16 outubro 2014

Master Chef Brasil com Aninha Albuquerque
Chocolate e lágrimas, peixe e ... lágrimas!


Chocolate e lágrimas, peixe e ... lágrimas!

Amargou pra muito participante ontem hein? Doce? Chocolate? Eita povo! Faltou repertório pra alguns cozinheiros, sobrou trapalhada e nervosismo para outros.
Bacana o jeito da inserção de uma marca para dar o tema da primeira prova. Rolou toda uma explanação sobre chocolate e seus ingredientes, as variedades, características, etc. Foi então dada aos competidores a chance de experimentar a pasta de cacau. Engraçadas as expressões de alguns ao sacar como um ingrediente-base pode ter o gosto diferente do produto final. Na minha experiência, provar do fruto do cacaueiro é uma experiência deliciosa! Suave, delicado, surpreendente! E a pasta que "amarra" na boca, ou como o povo da minha família lá do interior de SP diria, deixa uma certa "nódoa" na língua, que nem a banana ou o caqui ainda verdes.

Então, à prova! Preparar uma sobremesa com os ingredientes da temida caixa misteriosa, os chocolates mostrados no início, e mais uma profusão de ingredientes doces a escolher, onde o chocolate brilhasse. Na verdade, acho que os participantes apenas usaram a degustação como uma experiência diferente, porque não ví alguém realmente aproveitando para ter alguma idéia mais original, ninguém teve um bom insight. Flávio certamente impressionou, e conquistou os jurados com sua sobremesa: morango pochet de laranja. Hilário o Jacquin raspando o prato! Segundo o francês, Flávio fez um prato digno de Master Chef... Tá podendo o moçoilo! Vencedor da prova, subiu ao mezanino, outrora conhecido como camarote da Cecília. Fogaça, nosso chef-pitbull de plantão, chegou a pedir a receita para colocar no cardápio do Sal... Uia!
Estéfano decepcionou a si mesmo e aos jurados com sua sobremesa, que segundo ele, desabou porque talvez a geladeira não estivesse na temperatura correta para que a mesma adquirisse a firmeza necessária, isso depois de ter admitido para as câmeras que ele precisaria de pelo menos 5 minutos de geladeira para que a sobremesa adquirisse consistência. Mereceu a cara feia que Jacquin fez. Pior é ter visto a confiança do rapagão quando soube que o desafio seria fazer um doce, área que ele supostamente domina. Nhóóóó... Pobrezinho dele, né? Desculpinha esfarrapada não vai cair bem no programa, pra quem ainda não percebeu.

Agora, gente... Que é que foi aquela Jamyly chorando e "passando mal"?? Pra ela teve tapinha nas costas, palavras mais delicadas... O bolinho da guria estava seco à la Sahara, duro mesmo! Aquele treco de maçãs, que, segundo ela, seria uma calda (oi?? acuma??) pra mim não fez sentido, nem na consistência, nem na quantidade. A fófi fez feio e escapuliu pela tangente, né? Jaime, o professor, ficou pra lá de passado com o showzinho de "Jamylyumalágrimas"! TPM, lindona? Ahhh, espera pra sentir quando o M em TPM for M de menopausa! hahahaha
Jaime apresentou seu cupcake de nozes e cravo com creme de chocolate. Agradou.
Pena mesmo deu da Elisa. Tremia feito vara verde, chorou, se descabelou literalmente! A patachou? Desandou, encrencou, deu crepe. O creme de morangos? Consistência errada, endureceu demais... Se lambuzou, fez uma lambança que nóóó... Fiquei com pena mesmo! Mas pra que complicar, povo? Profiteroles têm o preparo mais elaborado, a receita tem que estar bem certinha, a consistência é específica e se der alguma coisa errada, esquece. Ou recomeça do zero, ou parte pra outra. Aquele creme devia estar todo errado, assim, pela aparência.
Lúcio e Helena por pouco não fazem a mesma sobremesa! Rí muito com as carinhas dos fófis descobrindo que usaram praticamente os mesmos ingredientes, e até a escolha da bebida alcoólica foi a mesma! Ai gente... Eu sei bem como é isso de longa convivênca, de ter gostos parecidos. Periga mesmo acontecer uma escolha igual ou muito parecida. Mas os doces acabaram sendo diferentes e tudo acabou bem pra eles - ainda que terminando na zona neutra, assim como Martin com seus brigadeiros.  Mohamad conseguiu se dar nelhor dessa vez, com seu bolo de banana. Cecília parecia bem segura do seu doce até o Fogaça chegar e começar a fazer perguntas... Era só olhar para a expressão no rosto da fófi pra soltar um sonoro "Xííííí!!!" A moça inventou que o creme, (ou o purê, ou o coulis, ou a sopa, segundo a Pati-chef-hermana Paola) que fez era um empoado Consomé de morangos com crème anglaise (que aliás a produção fez questão de escrever em bom português - creme inglês)... Só que não! Devidamente corrigida e informada sobre a definição do termo, ainda levou uma esculhambada básica dos jurados. Deu pra ti Narizinho... hehehe

