13 outubro 2014

Aninha Albuquerque: Estréia Cozinha sob Pressão
Hell's Kitchen brazuca



Estréia Cozinha sob Pressão
Hell's Kitchen brazuca

Aeeee!!!

Que bacana que estão chegando esses programas de gastronomia no Brasil! Muita gente critica, diz que não tem novidade, que é muita franquia, que é tudo copiado, mas por mim, que venham mais!

Curtí o primeiro programa! E confesso que minha preocupação era basicamente a emissora onde o programa seria produzido. Sei lá, o padrão SBT nunca me agradou muito, talvez por experiências passadas, tipo o reality show que eles fizeram anos atrás, a Casa dos Artistas, que era legal, tinha tudo pra ser bacanérrimo, mas no final das contas tinha o dedão, aliás a mão inteira do apresentador e dono do canal, fazendo de tudo, assim na cara dura, ao vivo, para que seus participantes favoritos ganhassem o apoio do público. Mas agora o papo é outro, né? Apresentador competente, pra começo de conversa. E o backup da franquia também ajuda, claro. Formato predeterminado, conceito testado e aprovado, fatores imprescindíveis pra um programa assim dar certo.

Carlos Bertolazzi está extremamente à vontade no comando, e pelo menos euzinha já esperava essa postura do Chef. Acompanho o grandão há um bom tempo, primeiro no extinto canal Bem Simples, e em seguida na Fox Life (ambos canais de TV a cabo), apresentando Homens Gourmet com mais 3 chefs. Bertz, como é chamado pela moçada que o acompanha em redes sociais e pelos chefs companheiros de programa, é divertido, tem um humor ácido, postura muito profissional, talento e competência já comprovados. No primeiro programa, ele me pareceu em casa como dono do show, não passou insegurança alguma e mostrou personalidade forte. Em nada é parecido com Gordon Ramsay, como muitos até arriscaram palpitar que seria, que sai aos berros assim, do nada, e é bem conhecido pela boca suja (o que acaba sendo muito divertido para a audiência e virou marca registrada do escocês, e atração dos seus programas em geral). Se me obrigassem a comparar, eu diria até que o estilo do Bertz pende mais pro lado do Marco Pierre, que também já apresentou um Hell's Kitchen um tempo atrás. Ainda assim, o Chef tem estilo próprio.

As diferenças que já notei entre o original Hell's Kitchen e o Cozinha sob Pressão, considerando o primeiro programa: como prêmio, 100 mil reais em barras de ouro na edição brazuca. O original de Gordon Ramsay, por exemplo, oferece o cargo de Head Chef em um renomado restaurante, além de um prêmio em dinheiro. Outra coisa diferente é que, como foi mostrado na chamada no final do programa, o serviço será para poucos clientes, apenas 40 segundo o site oficial, ao invés de um salão mais cheio como acontece na versão gringa (e pelas caras dos comensais... mamma mia! Mas isso fica para o próximo programa, né?). E uma dúvida, pode ser que sim, pode ser que não, mas na nossa versão, não me pareceu que os candidatos ficarão "acampados" lá pelas dependências do restaurante, mesmo porque me pareceu que o programa é gravado em estúdio, não em um restaurante de verdade. No gringo, os caras ficam hospedados no Hell's Kitchen, o que facilita muito para que haja provas-relâmpago daquelas bem cascudas, em que os competidores são acordados de madrugada, com panelaço e cornetadas, para descascar batatas, por exemplo, afim de deixar em ordem o mis-en-place para o serviço do dia. No brazuca isso provavelmente não será possível, vamos ver se é isso mesmo. Na versão gringa, as equipes vencedoras sempre ganham muitos prêmios bacanas durante o percurso, vamos aguardar para saber como será por aqui...


Então, temos 14 competidores. Os participantes do programa já são  profissionais da gastronomia.

