para quem assistiu apenas as edições (a maioria votante) deturpadas, maliciosas ficou o engodo e não é que caíram direitinho?
    Atenção Votalhada! quem está postando o comentário não é fake viu sou euzinha kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. gente . . . só li fatos!

    edição forçou , muitos descontentados com o bbb 13 , fora as coisas que ficaram no ar "boninhadas"?

    tinha tudo para ser o melhor , otimos protagonistas porém o público os expulsaram cedo , percebi nesse big que a torcida contraria os "antis" dominam o reality , foi nitido o empenho dos para tirar minha maroquita , e esse odio pela diva foi graças a edição que a principio a "abafou" e depois só a mostrou fazendo coisa errada ... lamentável bonifácio!!!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a visão do autor e dos comentários acima (Futebol das Américas: TUDO SOBRE FUTEBOL e Unknown).

    Resumo/acrescento minha opinião:
    1 - Nasser é inteligente e usa a lógica, respeito e bom senso (mesmo parecendo q, no fundo, tenha vontade de mandar todo mundo tomar lá longe);
    2 - Andressa é linda, chata pra caralho mas é uma fiel parceira;
    3 - Nanda: mimada, mimada, mimada e muito inteligente pois agiu exatamente como a maioria do povo brasileiro gosta de ver/defender/adorar.

    ResponderExcluir
  5. Devo confessar que li rápido e não vou ter tempo de comentar melhor por causa da votação mas pelo que vi, você fez um belo resumo dessa palhaçada que foi este BBB, um completo engodo e que o povo engoliu lindo lindo lindo! Por outro lado, a baixa audiência e o número baixíssimo de votos nos paredões e enquetes mostram que aos poucos, esse mesmo povo está acordando e o reino encantado e ditatorial de Bonifácio e cia está desmoronando! O que me deixa feliz é ver que mesmo não dando a vitória para Nasser (o mais autêntico, que entrou dizendo que ia jogar e foi o mesmo do início ao fim, sempre lutando contra as edições) chegou até a final e a cúpula vai ter que engolir isso e dar o 2º lugar a ele e não ao falso do prinsapo! Toma essa Boni/Bial/cúpula! Só estou aqui ainda votando e comentando pq o bichinho da justiça me picou e faço questão de contribuir para que Nasser continue incomodando essa corja!

    ResponderExcluir
  6. -Sobre o texto faltou dizer que a presença de Kamila até a sua saída influenciou essa final por ter causado uma divisão entre veteranos e novatos contra ela.
    Observem que Nasser e Andressa era contra e Fernanda e Andre era favor de Kamila.

    -Sobre Nasser a amizade com Ivan e o namoro com Andressa atrapalhou ele.

    ResponderExcluir
  7. E concordo em alguns pontos: a Fernanda tem uma retorica muito explicita, ela estudou para isso, parece ser muito convincente em suas esplanacoes, ate demais. Quem viu as edicoes, certamente torceu por seu reino encantado, sem um pingo de realidade. Quem viu o ppv,como eu, quase 24 hrs por dia, festas, so dormnia qdo eles dormiam, vi todo esse BBB por um angulo totalmente diferente. Vi um casal, lindo, com todos defeitos de qualquere ser humano, mas que me cativou. Vi edicoes manipulosas, edicoes que degradaram os dois, foram pejorativos com eles, ate no discurso final da Andressa.O que é isso Bial, cade suas palavras doces que sempre pronunciou para quem fica na final, mas nao perdeu a oportunidade e o discurso veio recheado de fel. nao importa, para mim os campeoes sao os dois, o 2 e 3 lugar, eles mereceram, me passaram realidade, autenticidade. Rotularam uma menina, que quiz cortar os grilhoes de uma vida pacata e que talvez a estivesse sufocando. O que ela fez deixando o namorado para tras, nao teve para mim essa conotacao que deram a ela, pois ja vi no BBB coisas bem piores e ainda sairam enaltecidos, fico me perguntando o porque de pegaremm ela para cristo, nao sei, realmente nao sei.COntinuo afirmando, nao ganharam o premio maior, mas ganharam o amor de uma torcida imensa, fas que desdobraram em votar, mas que infelizmente, contra a maquina Globo, que ja havia eleito a sua princesa, nao conseguimos elege los. triste por um lado, mas feliz de ver a torcida ainda fervendo por ve los, por ama los.

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html