02 dezembro 2013

IMPRESSÕES de Frank Killer: Ana Carolina


Ana Carolina

A partir dessa edição não dividirei o post como de costume. Falarei em tese e sem tecer comentários eminentemente históricos. A razão para isso é que os fatos ocorridos no confinamento em termos de relacionamentos ainda estão retidos nas memórias de médio e curto prazo dos nossos leitores e visitantes fãs de RS.

Na nossa enquete a Ana Carolina venceu e isto não foi surpresa para mim. Ela não teve a "sorte" de cair no grupo da Xepa. LOL. Ela é uma advogada inteligente e lutou bravamente para sobrepujar a preferência que o grupo da Xepa tinha por parte do público. Uma inocente utilização de sabão em pó para matar formigas foi tida como um "grave" defeito de caráter, ressaltado pela produção, no sentido de que era desperdício. LOL. Como se na vida real ninguém fizesse isso, na falta de produtos adequados! LOL. Também os chiliques e animosidades dela contra formigas foram interpretados como "fitinha", assim como o seu relacionamento com a vovó Naná e quando esperneou de desespero na cama de seu quarto na noite em que ela (Naná) foi eliminada.

A meu ver a produção aproveitou-se do detalhe do grupo coeso da Xepa ter a preferência do público e a prejudicou tendenciosamente, ressaltando pequenos defeitos, depois de a ter promovido artificialmente para "engordar" a audiência em paredões. Pelo visto a produção também não acreditou no relacionamento dela com a Naná. A Ana foi eliminada pelo Max com 58% dos votos em seu sétimo paredão.

A Ana não era a minha musa e não o foi em momento algum. Minha musa era a Francine, apesar de não gostar dos "negaceios" dela em seu relacionamento com o Max. Eu sabia que ela estava representando por causa de alguns recados que deixou no "Raio X" e sabia que aquele romance não iria durar. Ela parecia não saber que o que diziam no "Raio X" era divulgado pelo site oficial.

Também não gostava muito daquele "benhê" dela no tratamento com o Max. Maíra e Priscila também foram minhas musas nessa edição, por serem muito bonitas. Francine era um pouco engraçada e tinha atitudes inusitadas. Eu gostava do jeito engraçado e caricato como ela dançava, diante de um Max, exímio dançarino.

Dá para perceber que os fãs de RS de hoje, não são exatamente os mesmos que assistiram ao BBB9. A partir do BBB10 pode ser que sejam (os mesmos). Pelo menos uma boa parte não faz idéia do que representou certos ingredientes dos relacionamentos na edição 9. O primeiro deles foi a inclusão de um casal da chamada terceira idade. Era nítida a compreensão de que o dirigismo imperante tentava a formação de, ou pelo menos torcia para, ocorrer um casal romântico nessa idade.

A divisão por sorteio dos confinados em dois grupos com um deles em cada um, com tratamentos diferentes e injustos, em casas separadas, casa da Xepa e casa de luxo, com compras de alimentos separados por classes de consumo diferentes e com direito a um alto muro divisório no terreno, apelidado de "Muro de Berlim", contribuíram para um direcionamento da audiência para os mais desfavorecidos. Como todos sabem, o público sempre direciona-se para os mais desfavorecidos, principalmente quando isto é arbitrário e impositivo.

Até as festas tinham tratamento diferenciado. No lado do luxo os bailes eram regados a champanhe e no lado da Xepa era churrascada regada a cerveja tipo "festa na laje". A piscina deles era uma dessas de plástico, pequena e, que ficava com uma agua imunda depois de um certo tempo. Incrivelmente o grupo favorecido (casa de luxo) desdenhava inabilmente do da Xepa e a pobre Michele, ex miss Pernambuco "pagou o pato" na primeira semana, o que nos impediu de conhecê-la melhor!

Nesse ambiente criado artificialmente, o relacionamento meio meloso entre a Ana e a Naná (do lado do luxo) soava falso, com vovozinha pra lá e netinha querida pra cá. Isso não convenceu e nem comoveu o público, que era todo favorável aos "coitados" e desfavorecidos da sorte da Xepa.

