06 fevereiro 2015

Frank Killer: Moral


Moral

As Damas de Preto estão no poder, mas se Cézar, Luan, Rafael e Talita não votarem na mesma pessoa que elas, uma delas pode ir para o paredão, incluindo a Líder Amanda. Por exemplo, se dois deles votarem em pessoa diferente, uma delas poderá ir para o paredão contra o Fernando ou qualquer outro do Grupo do Marco.

Se Tamires não ganhar a Prova do Anjo, o mais provável é que a Angélica corra o maior risco de ir para o paredão. Logo após a Prova do Líder Amanda já adiantou para os demais sua indicação em Fernando para o paredão. Se o público não conceder o veto ao Anjo à Amanda, as Damas de Preto precisam ganhá-lo na Prova do Anjo ou serem imunizadas por ele.

Moral e Inteligência

A moral é relativa e varia com o grau de civilização dos povos e dos indivíduos. Ninguém pode afirmar que algo é imoral ou aético, se esta opinião não é compartilhada com, ou aprovada pela maioria da sociedade em que vive.

Você não pode nem julgar as diversas culturas no tempo e no espaço como mais ou como menos atrasadas em relação a outras com base apenas na moral vigente em cada uma ou com base na da sua cultura (meio social). Isto significa que nesta questão ninguém é o dono da verdade.

A sua verdade é excesso de sinceridade se ela for errada ou falsa. É mentira, se você próprio não crê nela. É supersinceridade se você a exprime com o intuito de ferir, incomodar ou com outras intenções maldosas. Quer um exemplo? Versejar em eliminação é falta de imaginação em paredão. É o mesmo que versejar (ou rimar) diante ou em cima da dor.

Você não pode ou não deve esbanjar conhecimento para parecer inteligente. Conhecimento adquire-se e ninguém nasce sabendo. A inteligência é inata e pode apenas ser desenvolvida um pouco, de certas maneiras ou estimulando a imaginação. Adrilles e Marco exemplificam isso em ambos os casos. Segundo Albert Einstein, a essência da inteligência não está no saber ou no conhecimento, mas na imaginação. (The true sign of intelligence is not knowledge but imagination).

Edredoning

Aline declarou que entre 4 paredes vale tudo e me abstenho de dizer mais apenas por respeito à pessoa dela. Só apontei o fato porque é verdadeiro e acho normal (mas é quase ridícula) uma declaração assim em público. Não vejo, porém, a menor diferença entre falar isso e ser franco descendo a revelações sobre as intimidades de um casal, pelos dois ou um deles.

Vejo isso com naturalidade, sem tabus e sem preconceitos bobocas, desde que não descambe para a pornografia e a exploração da sexualidade ou com segundas ou terceiras intenções. Iludir com bons propósitos é a menos pior das quatro opções e, entre as quatro é a melhor mas, não significa que é bom. Reúna sua experiência de vida, deslinde esse pensamento-enigma e saberá do que falo.

Não se deve denegrir uma mulher para enaltecer ou favorecer outra ou vice-versa e nem a ninguém. Não se deve colocar todos os casais que passaram ou passam por RS no mesmo saco. Cada um tem uma história diferente e envolvimentos emocionais exclusivos ou particulares. Nem todos os participantes de RS são jogadores inveterados, no passado ou no presente.

Maria (BBB11) é um exemplo disso nos três casos. Compartilhou o edredon com dois namorados diferentes em ocasiões e situações distintas e, ainda assim, ganhou o Reality. Na maioria esmagadora dos RSs no mundo, o "edredoning" não é motivo de desdouro. Bárbara Evans (F6) foi finalista com seu parceiro e ganhou o Reality, mesmo com boatos e suspeitas de gravidez.

Andressa traiu o namorado com o Násser (BBB13) e, por sorte ou proteção (da produção ou do público), chegou à Final. Em resumo, coabitar, namorar sob o edredon, comportar-se maritalmente, namorar, beijar, etc, em RS, não são motivos para eliminação ou mesmo rejeição. Quem acha isso é hipócrita ou complexado, ou falso moralista, ou atrasado sem noção ou torcedor mal intencionado. Os argumentos contrários sempre são mal intencionados. Até parece que alguns deles não acabaram de sair de seus quartos onde praticaram atos que fariam corar uma prostituta veterana.

