08 agosto 2013

Do Cantinho da Shadow:
O Xadrez das Preferências e Rejeições em A Fazenda


O Xadrez das Preferências
e Rejeições em A Fazenda

Foi impagável ver o momento master de Denise entrando poderosa na sala e o espanto e catatonia dos fortões e do mirradinho que davam como certa sua eliminação. Ahahaha.... rindo alto até agora.
Uma coisa é certa, o jogo tende a mudar. Para o mal ou bem o Ivo causava, criava vários pontos de tensão no jogo. Funcionava como o bispo no xadrez, correndo na diagonal para não ser notado, ao mesmo tempo que se movimentava para frente e para trás de acordo com sua conveniência e circunstâncias, num leva e traz de dúvidas e discórdia de situações nada convencionais.

Com a sua eliminação, todos tendem a se reposicionar no tabuleiro. Quem não o fizer estará fora. Até os fortões e o mirradinho devem a partir de agora mudar de postura e estratégia, em especial diante da Denise; se bem que não vejo neles a inteligência necessária para em sendo peão (como no xadrez) chegarem sequer perto do xeque. Talvez continuem votando na moçoila por preguiça de pensar na hora de votar.

Denise, por sua vez, aparentemente, está com o jogo na mão. Apenas aparentemente! Os 67% não são de se desprezar, é certo. Mas, assim como no xadrez, nem sempre quem tem o jogo na mão dá o xeque-mate. Hoje ela é a dama, a peça mais poderosa, livre para movimentar-se de frente pra trás, da direita para a esquerda e até na diagonal, só não pode deixar que isso lhe suba à cabeça, entrar numa vibe de que já ganhou e começar a subir exageradamente no salto da bota e a extrapolar em suas atitudes. Se souber se conduzir, assim como o Marcos está fazendo, tem tudo para chegar lindamente na final, ou não.

Recebi esta semana uma estatística do Votalhada muito interessante. Uma tabela, a enquete de rejeição dos participantes, a última realizada antes desta roça, apontando as preferências do público votante. E um fator chama a atenção: o número de votos na enquete de rejeição tem aumentado muito mais que o de preferência. Isso mesmo, vou repetir: o número de rejeição é o que tem aumentado... e muito, ao invés do de preferência.


Como explicar isso a esta altura do jogo, onde - pela lógica - as torcidas deveriam estar polarizadas votando maciçamente no seu favorito ao prêmio?

Isso é um indicativo de que não há até o momento uma unanimidade ao redor de um único ou dois participantes, o que há é uma concordância quanto à antipatia, aversão e rejeição de alguns. E é isso que está gritando, prevalecendo e crescendo de semana a semana.

Se pensarmos um pouco, muito embora os participantes se movimentem feito peças de xadrez no tabuleiro de A Fazenda, quem as tira do jogo é o público. E o público este ano parece não ter se apaixonado loucamente ou comprado a estratégia de ninguém a ponto de fazê-lo passar noites insones votando neste ou naquele para salvá-lo da roça. Alguns ali se acham bons jogadores, e até poderiam sê-lo, se tivessem entendido que não adianta jogar para dentro das porteiras, mas para o público do sofá e internautas.

Está faltando essa ponte, essa cumplicidade até por parte da direção, que muda as regras a seu bel prazer, como na semana em que evitou o confronto fatal entre a dama branca e a negra, Denise e Andressa. Sem contar o fato de ter colocado um peão na final, tirando a chance de uma torre ou bispo estarem lá ou a falta de transparência quanto ao conteúdo dos envelopes da arca, sempre acomodando oportunamente a situação de alguém. Assim o jogo não empolga, não flui, porque no xadrez as regras têm que ser claras. O que prende a torcida é o conhecimento antecipado de qual será o próximo lance, para que esta possa se jogar nas redes sociais especulando e tentando prever qual será a reação e a próxima movimentação. Esse é o burburinho que acirra as preferências e faz o jogo acontecer. Mas, a direção nesta edição tirou isso do público, assim como os participantes também no momento da votação, que votam um no outro sem considerar os fatos ocorridos na semana, com argumentos do tipo: “voto em fulano porque ele não está ameaçado” ou “porque não vou com a cara” ou “me deu vontade de votar nele agora” ou “melhorou, mas voto nela” enquanto teriam “n” motivos para votar em outro, e dar um sentido e direção ao jogo.

Isso é o mesmo que um jogador não ter a percepção do lance que o outro fez. Só que o público tem essa leitura e percepção, e espera isso de um grande jogador. Se não o fizer, decepciona. Não basta apenas que ele teste seus limites em barracos e discussões pífias, romances fakes, palhaçadas brincadeirinhas e risadinhas, equilíbrio o tempo todo. O grande vencedor deve saber utilizar todas as suas qualidades para construir uma história coerente e convincente. E nesse quesito, ninguém ali consegue convencer. Todos ou são dramáticos demais, ou calados demais, ou sonsos demais, ou bipolares demais. Não passam de meros peões, tentando convencer de que são o rei. Em alguns isso é tão evidente e patético que chega a irritar o público ao extremo, fazendo crescer em progressão geométrica a sua rejeição.

Então quando o Votalhada apura que o índice de rejeição dos participantes aumenta semana a semana ao invés do de preferência, essa é a resposta que parece estar sendo dada. E seguindo essa mesma linha de raciocínio, um outro índice não nos passa despercebido, o da audiência do programa, que conforme se tem comentado nas redes sociais já preocupa a Record pelo baixo índice. Seria mais um índice de rejeição? Arrisco a dizer que sim, uma vez que os dois índices estariam indiretamente interligados.
É preciso lembrar que os números são neutros e traduzem uma realidade. Não é preciso chamar nenhum prêmio Nobel em matemática para deduzir que algo está errado desde o início nesta edição. Como já disse aqui em outras ocasiões, nada ali parece ser o que realmente é. 

Quem a partir da saída do Ivo vai saber arriscar? Quem terá capacidade para dominar o xadrez diário? Quem será capaz de inventar seu próprio jogo revertendo a enquete de preferência x rejeição? Haverá alguém capaz de polarizar as preferências do público? 

Aguardemos....


Shadow
@ Shadowtweetando


2 comentários:

  1. Como algum alguém consegue torcer para a Denise???
    Ela é uma pessoa baixa e medíocre; que pelo o que parece foi orientada pela sua assessora (ex-da Angelis) a fazer o mesmo jogo da campeã da fazenda de verão, isso é nítido! Muito forçada!
    A sorte dela é que ela é favorecida pela edição e mesmo assim foi pra roça com o vilão dessa mesma edição, o mais rejeitado e não tirou ele com rejeição! pois ela tbm tem muita rejeição.
    Eu to de boa pq sei que mesmo o Carelli queria que ela chegue na final, ela tem boas chances d ser eliminada com vários participantes de lá. Então, é só esperar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô cara! vc ainda não descobriu que sai quem a produção quer? Fiquei triste quando descobri e por está razão não perco meu tempo votando. A Denise é a maior prova disso. Quando e se chegar a vez da Sheila Carvalho na roça, também eles irão decidir, a Bárbara idem. Poxa, fico revoltada, gosto tanto de RS e nem posso escolher um candidato porque se não coincidir com a preferência da produção, vou ficar com cara de tacho rsrsrs.

      Excluir

Regras para comentários: http://votalhada.blogspot.com.br/p/comentarios-regras.html