03 janeiro 2015

Aninha Albuquerque: Cozinha sob Pressão
Malfadada espinha!



Malfadada espinha!

Adeus ano velho... Feliz Ano Novo pra todo mundo!! Nossa, que rápido que passou né? Tudo muito corrido, muita confusão, muito se fez e muito se aprendeu em 2014! E bóra lá pra 2015 que o tempo não para, povo! Saúde pra nós! :)

E falando em aprender, no programa de Sábado, 27 de Dezembro, os fófis tiveram a oportunidade de mostrar que aprenderam direitinho na escola, respondendo algumas perguntas de conhecimentos gerais... Ai meu Deus!! Teve erro tosco, marcada de touca, puro desconhecimento... Tá certo, vá, cozinheiro tem que manjar mesmo é de cozinha, de comida, de pilotar fogão, de conhecer ingredientes e etc... E o Cozinha sob Pressão é um reality de cozinha, composto por cozinheiros, né? Só que além disso, é um jogo. Em jogo, fófi entra pra encarar várias coisas, pegadinhas, provinhas sinistras, e faz parte do show... Mas olha!! Teve umas respostas ali que desacreditei!
Bão! Quem se deu bem foi a Dani, que teve o direito de escolher primeiro qual prepararia entre os pratos típicos eleitos, em uma releitura, e ficou com a feijoada. O segundo lugar foi de Arthur, e ele escolheu pato no tucupi. Bia, que ficou em terceiro lugar, escolheu barreado, e sobrou para Carol o baião de dois, que era exatamente o que a fófi queria fazer logo que as opções foram mostradas.

Lá se vão os competidores colocar a mão na massa, e até que o desafio foi tranquilo. Uma hora e meia para o preparo, e vale dizer que acho que é pouco para o preparo de uma feijoada bem feita, por exemplo! Aí fófi, no caso a Dani, tem que se virar mesmo, né? Fazer o que? Dessa vez o Chef Bertolazzi teria companhia para provar e julgar os pratos: o crítico gastronômico Arnaldo Lourençato.


Ao contrário de Carol, cujo forte é a comida brasileira, Arthur não curtiu muito ter que preparar um prato clássico da cozinha nacional. Acho que foi marcada do carequinha, mas ele decidiu não colocar o jambú no seu pato no tucupí, substituindo a erva por hortelã. As gurias seguiram a trilha mais tradicional, dando seu toque pessoal, sem alterar demais as receitas originais.

Passa o tempo, os pratos ficam prontos sem confusão, e os cozinheiros são apresentados ao convidado.
Carol, confiante no seu prato, é a primeira a ser chamada. A moça desconstruiu seu Baião de dois, apresentado com uma cama de purê de feijão, por cima um bolinho de risoto recheado com carne seca e queijo coalho, coberto com mel e um pouquinho de pimenta de cheiro. O crítico ficou bem impressionado com a criatividade e os sabores.
Bia foi a seguinte com seu Barreado com a carne bem tradicional, umcrumble de banana com farinha de mandioca por cima, deixando por baixo a farinha de mandioca crua, tradicional do prato. Arnaldo pareceu curtir, mencionando como a cozinheira manteve a presença dos ingredientes, estabelecendo o que é essencial no barreado, e disse que o prato estava moderno.
Arthur é chamado, e leva seu arriscado Pato no tucupi para avaliação. O crítico já diz logo de cara que foi o prato que conseguiu identificar de imediato, que estava bonito, mas menos ousado na apresentação. A intenção, segundo Arthur, foi a de fazer o prato com cara de canard à l'orange... Ao invés do tradicional tucupi, ele fez o tucupi com manga para dar mais leveza, e preparou um purê de batata doce com leite de coco. Arnaldo gostou da textura da carne, e o Chef Carlos Bertolazzi pareceu surpreso, não de uma maneira muito boa, ao perceber que o carequinha não usou jambú num pato no tucupi. Arnaldo destaca a falta do ingrediente no prato, dizendo que parece que está comendo um prato francês, e não um prato brasileiro.
Dani é a última, e parece estar confiante. A Feijoada da moça foi temperada de um jeito bem caseiro. Ela fez um caldinho de feijão com tomatinho e pimenta dedo de moça, e a couve bem puxada no alho. Arnaldo prova e já identifica alguns problemas como um certo excesso de sal na carne seca, e linguiça um pouco dura, e diz que Dani poderia ter ousado mais no cozimento do ingrediente. Hmmm... não saquei muito o que ele quiz dizer com isso de ousar mais no cozimento, ma va bene...  No entanto, elogiou o molho e a couve muito saborosos, e se declarou encantado com a forma que ela conseguiu pegar um prato trabalhoso e mais óbvio e fez uma apresentação com glamour. Uia!