A razão pela qual no Brasil há uma certa aversão a casais em RS é porque os produtores enfatizam as imagens sensuais, dando maior valor aos aspectos estéticos (fotografia) do que aos aspectos factuais (conteúdos). Na Fazenda chegam ao absurdo de ficar mostrando pessoas dormindo enquanto rolam cenas com pessoas interagindo e gerando fatos, às vezes no mesmo ambiente.

Em mais de 10 anos ainda não aprenderam a fazer um RS decente. Durante as festas as duas produções ficam atreladas aos cenários das festas e aos foliões, enquanto ignoram solenemente as imagens com outros conteúdos em outros ambientes. Existe uma tendência marcante em ficar na mesmice durante toda uma edição em curso.

No BBB, soluciono isso assinando o PPV e assistindo às coberturas ao vivo pelo site simultaneamente, mas na Fazenda não tem como e sou obrigado a ver só o que eles querem mostrar em apenas um canal, quando mostram algo ao vivo. No PPV é comum à noite ficarem mostrando edredoning dos dois casais nos dois canais, quando estão namorando por baixo das cobertas ao mesmo tempo, só perdoável em momentos em que só tem isso para mostrar.

Infelizmente nem todos são tão fissurados em RS ou não estão dispostos a acompanhar de fato o RS, e o que se vê, na maioria das opiniões, são análises superficiais e juízos falhos, mais por culpa e inépcia dos realizadores do que propriamente dos assistentes da audiência.  

No BBB, apesar de existirem 10 câmeras online, somente umas duas, ou no máximo 3, mostram conteúdos simultâneos ao vivo e, nas desatreladas aparecem conteúdos velhos ou estáticos. Por banda telefônica wi-fi (tecnologia IEEE 802.11 - WLAN) e outras, nem merece comentários, é muito ruim em contraponto e não dá para entender nada com precisão.

Notas: 
1 - Prefiro grafar edredon com "n" final, porque acho mais "chic"!
2 - Caso haja risco de ir um casal para o paredão, pode haver um terceiro emparedado por algum processo (Big Fone, votação, etc).



"Paulo Rogério 4 de fevereiro de 2015 11:03
Concordo com quase tudo o que você comentou.
Gosto de RS pelo embate que existe entre pessoas diferentes em um mesmo ambiente. O jogo é um elemento... mas o mais importante é a pessoa por traz do jogador.
É muito interessante ver o ponto de virada na trajetória de algum participante. Procurar entender o que levou-o a tomar uma atitude que não esperávamos, justamente porque algo mudou.
Estou gostando desta edição (15ª)... ela recuperou muito da sensação que tinha lá no começo de tudo."

Não mudou muita coisa, ainda! Por enquanto é somente isso: a expectativa ou a sensação; mas o redirecionamento às raízes já é um bom sinal, Paulo Rogério.

"fernan goncalves 29 de janeiro de 2015 21:33
A Globo jogou contra a Franciele, ao colocar uma pessoa que não ficou no Hotel o mesmo tempo que todos os participantes ficaram..." "...A Globo começou um Reality todo Errado. nunca vi uma coisa dessa antes.
Até o mau mau que voltou na edição da maria, não tinha nenhuma informação, como marco teve.
Como Aline disse uma Vez. R-I-D-I-C-U-L-O"

Penso que o programa ainda não desceu ao nível de jogar diretamente contra um participante, especialmente na estréia ou na primeira semana. Não faz sentido nenhum. Francieli errou e sabe que errou. Ela também declarou que é contra a formação de casais em RS e que era adepta de um jogo mais inteligente visando o prêmio, o que também contribuiu contra ela, sem falar nas manipulações que ela fez ou tentou fazer. 

Mau Mau tinha informação privilegiada e, só não soube usar. Bial falou isso para ele, não nesses termos, no discurso de eliminação. O nome da Maria (BBB11) no panteão dos vitoriosos do BBB tem que ser escrito com inicial maiúscula, em minha opinião.  