Depois da "derrubada" do muro, os desfavorecidos continuaram unidos numa espécie de solidariedade que une os injustiçados. O mérito deles consistiu em perceberem que isso os favorecia junto ao público e na fase do meio para a final sobraram somente eles e a Ana. Estava na cara que, mais cedo ou mais tarde a Ana iria "dançar", como se diz na gíria, vazar para fora da casa. E não deu outra! A Final foi disputada por 3 remanescentes da Xepa, quase dando empate entre eles.

A bem da verdade, nem todos os do grupo da Xepa ficaram irmanados. O Nonô não compreendeu a importância da união e traiu o grupo ao indicar o Max para o primeiro paredão quando foi o primeiro Líder. Isso selou o seu destino e em seu primeiro paredão vazou inapelavelmente. Apesar de se dizer radialista, não compreendia que a tendência da preferência coletiva tendia para os menos favorecidos pela sorte. Acredito que os realizadores de RS sofrem da mesma deficiência ainda hoje.

Para selar de vez o insucesso das arbitrariedades cometidas, o Léo (do lado da Xepa) não aguentou o isolamento no "Quarto Branco" e bateu o sinal que o eliminou do concurso. Em consequência surgiram vozes de protesto aqui fora contra a produção, acusando-a de praticar desumanidades contra os confinados. A "desumanidade", em minha opinião, pode ir até ao ponto em que chega a provocar algum estresse, mas não ao ponto de causar a desistências do Reality. Isolamentos e provas com requintes de maquiavelismo são altamente desaconselháveis.

É nessa conjuntura que a edição rolou de fato e os fãs atuais não têm como ter essa percepção. Mesmo os que a assistiram de cabo a rabo, sofreram o desgaste pelo tempo das emoções e sentimentos causados e esqueceram as agruras sofridas pelos confinados da Xepa. Durante a própria edição parte delas (das agruras) foi esquecida. Por isso é que se diz que o tempo apaga tudo, que o eleitorado esquece rapidamente, que os crimes antigos prescrevem, etc.

Ainda assim rolou a construção de uma jaula de vidro no próprio terreno do confinamento para a inclusão de dois novatos, Maíra e André, também desumana e discriminatória a meu ver, que não foram muito longe no Reality. Aos poucos os diretores foram sendo ensinados pelo público que não devem ser discriminadores, arbitrários, maquiavélicos e injustos com só o objetivo de causar sensacionalismo e suscitar audiências. E ainda não aprenderam totalmente!
Uma outra jaula de vidro (apelidada de "A Bolha") foi construída num shopping center da Barra no Rio (Via Parque) no início do Reality, de onde vieram dois outros confinados, Josiane e Emanuel, que também não foram muito longe. Essa idéia das jaulas de vidro foi inaugurada nessa edição e reutilizada nas edições 11 e 13. Espero que não mais a repitam, pois nada acrescentam em termos de justiça, equidade e humanitarismo, e nem, tampouco, em termos de audiência. Já deu!

Essa ideia da divisão arbitrária em grupos antagônicos tomou corpo a partir dessa edição 9. A princípio sem nenhum critério equitativo. Depois perceberam que a divisão deveria ocorrer naturalmente, pelos próprios concursantes, mas não deixaram de dar uma "ajudazinha". Na edição 10 mantiveram a casa da Xepa e a feirinha, sem o muro. A casa ficava no mesmo local em que existiu o quarto do Líder até a edição 8.

Na edição 11, criaram um acampamento rústico e sem nenhum conforto, ao relento, também desumano a meu ver, com um sorteio meio dirigido na estréia para dividir os concursantes em equipes através de bandanas coloridas. Na edição 12 as coisas foram amenizadas um pouco e criaram dois ambientes separados na mesma edificação, onde os grupos se formaram "naturalmente" entre eles a partir de um certo momento no início. Paradoxalmente o grupo do quarto "Praia" (lado do luxo) angariou uma certa preferência maior do público em relação ao grupo do quarto "Selva", apesar de existirem elementos neles que eram falsos ou arbitrários ou alguns concursantes não terem um verdadeiro espírito de união.