Bertz comenta sobre a proposta de trazer algo novo a receitas muito tradicionais. Ele declara que quem mais cumpriu o que foi pedido, ousando e trazendo opções saborosas foram Bia e Carol (de novo as fófis no poder! hahaha) e deixa nas mãos de Arnaldo a escolha da vencedora, quem mais surpreendeu. O crítico elege o prato de Bia como o que mais lhe tocou o coração pelo conjunto, pois ao mesmo tempo que foi ousado, conseguiu manter a brasilidade. O prêmio de ir fazer uma degustação de chocolates e azeites de Bia poderia ser dividido com mais alguém e ela escolheu ... DÃ!!! Carol, é claro! Tão me saindo duas irmãs siamesas essas fófis, viu? Hahahaha! Quero ver na hora do pega pra capar como vai ser...
Bia e Arthur ficaram limpando a cozinha e descascando tomates com faquinhas como castigo por perder o desafio, tudo devidamente supervisionado pelo Chef Caputo. Arthur estava visivelmente, e declaradamente, insatisfeito com a vitória de Bia, afirmando nos bastidores que ela disse ter feito um crumble, que era nada mais do que uma farofa... Calma carequinha, essas coisas acontecem, né? Enquanto isso, Bia e Carol se refestelavam degustando harmonizações de chocolate belga e azeite... Que vida dura né??

Lounge time! Familiarização com o cardápio da noite e suas receitas. Só quatro agora pra dar conta do serviço, e o funil tá cada vez mais estreito!
O cardápio parecia estar mais simples... Será que o serviço também seria mais fácil? Novamente Bertz enfatiza a importância que um pequeno detalhe pode ter para o sucesso ou para o fracasso de um dos competidores. Ele lembra que cada vez mais tem certeza de que os quatro alí são realmente os melhores pelos resultados que vêm apresentando, mas que a pressão também vai rolar nessa mesma proporção, que é para que eles continuem só melhorando o que entregam. Para o serviço do dia, ele chama Daniele para ficar nas entradas, Bia fica no risoto, Arthur na massa, e Carol nas carnes.

Início dos trabalhos! Chegam os pedidos e começa a pressão. Dani já está trocando as bolas, e Bertz diz que ela está "bem doida hoje!" quando ela confunde um pedido de risoto com um camarão. Já tinha pedido atrasado, e Bertolazzi pergunta, com aquele sarcasmo característico do Chef, se teria que chamar Arthur para ajudar de novo... A moça já estava errando pontos de cozimento, consistências...Ela manda pra Bertz, ele manda de volta! Montou errado, passava o tempo, prato chegando sujo... ai ai... E então, a pérola, ou melhor, a espinha!!! "QUEM LIMPOU O BACALHAU?" Um prato de bacalhau, que foi limpo por Dani na preparação para o serviço, chega com uma reluzente, esfuziante, vitaminada e "incômoda" ESPINHA! Danou-se, né? Já teve fófi eliminada por causa de uma espinha, todo mundo deve se lembrar desse detalhezinho de nada... Dani praticamente se desmonta ao ver a espinha (não é espinho, Daniele!) que o Chef mostra para ela, com a cara mais fechada do que embalagem à vácuo. "Faz outro!" Só! OPSS!!!!
Bia e Arthur trabalhavam juntos, tranquilos, tudo direitinho nas praças das massas e risoto. Já Carol se atrapalhou com o tempo das carnes, os pontos, teve cliente devolvendo prato e até desistindo. Alguém desligou o forno que a moça estava usando, e lá estava Carol com dois pratos devolvidos da mesma mesa, e dá-lhe confusão! Com o povo ajudando, acabou que o atraso diminuiu e as coisas começaram a entrar nos eixos. Bertz elogiou o pato de Carol, mas pediu que ela acertasse o ponto do cordeiro. Antes, porém, muito atraso, pontos errados, confusão com pedidos... Até que Carol acertou.
Hora das sobremesas, e Dani foi dar conta dos merengues. Uma coisa que rolou foi cooperação entre os cozinheiros. Fim do serviço! UFA!!