"Paulo 4 de fevereiro de 2015 14:00
Bbb é programa de gente grande. Besteira à parte, Talita não é mãe de molecada no Twitter e tem o direito de viver sua vida como bem entende. No mais, detesto caprichetes tb. Vc repara que é dessa forma que a torcida se porta quando é apenas uma parte do casal que ancora a preferência em vez de compartilhar. Aí fica claro que é só torcida por formar parzinho em si pra dar ibope pro favorito em vez de torcida pra um encontro real entre duas pessoas boas ou interessantes." 

Pense o seguinte, Paulo: a causa da ancoragem da audiência nos romances não seria pelo excesso de jogatina? Quando a maioria prefere ver romance ao jogo desregrado, eles exageram e só mostram romance. Quando a maioria só quer ver jogo, eles exageram e só mostram jogo. Não fazem um balanço equitativo e acabam não mostrando outros fatos e conteúdos. É falta de jogo de cintura. Em novelas e filmes de sucesso isso não acontece e há um equilíbrio entre fotografia e conteúdo (elementos do enredo).

"ronaldo perez 4 de fevereiro de 2015 14:32
Acho que esse BBB, já está virando o 14 só que mais cedo, não sinto simpatia por nenhum participante, sinto sim antipatia e estou cada vez mais abandonando o ppv, ao ouvir os diálogos a vontade de trocar de canal e ver um filme é cada vez mais constante. Acho que só tem cobra lá dentro e todos, TODOS estão jogando pesado e sem escrúpulos, não senti verdade em nenhum participante.
Vejo todos como vilões, quem vencer deve ser o menos pior, ou talvez o mais!"

Né?

"Email de Fatima, 6 de fevereiro de 2015 05:14
Oi!Frank
Eu estou observando os participantes do BBB15, confesso que está difícil torcer por algum no momento, também ainda é cedo para isso, mas já tenho uma ideia inicial sobre alguns.Fernando: abafou na primeira semana e hoje se acha o dono da bola, da bola furada.Não há dúvida que fisicamente é o mais interessante, mas quando abre a boca,corre porque o bicho pega. Hoje passou uma cena em que ele disse para a namorada: se eu for para o paredão eu volto, o público não quer a gente separado (isso é confiança excessiva).Alias por falar em confiança em excesso Angelica é outra, acho chato quando a pessoa repete sempre que pode:  falo na cara, digo o que penso não deixo pra depois, coisas desse tipo joga confete em si própria forçando uma personalidade forte que não existe.Quem é não conta, aparece e se destaca naturalmente sem falar. Tamires: olha para as pessoas com ar de superioridade por cima, falta simplicidade que é bom em um participante de RS. Aline: rosto de anjo e atitudes que não condizem com sua imagem. Amanda: jogadora, está jogando pra valer, deu uma apaixonada traída pela paixão que nunca existiu principalmente porque ninguém se apaixona com três dias de convivência, mas aproveitou para sensibilizar o público com seu sentimentalismo barato, se fazendo de vítima. Os demais estou observando ainda, por isso , não vou comentar .E você escrevendo cada vez melhor suas impressões.Beijos"

Este email é de alguém que está vendo o mesmo RS que eu. Beijos, Fatima.



Distorcer a história dos RSs é próprio de Farfan (Farsantes fanáticos), que em inglês significaria "Fã distante ou extremo". Já que a moda agora é cunhar rótulos pejorativos, Farfan é de minha lavra para certos tipos. A última lição que estes tipos aprenderão em vida é que desperdiçaram a maior parte do tempo em inutilidades e futilidades em detrimento de tempo maior para o amor, qualquer tipo de amor. Buscaram a felicidade em todos os cantos quando ela estava todo o tempo adormecida em seus corações e mentes.

As pessoas mais felizes são as que se contentam com pouco. As mais infelizes, são as que não se contentam com nada. Então a felicidade está em você e não fora de você. Então a infelicidade está no que não está em você ou no que você não tem. 


