13 novembro 2014

Aninha Albuquerque: Master Chef Brasil
Feijoada e Cascudinhos! Quem tem medo do caranguejo?


Feijoada e Cascudinhos!
Quem tem medo do caranguejo?


O programa dessa Terça-feira, 12 de Novembro foi cheio de surpresinhas... Logo de cara, quem batesse as claras em neve no ponto perfeito sairia em vantagem na próxima. Cecília venceu, esperta ela! Ninguém além dela teve a idéia de perguntar se era obrigatório usar todos os ovos da bancada. Como usou apenas uma clara, foi rapidinho. Cecília conseguiu o ponto certo e com a vantagem de eliminar alguém para ir direto para a prova de eliminação. Lá foi Flávio para o camarote esperar a hora da tortura! Vingada pelo "caso da arraia", a loura pôs-se a escolher duplas para fazer uma feijoada com os ingredientes da caixa surpresa. Como parceira, escolheu Helena. As duplas concorrentes foram Jamyly e Luis, Jaime e Stefano, e Elisa e Mohamad. Cada participante deveria cozinhar por 15 minutos consecutivos, e "passar o bastão" para o parceiro. Quem estivesse na pausa não poderia nem mesmo tocar nos ingredientes ou nos utensílios.


Começa a bagunça de buscar os ingredientes restantes no mercado! Tempoooo! Todos de volta às estações, e mãos à obra. Quem se planejou bem levou vantagem, já que essa ordem decidiria quem terminaria e montaria o prato.
Luis e Jamyly decidiram fazer apenas farofa, descartando o arroz, tradicional acompanhamento da feijoada... Quase sem comunicação, a dupla trabalhou praticamente em silêncio, e Luís acabou por assumir um comando maior da preparação. Elisa e Mohamad já mostravam sinais de stress logo de início. Helena, pobrezinha, ainda na cadeira de rodas, começou as preparações enquanto Cecília parecia pai nervoso em sala de espera de maternidade, cheia de comichões! Stefano e Jaime (este último mui P da cara com Jamyly, dando seus testemunhos dos bastidores, e aproveitando a cada oportunidade para dizer que alguém tinha que voltar para o Amapá... Hahaha!) pareciam tranquilos, em casa mesmo, preparando a sua batizada "Feijoada do Gueto". Jaime se cortou e sangrou muito, mas manteve a compostura, colocou uma luva por sobre a outra para não ter que abandonar o posto e perder tempo.



A certa altura, Mohamad começa sua tertúlia com ingredientes e acessórios! Elisa, desesperada, tentava fazer o menino maluquinho manter a calma, e dava instruções sempre que conseguia. Como diria Maroca do BBB 10 e 13, "Ô sufrição!!". E corre-corre, como sempre! A participação dos Chefs-jurados foi a de sempre, azucrinando, atrapalhando, querendo explicações e atenção enquanto os competidores cozinhavam com tempo contado e limitado, o script usual, né? Comentavam entre eles e Ana Paula Padrão sobre as opções de preparo dos participantes, já pré-avaliavam o desempenho de algumas duplas, etc. E Jacquin gritando de quando em vez que estava morrendo de fome. Carma, sô, não tem comida em casa não?? Com essa barriguinha, duvido! Hahaha! Fora o fato de ficar junto com Fogaça torrando a paciência, dizendo que não tinha cheiro de nada, que feijoada tinha que ser cheirosa, ficavam cheirando o ar procurando o aroma, reclamando, dizendo que não ia sair nada de feijoada dalí! AFFF! Flávio ansioso, observava do camarote, e abordado pela apesentadora, mencionou que seria melhor que se salvassem Stefano e Jaime, ou Jamyly e Luís, por exemplo, por motivos bem excusos, não? O que não passou despercebido por Ana Paula.