Bertz vai sozinho decidir os nomes enquanto os cozinheiros vão prolounge... Carol e Dani sentem os fundilhos queimando, com o delas na reta mesmo! MEDA!! Detalhes, detalhes... Carol sabe que não teve um bom serviço, e Dani reconhece que a espinha pode tira-la do jogo. Tá, mas pensa que acabou?? Naaaa... Quando Bertolazzi reúne o povo novamente, a surpresinha para os fófis é uma provinha básica, para que eles tenham a chance de se safar da eliminação. Maionese parceira do programa em foco, cozinheiros recrutados para preparar um arroz cremoso com o ingrediente, e quem fizesse bonito tava fora da berlinda. A-ha!! Não contavam com minha astúciaaa! Quer dizer, da produção!  Har-har-har... Como se os caras já não estivessem bem cansadinhos né? Ossos do orifício! Digo, do ofício...

Bacalhau, camarão, cordeiro, legumes, arroz cozido, tudo já à disposição, e uma caixa com bolinhas numeradas, que decidiriam a ordem de jogar um dado gigante, que decidiria o ingrediente de cada competidor, ou um coringa, que dava direito ao fófi de escolher o que iria usar. Nó!!
Tiradas as bolinhas. Dani é a primeira, e tira um coringa. Ela escolhe bacalhau. Bia é a segunda, e o dado cai no salmão. Arthur tira cordeiro no dado, e Carol tira legumes.
Lá vão os bonitinhos improvisar. Em 20 minutos, tá meu bem? Valendo uma vaga na semi-final!
Ligeiro, ligeirinho! Mãos à obra, e detalhezinho: Bia quase se esquece de colocar a maionese no "arroz cremoso com maionese"!
O prato de Arthur não tinha nada de cremoso, falando sério! E a estrela, que tinha que ser o arroz, foi o cordeiro. Não deu pra ele. Bertz mandou o fófi prestar mais atenção no tema. Na verdade, não ví nehum arroz realmente cremoso alí, na boa... Achei que para cremoso faltou um bocado viu? Desce maionese aí povo! Economizar agora, pra que? Tsc, tsc, tsc...

O arroz que mais agradou Carlos Bertolazzi foi o de Bia. Só acho que o Chef Bertz exagerou bem quando disse que estava difícil escolher... Ah sim, e ele disse  que os três estavam gostosos, não os quatro, o que já indicava que Arthur estava fora, já que o único a receber observações, comentários e críticas foi o do moçoilo... Bertz! Pelo menos no visual, cremoso alí nenhum ficou.
Bom, Bia imune ainda indicou os nomes dos dois piores no serviço. Hahaaaa! Ela indicou a amiga Carol, e Dani. Tava óbvio né? As duas foram quem pisou no tomate no serviço. É justo. Se fosse diferente, aí sim ia ficar chato.
Bertz mencionou o tempo muito grande da Dani nas entradas, a falha das queneles, além dos pontos errados das carnes de Carol. As justificativas das gurias foram as de sempre, mas Carol também acrescentou a admissão dos seus erros. Bertz afirmou que fica se apegando a detalhes para poder eliminar uma das duas, mas ressaltou que se dependesse dos atrasos provocados por elas, teria que eliminar ambas...
O que pegou foi a espinha do bacalhau de Daniele, e como o próprio Chef comentou, isso já mandou uma pra casa. Lá se foi mais uma.

Gente, agora são três!! Tá acabando, reta final, salve-se quem puder!!
Vamos ver quem sobra, porque nesse resta um, a raspa do tacho leva o grande prêmio! :)
Beijinhos, Feliz Ano Novo pra todos, e encontro vocês no próximo post! :)
Até já!!


- Aninha Albuquerque


3 comentários:

  1. alguem poderia me dizer pq o bbb 15 vai começar tao tarde
    20/01 sempre começa dia 08 , 10 o bbb 14 começou dia 13
    sera que esse ano vai ter menos participantes e mais curto
    ja que a nova programaçao da globo sempre começa
    na primeira semana de abril obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque a fase da cadeira eletrica atrasou

      Excluir
  2. Aninha pq vc entrega a materia com uma semana de atraso? Desculpa mais sabado dia 3 quem saiu foi a Carol e na final todos os eliminados voltarão e a Bia e o Artur vão fazer equipes e eles serão os "chefs" e criaram um cardapio proprio..

    ResponderExcluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html