Na edição 13, permaneceu a mesma casa dividida e redecorada em dois ambientes e onde a distribuição de confortos não era tão arbitrária e desigual, mas permanecendo a divisão entre Xepa e Luxo, pelo menos no que diz respeito às compras de mantimentos e outros itens e certos confortos a partir de certa altura. Conclui-se então que, em palavras mais claras, qualquer divisão formada e distribuição de confortos tem que ser natural entre os concursantes e de escolha deles, e não imposta como a direção quer.

O que define a preferência da audiência por um grupo depende só e tão somente das afinidades entre os concursantes. Qualquer interferência ou direcionismo da produção redunda em fracassos parcial ou total. O mais interessante sobre esse assunto é que os realizadores não percebem isso, ou não querem perceber. Teimam em persistirem nos mesmos erros edição após edição e parecem querer provar o contrário. Ou seja, que eles é que fazem o sucesso acontecer, quando em realidade estão matando a modalidade aos poucos. E fim!

Quem mantém o sucessos dos Realities são os fãs da modalidade por suas características intrínsecas e não por causa dos artificialismos e direcionismos dos realizadores. Simples assim!


Vencedor: Max (34,85%).
Prêmio: R$ 1.000.000,00.
Segunda colocada: Priscila (34,61%).
Prêmio: R$ 100.000,00.
Terceira colocada: Francine (30,54%).
Prêmio: R$ 50.000,00.
Período de transmissão: 13 de Janeiro a 7 de Abril de 2009.
Semana da enquete: 23/11/2013 a 01/12/2013.
Maior votação da Enquete: Ana Carolina.
Número de votos: 463 (22,08%).
Última colocação: Alexandre.
Número de votos: 60 (2,86%).
Total de votos: 2.097.


Na realidade a menor diferença entre um ganhador e o segundo lugar foi na edição 9 (0,24%), mas havia 3 finalistas, e a diferença em votos não deve ter sido muito maior que 150.000 entre os dois mais votados, diferentemente da edição 8 (0,3%), onde os finalistas eram somente dois (Rafinha e Gyselle), com uma diferença em torno de 227.000 votos. Gyselle poderia ter vencido se tivesse angariado cerca de 115.000 votos a mais, o que poderia ser conseguido em cerca de 1 minuto e meio, no máximo, através da internet. Cometi um erro de deslocamento de vírgulas em minhas contas no post anterior e ninguém percebeu, ou não quis apontar. LOL.

Na verdade a média de votação por segundo naquele paredão foi de cerca de 438 votos por segundo (cerca de 27.000 por minuto) em 48 horas. Para conseguir 115.000 votos pela internet, Gyselle precisaria de 4 minutos e meio mais ou menos, por essa média. Se admitirmos que a velocidade de votação durante o programa era umas 4 vezes maior ou mais, esse tempo se reduziria a cerca de um minuto. Factível a meu ver.

Alexandre foi eliminado com 49% num paredão triplo contra o Max e a Priscila, e onde teve que votar em público pela segunda semana consecutiva (em Priscila na segunda vez), uma novidade introduzida na edição e que era realizada por sorteio. Na sexta semana todos os votos foram a descoberto (publicamente), e eles sempre votavam na casa oposta, com poucas exceções. Mirla enfrentou um paredão na quarta semana, quando foi sorteada com uma bola vermelha. Ela conseguiu uma votação baixíssima (4%) num paredão triplo contra o Newton (eliminado com 72%) e a Ana. Acabou se prejudicando muito quando começou a falar em desistência do Reality.