Chega "a hora do vamos ver ". Competidores ainda correndo, como Cecília, para montar os pratos. Faltando quase nada, Mohamad atrapalhado para montar o prato, correndo feito um doido para buscar pratos, cumbucas, Elisa em pânico! Mohamad ainda consegue derrubar farinha de mandioca por sobre o prato! Eita! Acabou o tempo! Julgamento. Começando por Jaime e Stefano, a feijoada estava bem apresentada, mas teve defeitos, como o arroz mal-cozido, muita carne para pouco feijão, e estava um pouco salgada de acordo com a Pati-Chef Paola. Jacquin disse que era uma verdadeira feijoada de tradição, de boteco, mas não de Master Chef... Stefano já deu aquela desanimada; o meninão sempre fica caidinho com críticas negativas. Jaime segurou mais a onda. Luís e Jamyly, a abusada, levaram seu prato para ser avaliado. Achei o prato bem bonito, colorido. Mas faltou o arroz, gente! Feijoada sem arroz é um treco estranho, não é não? Na saia justa, perguntada sobre quem comandou o processo, Jamyly sorriu amareeeelo! Se saiu com "quem mandou mais foi ele", e discorreu sobre como ele ficava no "ouvidinho" dela dando as orientações, sobre como mulher acha que manda mais na cozinha do que homem, e acabou dizendo que pediu a ele que fosse capitão. OI?! Não ví isso, não! Fala sério?! Nessa hora, Helena se encolhe e rí, como quem não acredita! Fogaça, que estava provando do prato, achou um pouco salgada mas gostou, inclusive elogiou a farofa. Não aguentei as carinhas de meiga que Jamyly fez para Jacquin, toda sorrisinhos, fazendo comentariozinhos, e rindo mais. Sei lá o que é que a fez pensar que de repente pode ser a queridinha de Jacquin, que também gostou da farofa.


A feijoada de Helena e Cecília já saiu com a crítica sobre a couve, que Jacquin perguntou se havia sido frita, e olhando torto quando a loura explicou que a fritaram para crocância, pelo visual... Ele também criticou a falta de tempero da farofa, mas disse que a feijoada estava correta. O francês fez questão de dizer que esperava mais das duas cozinhando juntas. Fogaça gostou de tudo, menos da couve, que julgou desnecessária. Elisa e Mohamad chegam com sua feijoada para julgamento, com direito à leve tirada de sarro de Paola sobre a farinha "polvilhada" na comida. Criticou o feijão que estava pouco cozido, e o suposto torresmo, que no fim das contas era bacon frito. Paola disse que pela bagunça que eles fizeram, era comível, e Fogaça perguntou onde estava o feijão e a farofa, porque realmente, não tinha suficiente no prato.
Decisão final: a pior feijoada foi a de Mohamad e Elisa... Cecília e Helena acabaram derrubadas pela bendita couve... A melhor, levando a dupla para o camarote, foi a de Luís e Jamyly. Luís subiu todo feliz, pela primeira vez.



Os que se deram mal ficaram para a prova literalmente cascuda! Foram "presenteados" com cordas de caranguejo do mangue, vivos! Teriam que "botar os bichinhos para dormir", e prepara-los direitinho, usando bem a carne, e criando bons pratos. Pânico na cozinha! Teve muita gente se espremendo de medo e tensão, com lágrimas nos olhos, perdendo o fôlego, desesperados mesmo.
Fogaça deu as dicas de cozimento, a melhor forma de abater os bichinhos. Curtí o jeito que Paola explicou a função dos cozinheiros no ciclo de vida dos animais, das vidas que eles usam na cozinha, e como eles têm a chance de honrar a vida daqueles seres nos pratos que cozinham. Foi muito bacana mesmo, tem que aplaudir.



Dadas as explicações, feitas as observações, cozinheiros pegam seus caranguejos "encordoados", correm para a confusão de sempre do mercadinho, e novamente, mãos à obra! Stefano já tinha mostrado seu pânico por nunca nem ter experimentado caranguejo, muito menos lidado com um na cozinha.
Festival de barbeiragens pelas bancadas, gente não seguindo os conselhos do Fogaça sobre como abater os bichinhos, gente se atrapalhando, com medo de tocar nos cascudos...
Teve gente mais segura, como Cecília e Jaime. Ela sabia exatamente qual prato faria, ele já tinha matado caranguejos antes. Elisa, que tinha demonstrado nítido pânico já havia se recomposto e trabalhava com certa confiança confeccionando seu prato de caranguejo cremoso. Helena parecia preocupada, mas não se desconcentrou por ter que matar os caranguejos pela primeira vez. Decidiu que faria uma moqueca... Moqueca de novo, Helena? Hahahaha... E lá estava a fófi em apuros ora na cadeirinha, ora de pé, com o pé engessado apoiado numa cadeira, pilotando o fogão toda compenetrada! Também teve dificuldade com os cascudinhos na hora de tirar a carne de dentro das carapaças.



