31 outubro 2013

Do Cantinho da Shadow:
Entre Sonhos e Pesadelo - A Quinta Demissão




Entre Sonhos e Pesadelo
A Quinta Demissão


No último episódio falou-se de sonhos. Contextualmente poder-se-ia falar no sonho de não ser demitido, de ser o melhor líder de todas as edições, de não ir pela enésima vez pra sala de reuniões... Ah, sonhos, sonhos quem não os tem!!!

Filosofando sobre o tema temos um Roberto Justus dizendo em verso e prosa que empreender também é concretizar sonhos, como criar a oportunidade de sorrisos. Pois é, enquanto um publicitário vê empreendedorismo, nós vemos desejos que vem da alma.

Novamente a equipe Flecha e Sinergia frente a frente e, como era de se esperar, houve mudanças nas equipes. Justus sugeriu que um incauto, digo, voluntário da Sinergia se dispusesse a reforçar, ou melhor, completar a equipe Flecha, desfalcada após os sucessivos fracassos. E não é que para surpresa da turma do sofá, viu-se Evandro Banzato e Carlos Nakao se dispondo ao sacrifício, quero dizer, a agregar ao outro time!!! Ok, o Nakao até dá pra entender, afinal é o que mais destoa e parece estar mais deslocado na Sinergia, mas o Evandro!!! Ou ele é um kamikaze, implicitamente aqui – suicida, ou, confia demais no seu taco, julgando-se o promissor “salvador da pátria”. Eu hein!!! Como Evandro foi mais rápido em levantar a mão, Justus - antes que este caísse em si e se arrependesse - o despachou para integrar os Flecha.

A tarefa consistia em garimpar uma pessoa que tivesse um sonho, torná-lo realidade e documentar tudo em vídeo. Aí a gente pensa: material humano não vai faltar! Quem não tem seus sonhos particulares, alimentados dia a dia, mês a mês, ano a ano...

O briefing era claro: Quanto mais emoção na história e mais fora do comum, melhor avaliado seria o vídeo. Mais adiante poderíamos ver que alguns por lá confundiriam o briefing achando que teriam que se emocionar até as lágrimas. Não, meu povo, o objetivo era emocionar o patrão, os conselheiros, o diretor da Smiles... e a gente. Lágrimas de quem executa a tarefa, só pode embaçar o resultado final, como pelo visto embaçou.

Karine Bidart indicou-se para ser líder da Sinergia e assim contar a história de uma jovem que há nove anos não via sua avozinha, que mora em Arapiraca, interior de Alagoas. De fato, acompanharam o passo a passo do embarque até o encontro comovente das duas, criaram alguns momentos de emoção como o anúncio do destino à neta em pleno voo, o depoimento emocionado da senhorinha e de um prêmio adicional negociado pela Renata Tolentino com a Smiles de um cartão com 20.000 milhas. Fizeram a lição de casa direitinho.

Um ponto que não passou despercebido, no entanto, foi a dinâmica da Sinergia: começa a haver um nível de tensão entre os participantes. Na semana passada, Melina se queixou da Renata Tolentino (que era líder), Nakao idem (com o amor próprio ferido por ela tê-lo indicado como o mais fraco na execução da tarefa); nesta semana, continuou o burburinho... Jota Júnior alfinetando a Renata que, por seu lado, também deu umas alfinetadas nele, ou seja, estão caminhando para a desagregação.

Já na equipe Flecha vimos Maytê, cheia de amor pra dar, indicando-se líder. E como não poderia dizer, dando um depoimento pra lá de modesto afirmando que quis ser líder porque amou a tarefa, assim como ama tudo que é proposto pelo patrão, apostando toda sua credibilidade na vitória. Menos Maytê, bem menos!!!

Sabe-se lá por que, Guilherme pensou no circo. Aliás, foi o próprio que achou incrível na semana passada o Centro de Cultura Nordestina. O que tem de errado com esse rapaz??? Histórias de pessoas que deixaram a família é o que não falta em São Paulo. Basta entrar num prédio em construção ou falar com os operários que trabalham na Arena Palmeiras ou Corinthians e ouvir os causos da peãozada, ou no Largo Treze em Santo Amaro, ou no Parque do Ibirapuera, ou nas ruas da grande metrópole... mas, enfim... todos amaram a ideia do circo, resquícios talvez da infância, vai saber!!! Esqueceram que muitas vezes a melhor história não está no picadeiro, mas na plateia.

Resolveram contar a história de uma jovem malabarista que há nove meses não via a família, que vive em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Ohhhh...!!! O Lucas bem que tentou mostrar que talvez essa pessoa e sua história não fossem as mais adequadas à tarefa proposta, até pelo pouco tempo em que esta não via a família. Foi o que bastou para a Karina e o Guilherme filosofarem: o que é o tempo??? Sim o que é o tempo? Neste caso, o tempo era o fator determinante que os levaria à vitória ou a mais um fracasso.

Maytê, como não poderia deixar de ser, colocou água fria na ideia do moçoilo dizendo que a preocupação não deveria ser com a história em si, mas com a maneira de contá-la, assegurando dessa forma ao grupo que ela saberia fazer isso com um pé nas costas. Muito bem Maytê, a gente entendeu isso, mas por que vocês não contaram????

A apresentação do vídeo da Sinergia foi feita pela Karine que dividiu a tarefa com o Jota Junior e a Melina. Já nos Flecha, Maytê deixou claro que ela faria a apresentação de cabo a rabo, afinal nem pensar em dividir os holofotes com mais ninguém, não é mesmo Maytê????

Antes do veredicto final, como não poderia deixar de ser, Maytê declarou acreditar na vitória. Claro afinal ela foi a líder. Triste ilusão. O que se viu foi o sonho rapidamente virar pesadelo. É gente, isso acontece com quem é mortal.