As mocinhas:
Beatriz Buessio, Carolina Chloé, Daniele Rocco, Darileusa Rocha, Lilian Carvalho, Manoela Leão, Samara Martins.

Os moçoilos:
Arthur Sauer, Diego Gimenez, Fabrício Guerreiro, Francisco Oliveira, Marcel Bernardi, Marcelo Oliveira, Ronaldo Schüller.

As equipes estão divididas entre vermelha (mulheres) e azul (homens). A primeira prova foi o preparo do prato que representasse a essência de cada um dos cozinheiros.

Logo de cara, teve gente que me chamou a atenção. Arthur é um. Parece que sabe o que está fazendo, confiante e bem focado. Marcelo pode se sair bem, mas já deixou a desejar na primeira prova, executando mal um prato que já estava acostumado a fazer. Darileusa, esperta, escapou pela tangente, servindo sua moqueca numa frigideira por falta de tempo e se justificando pela falta de uma panela de barro... daaanaaadjeeenha! Samara é das concentradas, tipo cdf, quietinha, discreta, se deu mal na primeira prova não pela avaliação do Bertolazzi, mas pela opinião de Darileuza, que achou que faltou molho no macarrão à puttanesca preparado pela companheira de equipe. Fabrício, dono de um food  truck, ou food  "truque" segundo o moço. Marrentinho, decepcionou no preparo do seu prato na primeira prova, um yakissoba servido em seu negócio. Com as desculpas que pôde encontrar, se justificou, mas não colou... Já Marcel não "entregou". Usou mal o tempo da prova e acabou por apresentar para avaliação do Chef um peixe que estava crú. Carolina... observemos a mocinha... parece ser casquinha assim à primeira vista. Lilian é quem vai chorar a cada saída de um competidor... simpática ela! Manoela... Na minha opinião, erra e não admite. Entregou um peixe com espinha para o Chef Bertz, e acabou no sal junto com Samara, Marcel e Fabrício. Os quatro tentaram reproduzir o prato premiado e xodó do Bertolazzi: Gnocchi al Pomodoro con Fonduta di Stracchino. Vendados, os fófis usaram os sentidos para sacar como era preparado o prato, e puderam ver o apenas o prato montado. E mãos à obra. Os minutos seguintes tiveram as costumeiras trapalhadas dos programas de competição culinária: um não sabia usar um aparelho, outra não encontrava um utensílio que estava a dois palmos do narizinho, corre pra lá, corre pra cá, equívocos, e também sacadas boas. 

Aí que alguém teria que ser eliminado, e sobrou pra Manoela. Carlos Bertolazzi chegou a pegar uma bolinha do gnocchi preparado pela competidora e joga-lo sobre a bancada... Rí muito vendo a bolinha quicando antes de cair! Não pode, né? Não dá pra fazer um gnocchi usando a mesma proporção de farinha e batata. O ideal é um quarto de farinha pro total da batata. Ecco! A apresentação do prato estava diferente, sim, banhada no molho, e ela achou que estava como a do Chef. Equívocos, né...? Ou cabeça dura messs... Depois da pataquada, como na musiquinha do Pato Pateta, "tantas fez a moça, que foi pra panela..." Quá qua quaáá quáááá... 

E foi. Primeiro episódio bacana, não deixou a desejar para a versão gringa, e me parece que vai ficar muito melhor!

Só acho que podiam guardar um pouco do conteúdo do próximo episódio para o dia da exibição, sabe? Não sei se é para atrair e prender a audiência para o programa, pode até ser, mas mostraram MUITA coisa do que vai rolar. Mas muuuuuita mesmo! Uma chamada gigantesca! Tomara que no próximo episódio já não façam isso, porque tira o impacto, na minha opinião. No mais, minha opinião é que Cozinha sob Pressão tem tudo para ser um ótimo programa, com uma audiência muito bacana! Torço pra isso!

Então, vamos esperar pra ver, né? Beijinhos e até já! :)

Aninha



0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html