Cecília estava bastante segura quando abordada pelo pit-Chef Fogaça, que insistia em meter a mãozona na panela da moça e pegar o caranguejo, que jazia coberto por legumes e ervas. Ela decidiu que prepararia o prato como gosta de comer na praia: inteiro, só com a casca já quebrada para facilitar na hora de comer com as mãos. Jaime quis preparar um escondidinho com purê de batata e queijo gratinado, e parecia trabalhar bem tranquilamente.
Flávio optou pela casquinha, óbvia segundo Paola, mas passado um tempo, teve que mudar de idéia, já que não ia dar tempo de gratinar as casquinhas. Resolveu fazer tortilhas com a carne do caranguejo num caldo claro de tomate. Dá-lhe caranguejos espalhados por todo canto, escalando panelas, passeando por bancadas... Trabalheira danada!
Stefano se embananou com seu prato, nitidamente com dificuldades para lidar com o caranguejo, e precisou de dicas e mesmo das mãos do Chef Fogaça, compadecido do meninão, que não conseguiu conter as lágrimas de tanto nervoso. O Chef acabou por demonstrar como é que se tirava a carne do caranguejo. Não demorou e o moço em frangalhos levou chamada da hermanaPaola, já que estava com a torneira aberta, gastando litros para limpar dois caranguejos, como se estiagem fosse coisa de ficção científica!
Com Mohamad, a única coisa que se pode prever é uma baita baderna na bancada. Divertido foi o doidinho caçando seus caranguejos pelo chão, todo aflito, e pedindo a que eles não o mordessem! Até que estava mais concentrado, ou assim me pareceu, enquanto limpava os bichinhos!
E mais caça aos caranguejos! Destaque para Cecília ajudando Ana Paula a pegar um caranguejo fujão no chão, lá do outro lado das bancadas!



No final da prova, poucos competidores pareciam realmente satisfeitos com seus pratos.
Julgamento. Stefano foi a primeira vítima. Seu refogado de caranguejo tinha várias partes com casca no prato, já que ele não cogitou quebra-las para servir. Fogaça deu lá suas marteladas, experimentou da carne, mas não fez cara boa. Jacquin experimentou o caldo, quebrou a casca de uma pata para deixar preparado para Paola, mas não fez comentários. La hermana puxou para as bordas do prato todas as "peças sobressalentes" que encontrou no caldo, provou da carne e saiu com cara de quem dá condolências a alguém num funeral. Teve muitas críticas, como a de não ter se esforçado realmente, do tempero estar errado, outros sabores se sobressaindo mais do que o do ingrediente principal... Deu ruim pra ele.
Mohamad! Lá foi ele com seu prato de caranguejo ao vinho com leite de coco e cogumelos. Mais um que não quebrou as cascas. Fez a besteira de descrever, logo para o Chef Jacquin, a outra opção que tinha em mente e não fez porque achou que iria levar muito tempo! Fogaça fez que iria colocar o caranguejo com casca e tudo na boca e dar uma dentada... Então pegou um caranguejo e quebrou a casca com os dedos, só para acabar levando um belo banho dos líquidos que jorraram para fora do bicho, espirrando pelo paletó e rosto do Chef! AAAAI como eu rí nessa hora, gente!! Se limpou, sem comentários, e saiu sem nem provar do prato. Mohamad riu, não sei se de nervoso ou se curtiu a lambança! Lógico que o francês implicou e disse que queria ver a outra opção, um prato de Master Chef, mais sofisticado. Disse que não queria ver o cara que vai simplificar, e que da próxima vez que Mohamad apresentar um plano B, ele não experimentará o "plato". Melindrooooosa! Hahahahaha! Mohamad ainda tentou a desculpa do tempo com Fogaça, que retrucou que os outros fizeram...



Flávio chegou com sua tortilha, e explicou para Paola que era a mesma base, a diferença era ser frita, e que não fez a casquinha por causa do tempo. Jacquin também experimentou, e os dois comentaram sobre a farinha, o ovo, a fritura. Paola achou que a carne delicada do caranguejo se perdeu, que poderia até ser frango, por causa dos ingredientes e da própria fritura. O próximo comentário de Jacquin deixou Cecília preocupada com seu prato "praiano"; o bom do prato de Flávio foi que ele facilitou a vida dos Chefs, ninguém tomou um banho de caldo, não comeram com as mãos, que ele se sentira num restaurante, comendo com gente civilizada, não numa praia, de sunga comendo caranguejo com as mãos... UI!
Elisa se deu bem! Recebeu elogios por seu caranguejo cremoso com arroz e raspas de limão. Fogaça se emocionou até! Disse que se sentiu levado aos almoços de domingo na casa da mãe, que deu até um "barato" na cabeça dele! Foi parabenizada pela simplicidade, pelo sabor, por ter conseguido superar o medo, por ter honrado a vida do caranguejo! Saiu toda feliz, correndo!
O escondidinho de caranguejo de Jaime foi a peça das brincadeiras de Jacquin, que gostou do formato de pac-man, segundo ele. Jacquin e Paola gostaram do purê com leite de coco, O francês chegou a dizer que poderia ser um prato de um restaurante, de um bistrô. E realmente, fica muito bom! Eu pessoalmente curto demais purê de batatas feito assim... Yummy!! O sabor da carne sob o purê também foi elogiado! Outro que saiu feliz, emocionado por ouvir que evoluiu, até chorou! Nhóóó...



