30 agosto 2016

RuPaul's Drag Race All Stars 2 Episódio 1 por Rômulo Cordeiro

Oi pessoal quanto tempo né? Mal nos recuperamos da oitava temporada e RuPaul e a LogoTV já nos deram o All Stars 2. E que veio com um casting maravilhoso.

Nesse recap vamos pular as apresentações porque já conhecemos e muito bem as participantes dessa corrida. Se você não conhece quem está no elenco, CLICA AQUI (link: http://votalhada.blogspot.com.br/2016/08/rupauls-drag-race-allstars-por-romulo.html?spref=tw ) e veja o post de anuncio dessa temporada.


O clima no Workroom na chegada das queens foi de grande confraternização entre algumas garotas da quinta temporada e um pouco de shade pra cima da linda Tatiana. Phi Phi foi a primeira a deixar bem claro que o elo mais fraco poderia ser Tati, pelo fato da queen ser um pouco mais antiquada, já que a sua temporada foi há mais de 6 anos. Segundo Phi Phi, não foi o estilo dela que mudou, todas as queens amadureceram e estão diferentes, mas Tatianna ainda se mostra como uma versão mas polida de sua queen da Season 2.

Uma grande surpresa pra mim ainda durante os primeiros diálogos foi RoLaskTox, trio formado por Roxxy Andrews, Detox e Alaska, não está em sintonia. Agora segundo Roxxy e Detox, é só o RoTox Show, já que Alaska as abandonou no final da quinta temporada.

Questionada por Katya, Alaska disse que não faz mais esse tipo de aliança e prefere jogar sozinha.
Por falar em alianças, não teremos duplas como foi o caso da primeira temporada do All Stars. É cada uma por si, e nem adianta querer fazer amizades, porque RuPaul jogou a batata quente da eliminação nas mãos das Queens. Nesta temporada, elas vão eliminar umas às outras. O bottom 2 do Lipsync será disputado pelas duas melhores da semana, e quem ganhar na dublagem além de ganhar US$ 10.000,00, terá que eliminar uma das três piores da semana. Essas considerações, tanto de melhores da semana quanto as piores serão ditas pela RuPaul mediante as opiniões dos jurados.


Logo na recepção das queens, RuPaul veio com um jogo já conhecido por nós, a famosa biblioteca estava aberta, e todos nós sabemos que ler é fundamental. Nesse joguinho que particularmente eu amo, foram resgatadas piadas e shade antigo com as infinitas piadas com os pneuzinhos da Alyssa, a maquiagem laranja da Coco, como Roxxy Andrews emagreceu. Nada muito novo, mas bem divertido vindo de queens que não fizeram parte da temporada onde esse shade foi imortalizado. Por fim, quem levou a melhor foi Alaska. Nesse mini desafio não houve uma recompensa que interferisse no desafio da semana, que aliás foi bem divertido.

Para o desafio semanal, RuPaul decidiu fazer um show de talentos com as participantes. Algumas me surpreenderam, outras me decepcionaram e outras foram tão normais que fiquei me perguntando porque elas não ousaram mais.


Adore Delano escolheu cantar como seu talento. Com uma música escrita por ela eu senti que ela não saiu da zona de conforto e decidiu se manter no palco. Foi uma boa jogada, ninguém a questionou sobre, mas quando se tratou da roupa, Michele Visage não poupou palavras e disse que ela estava num modelito barato e que não condizia com a Adore que ela viu mudar desde a sexta temporada.


Alyssa Edwars fez uma apresentação e tanto. Tinha uma boneca de ventriloquíssimo da RuPaul pra compor sua história, uma boa adaptação de You Better Work e uma performance cheia de movimentos variados. Isso rendeu a Alyssa uma salvação na semana.


Coco Montrese foi a minha maior decepção.  Eu estava esperando ela destruir tudo com um Lipsync ou uma de suas performances magnificas de Las Vegas, mas pelo contrário, ela resolveu fazer um número de dança que sinceramente era chato. Um dos jurados comentou que Coco se perdeu em meio ao vestido e o que poderia ser a sua melhor arma, acabou sendo ofuscada.


Detox chegou fazendo a Ke$ha e decidiu cantar usando um tipo de bateria de percussão cheia de tinta Neon. Foi bem ousado ela sujar todo o palco e também a própria maquiagem, mas não foi nada tão surpreendente pra mim. Não levou nenhuma crítica e garantiu mais uma semana.