Após uma análise criteriosa e profunda, entre defeitos e virtudes das duas equipes, e enquanto os Flecha já se preparavam para abrir o champanhe, por unanimidade, a vitória foi da Sinergia. Ó dó!!! Duro foi aguentar as lágrimas da Maytê, claro, após cinco derrotas consecutivas, ela tendo sido a líder da tarefa e aprovado com louvor o vídeo perdedor, o dela estando na reta mais uma vez, o jeito era começar a derreter o coração do patrão e dos conselheiros antes da sala de reunião; lágrimas, que vamos combinar, ela sabe fazer rolar com extrema habilidade e facilidade e, em especial, quando não tem saída, rssss... Não deixa de ser uma estratégia, apelativa, mas estratégica!!!

Aí veio a recompensa para os vencedores. Encontro com Lars Grael num brunch delicioso e uma noitada no badalado “Clube A”. Mas o melhor foi o prêmio que a Karine dedicou ao Jota Junior como melhor membro da equipe: o cartão diamante Smiles com 200.000 milhas. Isso mesmo, 200.000 milhas!!! Também querooooooo.....

Enquanto a Sinergia se reenergizava com os bons ventos, os Flecha... bom... filosofavam sobre o que era emoção... emoção é relativo atestava Karina... chorar é emoção para o Lucas... Maytê afirmava que a história por ela contada era emocionante e ponto.

E ao adentrar na sala, logo de cara, Justus propôs um exercício de humildade, ou seja, já chegou chegando.

Maytê começou falando da confiança no seu trabalho e abraçando “deixa” da humildade... pasmem, ela reconheceu que a historia não era tão fantástica quanto imaginou!!! Pois é, Maytê, se tivesse contado a história do pedreiro na obra da esquina, teria dado mais certo.

Bom, ela reconheceu isso, mas teimou com o patrão que 9 anos sem ver uma pessoa querida que vive no interior de Alagoas não necessariamente pode significar os nove meses da outra, cuja família mora no Rio de Janeiro, rsssss.... Francamente Maytê, é como se vocês tivessem registrado a história de quem vai comer a macarronada de domingo na casa da mama. Isso ficou bem claro quando o Roberto Justus perguntou quanto custa uma passagem de ônibus Rio-São Paulo? ??? Quem vai gastar milhas para ir ao Rio de Janeiro quando a passagem de ônibus custa R$ 74,00, Maytê!!! Uhauhauhau... foi mal!!!

E lá veio o Justus filosofar sobre sonhos. O que são sonhos??? Coisas inalcançáveis. Entendeu Maytê?


Preciso como sempre, Walter Longo resumiu: “Vocês discutiram o tempo, mas não discutiram a distância. A impossibilidade de alguém vir. Consequência: erraram no tempo e no espaço”.

Roberto Justus então se voltou para o Lucas dizendo que quando a pessoa vê algo que vai ser danoso para o grupo, deve expressar sua opinião de forma inequívoca e marcante. Ressaltando: “Posicionem-se!”.

Maytê antevendo aonde tudo aquilo iria desaguar, interrompeu o patrão fazendo questão de salientar que ninguém se posicionou com veemência para procurar outra historia.


Ao que Renato Santos, o conselheiro, dando uma de Félix, complementou: “Maytê esse posicionamento ele é correto quando você está falando como parte de um grupo, mas quando se é líder você assume a função adicional de vigiar a postura dos outros membros, estimular e caso ela não venha do jeito esperado, caso a ênfase não seja do jeito esperado, cabe a você espetar ou trazer para si essa ideia para que a decisão seja mais completa”. Aliás, gente, sou eu a única que acha esse conselheiro parecido com o Mateus Solano, o Félix de Amor à Vida???

Sem querer querendo Maytê, como sói fazer, o interrompeu para lembrar que estava com o Evandro ao ouvir a história da jovem artista de circo, ao ponto deste ter se emocionado às lágrimas (fofo isso, não?). Ao que Roberto Justus para não perder o tempo da piada, arrematou: “Tá chorando fácil hein Evandro!”. Ahahaha... podia ter dormido sem essa.

Ao destrinchar o vídeo, então, o patrão fez a festa. “Cadê os elementos de viagem como aeroporto, avião, mala, esteira, check in ... os Smiles???”. Sim, cadê tudo isso meu povo? O Guilherme disse ter captado as imagens, então cadê??? O gato comeu?

Walter Longo mais certeiro que uma flecha: “A diferença é que eles (Sinergia) mostraram a jornada e vocês se preocuparam com os dois destinos”. No fundo a diferença entre as duas equipes foi essa mesmo, além do erro de espaço e tempo. Enfatizaram a história, esquecendo-se do cliente: a Smiles. Fundamentalmente o erro foi de quem editou o vídeo, mas quem Maytê, mostrando seu lado vingancinha, chamou para o final da sala de reunião foi a Mariana (porque esta cometeu o erro capital de tê-la apontado como responsável pela derrota do grupo, no que eu concordo) e o Lucas (mostrando estar atenta à sala de reunião, haja vista que por falta de ênfase em posicionar-se Braga já havia rodado e mais uma vez o patrão questionava isso do Lucas).

Daí que não deu outra, Lucas foi demitido por não ter sabido defender sua posição até a morte e não sugerir alternativas para salvar o grupo de mais um fiasco. E... assim, Maytê, o pesadelo de seus adversários, safou-se, dando rasteira em mais um.

Aguardemos para ver quem será o próximo...

Shadow
cantinhodashadow.blogspot.com.br
@ Shadowtweetando



0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html