Outra vez preciso comentar sobre os juízes, apitando demais para uns, de menos para outros... e costumeiramente atrapalhando a maioria com suas presenças, seus comentários, querendo atenção enquanto o competidor está cozinhando e deveria estar concentrado... Lógico que essa apurrinhaçãozinha básica faz parte, isso já ficou óbvio, mas ainda não conseguí entender qual é a de ficar dando diquinhas pra uns, e só pentelhando outros. Quer dizer... Acho que entendí sim, mas isso fica mais pra frente, né não?
Os melhores: Mohamad (ÓÓÓHH!! hahaha curtí o doido perguntando se podia ficar feliz!), Jaime, e Flávio - vencedor da prova.
Os outros competidores, entre eles os 3 piores, encararam a prova de eliminação. Como vencedor, Flávio atribuiu (inteligentemente ou não) a cada competidor o que iria cozinhar entre uma seleção de frutos do mar. De lula a arraia, de polvo a pintado, de camarão a robalo, tinha um bocado de criaturas marinhas lá na frente. Cozinheiros descabelando-se à vista! Jacquin mostrou técnicas básicas de limpeza de peixe...
Martin não curtiu muito a escolha do Flávio, mas lá foi ele com seu pintado para a bancada. Cecília, o prego que andou se destacando, levou a primeira martelada: cata lá aquela arraia, fófi, e se vira! hahaha De-tes-tou, obviamente! Ficou uma fera, na verdade. Vai ter vingança, ah se vai... Polvo pra infeliz Elisa. Bianca pegou tilápia. Lúcio ficou com pirarucu, e voltou para a bancada parecendo confiante. Estéfano chegou temeroso, como a maioria dos competidores, querendo camarão, mas levou o robalo. Luiz recebeu para sí um ilustre desconhecido : o vermelho. Jamyly escondeu o leite enquanto levava a lula para a bancada. Helena levou os camarões, sorridente...

E "assim começou a tragédia" que se originou na água, salgada ou doce... Destruição, massacres, facadas, esfolamentos, minha nossa! Ficou óbvio que tem muito competidor alí que nunca, nunquinha na vida lidou com um peixe inteiro. Aliás, a esmagadora maioria ficou insatisfeita com as escolhas de Flávio. Tá bom vá... Sacanagem pegar uma arraia pela frente, mas tem que se virar do melhor jeito, certo? Cecília pulled a drama queen, chororô desatado, chegou a pedir conselhos e dicas para Paola, que até foi boa gente com a concorrente, e fez um negócio que os jurados acabaram chamando de peixe desaparecido. Um caldo merrequinha numa cumbuquinha de nada, e a arraia era, digamos assim, vultuosa! Não, né, Cecília?
Estéfano fez um estrago no seu peixe, mas no fim superou o desafio, e conseguiu apresentar o prato, que até agradou. Martin travou uma bela luta com seu pintado e ficou na média. Lúcio parecia muito em casa fazendo uma moqueca de pirarucu. Helena foi na onda Thai com seus camarões, e sofreu pressão e pentelhação dos jurados, mais especificamente Jacquin, justamente porque pegou um ingrediente fácil. Elisa, a trapalhona com a corda no pescoço... O que dizer? Coitadinha, lá estava ela novamente em dilemas quanto ao que fazer com seu polvinho. Nervosa pra variar, pensava em saltear na manteiga o polvo, sem cozinhar! Ou pegar o da panela de pressão e fazer outra coisa, com Jacquin no seu calcanhar a fazer ainda mais pressão... Luis fez o peixe inteiro assado.  Jamyly aparentava tranquilidade limpando a lula, e foi para a previsível lula à dorê, que ela chamou de "crosta de lula", e mais uma saladinha simpleziiinha. Bianca se deu mal colocando no prato um baita crowd de elementos! O seu Papilote de tilápia com cream cheese e groselha na cama de laranja, vinagrete e cogumelos (UFA!! Só o nome já dá falta de ar! Quiquéiiisso Bianquinha?? Pirou na tilápia!) não agradou. Foi tanto ingrediente que o peixe acabou sumindo. Os juízes não tiveram pena, nada de misericórdia nas críticas.

Lúcio, Helena e Luis foram os melhores. Muito elogiado, Lúcio saiu vencedor, com direito à sugestão de Paola para a esposa Helena, toda orgulhosa, que brindasse com um champagne para comemorar a vitória do maridinho.


As piores foram Bianca, Elisa e Cecília. Bianca pecou pelo excesso, levou a pior e foi eliminada. Pela atuação ultimamente, eu até achava que ela poderia ir mais adiante, mas acontece, né? Sei lá... Tava brabo decidir alí... As outras duas concorrentes passaram um mau bocado, mas estão garantidas no próximo programa, Elisa talvez mais ligadinha, e Cecília um pouco mais humilde, quem sabe? É esperar pra ver... Acho que alguns competidores já estão começando a despontar entre os concorrentes, o que é - e cabe o trocadilho - uma faca de "dois legumes", né? Vide Cecília... E vejamos se vai rolar aquela vingancinha básica prometida por Elisa também... hahaha Tô doidinha pra ver!
Beijinhos e até já! :)


- Aninha

0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html