Alaska também decidiu cantar, mas foi algo bem Alaska, até arrisco dizer que a música que ela cantou poderia entrar no Ânus, seu último álbum. Foi divertida, e até o Carson achou uma excelente apresentação.


Ginger Minj pra mim foi impecável, uma cantora nata, Ginger deu um show no palco demonstrando o talento que nós ja conhecíamos da sétima temporada. Segue na competição.


Phi Phi O’hara foi mais uma queen que decidiu cantar, não julguei tanto como as outras porque Phi Phi não é desse meio artístico e o estilo a capela que ela apresentou foi mais do que fora da sua zona de conforto. Mas essa ousadia não foi tão bom para Phi Phi, durante sua apresentação ela perdia um pouco o tom da música, isso gerou algumas críticas. A roupa usada por Phi Phi, segundo Michelle, a deixava quadrada por conta da sua estatura. Isso não foi bom pra uma estreia.


Katya decidiu fazer uma apresentação de ginástica, e ela foi determinada a abrir as pernas nessa temporada. Katya mostrou muita flexibilidade nos exercícios sem falar no carisma e bom humor constantes em sua apresentação. Isso lhe rendeu mais uma semana.


Roxxy Andrews ainda está um pouco presa ao mundo das Showgirls e fez uma apresentação burlesca. Roxxy serviu muito bem suas curvas conservadas, uma vez que ela emagreceu de 130 para 90kgs depois da sua aparição na quinta temporada. Teve direito até arrancada de peruca em cima do palco pra mostrar outra peruca. Roxxy teve seu momento que lhe rendeu boas críticas.


Tatianna fez uma apresentação divina. Tati escolheu “Spoken Word” que eu não sabia o que era até então, mas é como se fosse uma declamação de um poema com interpretação. O texto usado foi sobre um relacionamento homoafetivo, talvez entre uma drag e um cara hetero (?), mas o que deu o tom certo foi a interpretação séria e dramática da queen. As críticas para ela foram as melhores, tanto no talento como na produção escolhida.

Passada as apresentações e as críticas RuPaul Anunciou Phi Phi O’hara, Adore Delano e Coco Montrese como as três piores da semana, e Roxxy Andrews como as grandes vitoriosas. E como eu expliquei mais cedo, o Lipsync seria disputado pelas duas melhores, que teriam que escolher uma das três piores pra mandar pra casa.


É importante ressaltar que não teremos untucked nessa temporada, porque ele é meio que embutido no episódio. Pois bem, enquanto os jurados se deliciavam com um coquetel, Roxxy Andrews e Tatianna voltaram junto com as outras queens pro Workroom. Roxxy tentou conversar com as três piores individualmente para ter certeza do que iria fazer, e parece que lhe deu um norte. Roxxy falou que não quer eliminar alguém que pode ter grande potencial na competição, foi só um dia ruim. Já Tatianna estava determinada a eliminar alguém depois de algumas críticas.

Analisando bem eu cheguei a pensei que Roxxy escolheu Phi Phi e Tatianna escolheu Adore.


No “Lipsync for your legacy” a música escolhida foi “Shake off” da Taylor Swift que a Roxxy tirou de letra usando muito bem seus quadris e fazendo questão de mostrar a RuPaul que estava realmente dublando. Já Tatianna se esforçou mas ao meu ver ficou apagadinha, mas poderia ter sido apenas expectativa minha já que não ouvia falar da Tatianna desde a segunda temporada.
Resultado, Roxxy levou US$10.000,00 e o fardo de ter que eliminar uma das meninas. E pra minha surpresa, a escolhida foi Coco Montrese.


Durante seu discurso de despedida Coco se mostrava muito abalada e desejando forças para as meninas que restaram, mas quando menos esperávamos, RuPaul aparece na tela dizendo que nem tudo estava perdido pra Coco Montrese, e que ela poderia voltar e ter sua vingança.

O que será que está para acontecer? Essa temporada sem sombra de dúvidas começou com vários tiros.

Espero que tenham gostado do recap dessa semana e deixem seus comentários aqui ou no @Raiolaser_ no twitter. Até semana que vem!



Rômulo Cordeiro
Twitter: @Raiolaser_
Instagram/snapchat: raiolaser



0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html