A meu ver sorteios e indicações diretas ao paredão através do Big Fone ou outros meios artificiais são despropósitos que distorcem completamente um Reality. Através disso podem ser eliminados concursantes ou fortalecidos alguns de maneira dirigida. Um exemplo recente e uma variante ao contrário, que pode ser clássico, foi a classificação precoce para a Final de um concursante na F6, na primeira semana. Sempre aparecem tentativas no sentido de descaracterizar a seleção dos concursantes através da vontade da audiência e pensam que o público é idiota.

Vencer na Vida

Recentemente e em vista da ocorrência de um fato envolvendo uma mãe e uma filha famosas, estive pensando um pouco sobre o assunto e me recordando de outros fatos (inclusive no BBB9) e, cheguei a uma conclusão interessante: Para vencer na vida não é necessário seguir muitas regras, e há tantas! Você não tem que sempre atender aos desejos de sua mãe, mas você sempre tem que somente fazer o que a deixa contente com (ou orgulhosa de) você! Apenas isso!

"Cada macaco em seu galho"

Algumas pessoas não sabem às vezes do que estão falando. Além de não saberem direito o que é pornografia, não sabem também o que é um link, e uma delas me acusou de postar um link de site pornográfico. Não postei nenhum link desses e nem de um certo vídeo pornográfico ou do site que o contém, nem aqui e nem em nenhum outro lugar. Fazer pesquisas de sites e de pessoas na internet é muito fácil e basta "googlar" as palavras corretas.

Qualquer criança que navega na net sabe fazer isto e são ensinadas nas aulas de informática em algumas escolas como devem fazer. A única menção que fiz foi indicar palavras que poderiam chegar ao tal vídeo e geralmente são os nomes ou apelidos dos protagonistas e nada mais. Por exemplo, para chegar aos sites e blogs onde os nossos comentaristas atuam, basta "googlar" os nomes deles ou os pseudônimos. Infelizmente você vai também se deparar com alguns "fakes", mas é fácil separar o "joio do trigo". 

Os pais devem saber o conteúdo destes vídeos indecorosos relativos a concursantes, justamente para protegerem seus filhos de imoralidades na internet. Adultos devem fazê-lo se quiserem ter uma percepção correta dos participantes de RSs.

Em meu account do twitter (@frankkiller04) existe um vídeo longo de uma conferencista discorrendo sobre abusos contra crianças e metodologias duvidosas de ensino sexual em escolas públicas (ensino fundamental), com a fala proferida por uma assessora parlamentar do Congresso e que é pastora evangélica. Assista-o e ficará horrorizado com as barbaridades apontadas por ela. Ela aproveita para fazer algum proselitismo religioso (pouco), mas se vc não é evangélico e nem quer ser, ignore isso e preste atenção no resto.

"Casting"

Os realizadores já confessam abertamente que escalam concursantes com vistas a "causarem" para "render" audiência. Só que estão enveredando pelo caminho das imoralidades e estão dando preferência em escalar quem tem participação em imoralidades. Pessoas que participam ou participaram de vídeos de sexo, filmes para adultos, ensaios sensuais em publicações para adultos, streep-teases, e toda sorte de atividades vulgares ou indecentes ou da área de entretenimento adulto estão tendo a preferência deles.

Quem não sabe que certos participantes são escalados por protagonizarem vídeos indecentes é um inocente ou se faz de. Quero apenas que ninguém seja "inocente". Em meu próprio conceito não estou errado. Errado é quem não vê imoralidades nesses vídeos ou certas fotos de nus frontais ou defendem a imoralidade sem o conhecimento dos vídeos correspondentes ou até mesmo depois de vê-los. Dir-se-ia que viram e não acharam nada demais. LOL. Qualquer um pode ter a moralidade que deseja, mas que aguente as consequências disso, sejam concursantes ou torcedores.


Se a maioria aprovar as imoralidades praticadas ou exibidas por certos concursantes ou perdoá-los pelo que fizeram, que ganhem então os RSs para os quais forem escalados, mas não venham exigir-me compactuar com isso, porque não conseguirão. Dar-lhes-ei parabéns pelas vitórias, mas continuarei dizendo que não mereceram em minha opinião e que outros mereciam mais. Não me considerarei perdedor por isso, e penso que perdedores serão os que os elegerem campeões. Estarão dando razão a quem está empenhado em matar um RS.