Helena levou para o julgamento a sua moqueca, preocupada com a quantidade de carne que tinha conseguido extrair, e que não era muita. Ouviu de Fogaça e Jacquin que precisava sair da moqueca. O pit-Chef ainda disse que esperava ver outra coisa vinda dela, que esperava mais, algo inédito. Jacquin concordou, e ficou a mensagem de que o repertório tem que ser maior. Helena já afirmou que só volta a fazer moqueca se for para a final, e se tiver abertura para isso. Garota esperta! ;)
Foi então a vez de Cecília levar seu caranguejo ao vinagrete para ser degustado. Ao ser perguntada por Fogaça se estava satisfeita com o prato, ela explicou, toda nervosa, que era assim que gostava de comer, que estava satisfeita, mas tinha ouvido o comentário para Mohamad. Jacquin apontou que era um prato muito simples, que em qualquer praia no Brasil se serve um caranguejo assim por 30 reais a porção! Fogaça se disse decpcionado pela falta de criatividade, e até chegou a pedir que o desculpasse por dizer aquilo, mas que qualquer Mané fazia um "negócio" daqueles. As críticas foram entremeadas por elogios de Jacquin, que disse gostar da comida dela, e que achava o prato maravilhoso, mas para comer na praia fumando um charuto, de bermuda, e não no Master Chef. Perguntou ainda que se ela ganhasse o Master Chef, colocaria essa receita no livro. O conselho de Paola foi para pensar em para quem e aonde o prato será servido. Cecília saiu desapontada da frente dos Chefs após ouvir que não havia cozinhado.



Na decisão final, Helena, flávio e Mohamad foram os 3 medianos; o molho saboroso salvou Mohamad, Flávio tem boas idéias mas ainda não consegue chegar 100% na execução, Helena teve boa avaliação, o prato estava correto, saboroso e bem feito, mas "chega de fazer sempre a mesma coisa"..
Elisa e Jaime foram os melhores. Jacquin, bem animado, discorreu sobre como gosta de pratos divertidos, que ensinam as pessoas a comer, e que gota desse aspecto, mas que ao mesmo tempo é rígido e exigente, porque há clientes assim, e aí é necessário fazer pratos sérios também. O prato divertido foi o de Jaime, e o mais sério, o de Elisa. Naquele dia, venceu Elisa com seu prato de restaurante de praia. A moça não se aguentava de contente por ter não apenas vencido a prova, mas superado o medo. E lá foi a fófi para os braços de Helena, comemorar!



Sobraram Stefano e Cecília (Eita ferro! Ela mesma, a dona do camarote! Acontece, né??) como os dois piores, os famosos "bottom two". O conhecimento, e acho também que o desempenho de Cecília até agora prevaleceram sobre a inexperiência de Stefano, novinho, inexperiente, mas com muita vontade de chegar lá! Fogaça falou sobre as conquistas do meninão até o momento, a superação de vários desafios. Stefano chorou muito, emocionado, decepcionado, pedindo perdão, mas ouviu elogios dos Chefs, palavras de encorajamento. Saiu do Master Chef levando consigo mais experiência, e de lambuja um cartão de Jacquin, que acabou por convidar o moçoilo para estagiar, aprender com sua equipe e com ele. Não tá ruim de prêmio de consolação, né? Acho mesmo que ele tem talento, que vai correr atrás, e vai longe! Boa sorte meninão! Tem mais é que estar orgulhoso da sua participação no Master Chef! Tens uma longa estrada pela frente, e tomara que ela seja bem bonita!
E foi! Semana que vem a gente se encontra por aqui, povo!
Beijinhos e até já! :)


- Aninha

0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html