6 comentários:

  1. Bom dia,
    Fiquei pasma ao saber da situação de Marco e como usou esta informação pra colocar a sua melhor adversária no paredão e vai fazer o mesmo com todos . Seu jogo é de guerra fica na retaguarda e manda os soldados para luta, vai derrubar um a um , se não sair antes. Fracos o que e deixam manipular por medo de ir para paredão.Nesta edição já dá para identificar alguns que podem sair, são peças descartáveis no jogo. Mas Marco precisa delas para concluir sua estratégia.

    ResponderExcluir
  2. Quanto aos outros participantes, vejo que: Rafael é um jogador o problema dele é medo, medo de ser indicado é visível isto pelas falas e atitudes.Já Talita seu único medo é perder Rafael. Amanda, é uma jogadora um tanto silenciosa se faz de fraca mas se engana quem pensa que é. César eu disse que iria crescer no jogo, correr pelas beiradas e a prova disto são as torcidas. Já está dando para ver quem tem perfil de lutador para chegar na final, já dá para tirar 6 participantes com este perfil.
    Telma

    ResponderExcluir
  3. Frank, estou curioso pra saber o que você achou do comportamento de Adrilles quando Tamires o procurou para conversar. Não sei se é tão interessante para o enredo da edição, mas se o programa é um jogo de avaliação moral... da minha parte, acho que só confirmou o buzz virtual de que esse moço é um stalker e bem doente da cabeça.

    ResponderExcluir
  4. Gente, esta é a primeira vez em 15 edições em que na terceira semana de confinamento, ainda não consegui gostar de ninguém. Não que eu concorde com a escolha de todos os vencedores até então, mas sempre elegi o MEU vencedor baseada em fatos como carisma, inteligência, comportamento, estratégia, empatia. E não consigo "empatizar" com nenhum deles! Em uma análise superficial nos primeiros dias, quando todas as máscaras ainda estavam bem posicionadas, até era possível enxergar dois ou três participantes fortes candidatos ao trono, mas passadas três semanas, não restou um! Mas... como sabemos que a torcida adoooooora um estereótipo, aposto minhas fichas no Cézar, o chato de galochas deslumbrado, interiorano e humilde que a audiência adora premiar. Pena que o espectador de reality ainda não saiba ecolher o peão que traga os elementos mais interessantes para o jogo, mesmo que não seja o mais legalzinho. Ok, deixa o legalzinho vencer, mas mantenha aquele que movimenta o jogo até o final, como fizeram na edição passada com a Angela. Não há nada mais divertido do que ver o "vilão" da edição nadar e nadar e morrer na praia, crente que estava abafando. Tirar a Francieli na primeira semana foi um tiro no pé da audiência. Assim como será novamente caso a antipática Angelica seja emparedada agora. A graça de um jogo de xadrez é a emoção causada pelo movimento das peças, mas aqueles jogos que duram dias porque falta coragem e astúcia para um xeque, mesmo que não seja mate, são muuuuito monótonos. É como está se apresentando esta edição pra mim. Espero sinceramente ainda ser surpreendida!

    ResponderExcluir
  5. Nem li tudo. Mas rebatendo seu post, quanto aos produtores enfatizarem o sexo. No Brasil e no mundo hoje, na cultura ocidental, o que gera lucro é o sexo e todo mundo sabe disso. Não adianta você expor um texto aonde varias coisas que você julga errado ou que defende como certo, somente para avaliar os fatos. Não vai mudar nada. Vai somente piorar. O mundo se encaminha pro nudismo da padaria, aonde pessoas naturistas vão até a padaria sem nada. O ser humano foi criado sem roupa, no jardim do eden não tinha roupa. Os neandertais não tinham roupas. São descritos assim porque no dia em que descobriram que a pele de animal os protegia do frio, passaram a se cobrir. Mas e em dia de calor? Não adianta querer dizer que todo mundo ou alguns envergonham uma prostituta veterana, porque principalmente ela já sabe fazer isso tudo e até mais. Foi ela quem ensinou isso aos maridos. Está na hora de você comentar melhor e avaliar ainda mais a fundo os Realities e parar de focar no sexo. Esse já esta perdido. Largue os seus "achismos" e foque no que realmente interessa, o jogo.

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html