"Chrístofer Ian Hernandez Hoffmann 17 de novembro de 2013 02:45
...enquete de quem deve ir ao BBB 14."

Essa série de enquetes do Votalhada não se destina a selecionar concursantes ou sugerir que sejam reapresentados veteranos no BBB14, Chrístofer. Nossa intenção é fazer uma enquete final para saber quem, na opinião dos nossos visitantes, foi o melhor concursante entre todas as edições e quem foi o pior. Só isso. É um aquecimento, digamos assim, enquanto aguardamos a estréia da próxima edição. LOL. Não haveria necessidade disso, se houvesse, por exemplo, um RS de confinamento permanente ou existissem opções finitas à altura nos intevalos entre cada edição.

Em minha opinião a imensa legião de fãs de RS de confinamento está sendo desdenhada e mal aproveitada de várias maneiras. Talvez façamos também isso (uma série de enquetes) lá para a edição 10 ou mais da Fazenda, se durar até lá e se passarem a respeitar mais o público internauta fã da modalidade. Eles nem guardam satisfatoriamente os dados históricos das edição passadas, dificultando com isso o trabalho dos pesquisadores, e deveriam cuidar melhor dessa parte.

"Pedro Fernando 25 de novembro de 2013 19:56
''Na Final a Gyselle perdeu para o Rafinha por uma diferença de apenas 0,3%, a meu ver por conta da queda do site no final da disputa em noite de votação recorde para a edição, com 75.637.402 votos, conforme foi reportado.''

Me recordo muito bem disso, achei aquela noite da final muito estranha, Bial encerrou a votação, ai disse que permanecia uma empate e reabriram a votação, nessa reabertura eu fui votar pra ajudar Gyselle, mas não conseguia votar, tava dando fora do ar.
Pra mim aquela é uma final pra ser esquecida porque acho que teve maracutaia ali."

Algumas pessoas me relataram a mesma dificuldade para votar pela internet naquele momento, Pedro. No entanto, eu tinha dado uma ligada, só para conferir, e a minha ligação telefônica foi aceita. Só não sei se foi computado o meu voto, porque desliguei antes de ouvir o final da mensagem de agradecimento deles. Poderia ser uma frase mais curta como, por exemplo, "Voto computado" ou simplesmente "Gratos". Só se justifica prolongar a ligação se houver interesse em localizar a chamada por Estado da Federação. No caso da Fazenda, fiz algumas tentativas em algumas das primeiras edições e não havia meio da chamada telefônica se completar. Ignoro as causas.

"Di 26 de novembro de 2013 00:03
vai desmaiar 26 de novembro de 2013 00:59
Lucas Fontes 26 de novembro de 2013 01:05, 01:08
fcGyselle Soares 26 de novembro de 2013 11:30, 11:34
Lu 26 de novembro de 2013 21:09"

Agradecemos aos comentaristas listados acima, todos favoráveis e ajuntando detalhes sobre a personalidade marcante da Gyselle. Em minha opinião ela é a mais carismática entre todos os concursanres de RS de confinamento no Brasil (considerando "Casa dos Artistas", Fazenda e BBB), suplantando inclusive Bárbara Paz (CA1), Diego "Alemão" (BBB7) e Viviane Araujo (F5), que também são carismáticos. É nítida em sua personalidade a desconfiança em relação aos aproveitadores, carreiristas, invejosos, maledicentes e desonestos, que provavelmente teve e tem que enfrentar em sua carreira artística. Ela é do tipo que não faz o chamado "Teste do Sofá". LOL.



Nota: São muitas e interessantes as curiosidades relativas às edições 9, 10, 11, 12 e 13 e farei comentários à parte, se houver interesse por parte de nossos visitantes.


0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html